Títulos sul-americanos Pro Junior serão decididos no Brasil e Peru

O calendário recorde de etapas da WSL Latin America para a categoria de surfistas profissionais com até 18 anos de idade, chega em sua reta final com dois eventos decisivos em novembro. Maresia na sequência.

Daniel Templar, lidera com mais 35 com chances de título. Foto: Marcio David

Das cinco provas já disputadas, quatro foram no Brasil e uma no Chile. Restam duas para definir os campeões sul-americanos de 2019 e os classificados para o Mundial Pro Junior da World Surf League, três pelo ranking masculino e duas pelo feminino.

As inscrições seguem abertas no sistema online do www.wsllatinamerica.com para o Oi Pro Junior Series e para o Oi Longboard Pro, que acontecerão nos mesmos dias 08 a 10 de novembro na Praia de Maresias, em São Sebastião (SP), como para o Mancora Junior Pro Peru, dias 14 e 15 em Mancora, no norte do Peru.

Das quatro etapas realizadas no Brasil, três foram do Oi Pro Junior Series em palcos históricos do surfe no país. A abertura do novo evento patrocinado pela Oi, para a nova geração do esporte, aconteceu na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, junto com a primeira do Oi Longboard Pro.

As outras foram só do Oi Pro Junior Series na Praia de Stella Maris, em Salvador (BA), e a terceira na Praia da Joaquina, em Florianópolis (SC). Além dessas, tiveram mais duas válidas pelo Circuito Sul-americano Pro Junior da WSL Latin America, o Héroes de Mayo Iquique Pro no Chile e o Pena Little Monster na Praia da Taíba, Ceará.

Taniá Hinckel venceu três e lidera

Taina Hinckel vai decidir mais um título sul americano. Foto: Pedro Monteiro

O grande destaque do ano é a catarinense Tainá Hinckel, que venceu três das quatro etapas que disputou. No Oi Pro Junior Series está invicta, levando os troféus de campeã no Rio de Janeiro e em Salvador. Também ganhou o Pena Little Monster no Ceará e ficou em terceiro lugar nas semifinais do Héroes de Mayo Iquique Pro no Chile, mas não pôde participar da quinta etapa, o Oi Pro Junior Series de Florianópolis.

Mesmo com um resultado a menos, Tainá lidera o ranking com folgas para repetir seu título sul-americano de 2016 e já está garantida para mais um Mundial Pro Junior da WSL, na última semana de novembro em Taiwan.

A outra vaga está sendo disputada principalmente pelas surfistas que ainda têm chances matemáticas de título sul-americano, as brasileiras Julia Duarte e Isabela Saldanha e as peruanas Daniella Rosas e Sol Aguirre, bicampeã sul-americana em 2017 e 2018.

A carioca Julia Duarte tirou o segundo lugar no ranking de Sol Aguirre na etapa passada, a terceira do Oi Pro Junior Series em Santa Catarina, mesmo ficando nas semifinais. A vencedora foi a paulista Isabela Saldanha, atleta do Instituto Medina que vai competir em casa em Maresias. As peruanas Sol Aguirre e Daniella Rosas, também terão a oportunidade de decidir em casa a segunda vaga para o Mundial, no Mancora Junior Pro Peru na semana seguinte.

Decisão aberta: Templar lidera mas tem 35 surfistas com chances de título em duas etapas

Já na categoria masculina, a batalha tanto para o título sul-americano, como pelas três vagas para o Mundial, está completamente aberta. O surfista de Saquarema, Daniel Templar, lidera o ranking com 2.440 pontos e até o 36.o colocado na classificação atual, ainda tem chances matemáticas de ultrapassar essa marca nas duas últimas etapas.

A diferença de pontos é bem pequena, principalmente entre os quatro primeiros. O catarinense Lucas Vicente está em segundo lugar com 2.310 pontos, seguido pelo potiguar Mateus Sena com 2.220 e o paulista Daniel Adisaka com 2.125.

A briga principal pelo título de melhor surfista profissional da América do Sul com até 18 anos, pode incluir ainda o peruano Raul Rios, que ocupa a quinta posição no ranking com 1.790 pontos, o catarinense Leo Casal em sexto lugar com 1.780, os paulistas Fernando Junior em sétimo com 1.775 e Eduardo Motta em oitavo com 1.720.

Já a lista dos que ainda podem conseguir uma das três vagas no Mundial Pro Junior é bem mais extensa, com muitos tendo chances com os 2.000 pontos em jogo no Oi Pro Junior Series e no Mancora Junior Pro Peru.

Longboard define em Maresias: Píccolo vai com tudo

Chloe Calmon. Foto: Pedro Monteiro

Na Praia de Maresias, agora em novembro, os melhores surfistas com até 18 anos do continente, voltarão a competir junto com as estrelas dos pranchões, como no primeiro Oi Pro Junior Series no Rio de Janeiro. Nesta última etapa, o Oi Longboard Pro decide os títulos sul-americanos de Longboard da WSL Latin America. Os dois eventos patrocinados pela Oi, são os únicos da modalidade na América do Sul esse ano.

A carioca Chloé Calmon lidera o ranking mundial da World Surf League e largou na frente na busca pelo seu igualmente primeiro título sul-americano, com vitória na Barra da Tijuca. O peruano Piccolo Clemente, bicampeão mundial e tri sul-americano, também venceu o Oi Longboard Pro na capital carioca e ambos estão confirmados para competir nas ondas da Praia de Maresias, em São Sebastião. Não só eles, como os atuais campeões sul-americanos, o carioca Phil Rajzman e a pernambucana já tricampeã, Atalanta Batista, além de mais destaques do longboard brasileiro e de outros países da América do Sul.

Ainda existem vagas para completar o limite de participantes nas categorias masculina e feminina nas duas etapas decisivas da categoria Pro Junior, bem como para o Oi Longboard Pro, que podem ser feitas pelo sistema online no www.wsllatinamerica.com

TOP-10 DO RANKING SUL-AMERICANO DE LONGBOARD:

01: Piccolo Clemente (PER) – 1.000 pontos
02: Alexandre Escobar (BRA) – 750
03: Julian Schweizer (URU) – 560
03: Jefson Silva (BRA) – 560
05: Phil Rajzman (BRA) – 420
05: Rodrigo Sphaier (BRA) – 420
07: Rodrigo Sousa (BRA) – 395
07: Pedro Ribeiro (BRA) – 395
09: Carlos Bahia (BRA) – 300
09: Jeferson Silva (BRA) – 300
09: Marcelo Freitas (BRA) – 300
09: Wenderson Biludo (BRA) – 300

TOP-10 DO RANKING FEMININO DE LONGBOARD :

01: Chloe Calmon (BRA) – 1.000 pontos
02: Maria Fernanda Reyes (PER) – 750
03: Jasmim Avelino (BRA) – 560
03: Evelin Neves (BRA) – 560
05: Atalanta Batista (BRA) – 420
05: Cristiana Pires (BRA) – 420
07: Aline Adisaka (BRA) – 395
07: Ayllar Cinti (BRA) – 395
09: Monique Pontes (BRA) – 300
09: Maina Thompson (BRA) – 300
09: Shayana Avelino (BRA) – 300
09: Eliane Andrade (BRA) – 300

Fonte: João Carvalho – WSL Latin America Media Manager

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *