Ondulação em fevereiro abre corrida pelo prêmio de maior onda pelo Brasil

Maior onda dropada em foto, e a melhor performance em uma onda grande em vídeo, disputam a premiação de mais de R$ 30 mil. Organizadores aguardam próximo swell e big riders estão ansiosos pela disputa do prêmio

Praia do Silveira, Foto: David Nagamini

Nos dias 05 e 06 de fevereiro a organização do Prêmio chamou o Sinal Verde para uma das transmissões ao vivo de sessão de Surf de Ondas Grandes, oferecidas pela Cervejaria Dado Bier, porém os fortes ventos da madrugada prejudicaram a formação das ondas no pico escolhido (Quebra-Ossos, em Laguna).

Como a organização do Prêmio optou por transmitir a sessão apenas de picos mais isolados para evitar aglomerações e repercussão negativa relacionadas ao Covid, e no ‘Quebra-Ossos’ as condições não estavam boas, a opção foi abortar a transmissão, mantendo esta ‘carta na manga’ para o próximo swell, com a situação do Covid mais controlada.

Cancelamento de transmissão ao vivo, deu sinal verde para busca das maiores ondas

Praia do Rosa. Foto: Frederico Zappelini

Mesmo com o cancelamento da transmissão ao vivo, o Sinal Verde alertou e movimentou todos os Big Riders sul brasileiros! A grande ondulação se confirmou, quebrando altas Ondas Grandes em diversos picos de vento sul no estado, como a praia do Silveira e a praia do Rosa, por exemplo. No terceiro dia do swell, com menos vento de quadrante sul, até a praia do Cardoso e da Vila ofereceram boas condições.

Com diversos fotógrafos, videomakers e atletas entusiasmados pela captura de imagens para o Prêmio Surfland Big Waves Brasil / Mormaii, a competição foi preaquecida novamente, com o envio de diversas fotos para a categoria de Maior Onda e de vídeos para a categoria de Melhor Performance.

“Esta ondulação reaqueceu o Prêmio, que devido à ausência de grandes ondulações e a perda de atratividade de lives de redes sociais, acabou ficando um pouco ‘na geladeira’. Os sinais de chamadas da transmissão ao vivo e a inscrição de ondas com grande potencial de conquista do Prêmio trouxeram novamente o maior prêmio brasileiro de 2020 para evidência na mídia. Porém, há ainda muita água a rolar, pois a Janela de Captação do Prêmio vai até dia 18/06/2021 e ainda temos duas transmissões ao vivo de grandes ondulações para fazer”, diz Reinaldo Langer Jaeger, um dos organizadores do Prêmio.

Votação e julgamento

Praia do Cardoso, Laguna (SC). Foto: Lucas Medeiros

O Prêmio Surfland Big Waves Brasil / Mormaii distribuirá 30 mil reais em dinheiro + produtos/serviços, premiando duas categorias dentro do território catarinense na janela de 18 de junho de 2020 e 18 de junho de 2021:

  • Maior Onda Dropada (em foto);
  • Melhor Performance em Onda Grande (em vídeo).

Para julgar as imagens enviadas para a disputa destas categorias, a comissão organizadora do Prêmio formou duas Bancas Julgadoras, que darão notas de 0 a 10 para cada uma das 16 ondas finalistas de cada categoria.

Estas 16 ondas finalistas de cada categoria serão pré-selecionadas pelas Bancas e pelo público, que poderão votar nas suas ondas preferidas ao longo da janela de captação de imagens. Para votar, acesse o site oficial da competição e escolha a sua imagem favorita, ajudando o seu atleta favorito a ganhar este importante prêmio.

Para maiores informações sobre o Regulamento, conhecer as imagens que estão concorrendo e votar nelas para entrarem nas Finalistas Top16, acesse o site www.surflandbrasil.com.br/bigwaves.

Como acompanhar?

Acompanhe as redes sociais @bigwavesbrasil, o site Oficial do Prêmio e as próximas matérias para maiores informações!

O Prêmio é patrocinado pela Surfland Brasil e apresentado pela Mormaii, com copatrocínio da Cervejaria Dado Bier, que está oferecendo duas transmissões ao vivo. Apoiam o Desafio: Banco Remessa On Line; Apneia Surf Brasil; Hennek Surfboards; Session Store; Cigana’s House; Baiuka Pousada e Restaurante; Açaí Barbacuá; Site Waves; Index Krown; Protetor Solar Suntech; Advogada Flavia Correa Vieira.

A realização fica por conta da Big Waves Brasil (BWB) e da Swell Eventos. Toda a competição é homologada e supervisionada pela Federação Catarinense de Surf (FECASURF), que também fará parte da Banca Julgadora.

Imagens: As imagens desta matéria foram as imagens cadastradas no Prêmio após a grande ondulação do início de fevereiro de 2021 nas praias catarinenses.

Fonte: Reinaldo Langer Jaeger

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *