Definidas as semifinais no QS 5000 de Fernando de Noronha

Por pouco, semis não contam com 100% dos brasileiros. Irmãos Dantas abrem as baterias neste domingo (16) em duelo familiar. Jadson André vai em busca do Bi em Noronha e uma final brasileira contra o marroquino Ramzi Boukhiam na segunda semi. Catarinense, Leo Casal, surpreende e termina e 9º lugar

Jadson André, defende o titulo da etapa de Fernando de Noronha. Foto: Daniel Smorigo/WSL

A 8ª parada da divisão de acesso do Mundial de Surf da World Surf League (WSL), o QS 5000 de Fernando de Noronha (PE), que termina amanhã (16) na praia da Cacimba do Padre, por pouco não contará com 4 brasileiros nas semifinais do evento.

O penúltimo dia de baterias – sábado -, foi decisivo e altamente competitivo, em ondas perfeitas a irregulares durante o dia, com a troca de maré e o vento atrapalhando um pouco a performance de alguns competidores. Mesmo assim, bons tubos e notas acima de 7 pontos deram a tônica do evento.

Filipe Toledo, Ian Gouveia e Samuel Pupo fora da competição

Noe Mar Mcgonagle. Foto: Daniel Smorigo/WSL

As quartas de final no QS 5000 de Noronha, fecharam as portas para três grandes surfistas brasileiros. Filipe Toledo não se achou na primeira bateria das quartas de final, e colocou Weslley Dantas na primeira semifinal do evento. Junto com ele, seu irmão mais velho, Wiggolly Dantas, que está de volta à primeira divisão da WSL, despachou o havaiano, Ian Gentil, e os dois farão um duelo familiar na paradisíaca ilha pernambucana.

Já Jadson André não deu chances para Samuel Pupo, que esbanjou uma reação ainda no meio da bateria, mas não o suficiente para leva-lo a semifinal do evento. Na última bateria do dia, Ian Gouveia liderou boa parte do duelo, mas perdeu muito tempo tentando trocar sua segunda nota ficando sem a prioridade, enquanto seu adversário, o marroquino Ramzi Boukhiam, buscou ondas mais consistentes e abriu boa margem de diferença para Ian, que não achou boas ondas no final da bateria.

Duelo entre irmãos no Hang Loose Pro Contest de Fernando de Noronha

Wesley Dantas não está para brincadeira no Hang Loose pro Contest 2020. Foto: Daniel Smorigo/WSL

Os paulistas Wiggolly e Weslley Dantas devem fazer a bateria mais disputada do QS 5000 de Noronha. Além da disputa por uma vaga na grande final, o peso do duelo familiar dará mais dramaticidade a bateria, já o Guigui, o irmão mais velho, já avisou que não dará chances para Weslley chegar a grande final.

É a primeira vez que os dois se enfrentam no Mundial de Surf, e Wiggolly é o atual líder do Qualifying Series da WSL, após vencer o Volcon Pipe Pro, em Pipeline no Hawaii, e com 100% de vantagem para manter esta liderança após esta oitava etapa. Já Weslley pretende figurar entre os 10 melhores do ranking mundial com uma possível vitória em Noronha.

Catarinense Leo Casal, chega às oitavas e perde apenas para o defensor do título de 2019, em Fernando de Noronha

Leo Casal mostrou total intimidade com as ondas da Cacimba do Padre, e por pouco não avançou para as semis no QS 5000 de Noronha. Foto: Daniel Smorigo/WSL

Entre alguns dos maiores nomes do surf mundial, o catarinense Leo Casal, da novíssima geração do surf nacional, fez história no Hang Loose Pro Contest de Fernando de Noronha. Ele só não seguiu em frente na competição, pois teve como adversário neste penúltimo dia, o defensor do título em 2019 da etapa, Jadson André.

Jadson inclusive, reconheceu a vontade e o surf competitivo do manesinho da ilha, durante a entrevista pós bateria, o qual tentou de todas as formas conseguir as notas que precisava para avançar às semis no evento. “A bateria foi contra o Leo Casal, um moleque casca grossa. Eu acho que ele é o líder dessa geração dele. Pode ter certeza que num futuro muito próximo ele vai estar representando a gente na liga do surf mundial.“, disse Jadson André após avançar no QS 5000 de Noronha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *