24 de julho de 2024

10 anos de preservação das Dunas da Ribanceira, ‘tem que ser comemorado’

0

Neste ano, em outubro, vai se comemorar 10 anos de preservação de um dos maiores patrimônios de Imbituba, as gigantescas Dunas da Ribanceira

'Subida pelo fim', Segunda manifestação realizada pelo SOS Dunas da Ribanceira. Foto: Eduardo Rosa.

No início do mês de outubro de 2014, um processo de destruição de um dos maiores patrimônios da cidade de Imbituba foi parado. As Dunas da Ribanceira, localizadas na praia com o mesmo nome, por décadas foram consumidas para produção de produtos para a construção civil, bem como, usado de material como aterro, por exemplo, até em obras governamentais.

Segundo o Movimento SOS Dunas, “A tentativa, para preserva-las, começou lá atrás ainda no início da década de 90 por nobres guerreiros, e que sua luta perdurou até os dias atuais. Um marco para preservação de outros locais sensíveis na cidade, que foi abarcado por outros grupos e pessoas, que a partir do cessar da retirada de areia da ‘dunas da Riba’, como são carinhosamente conhecidas, determinada pela Justiça Federal, e órgãos como ICMBio e Prefeitura de Imbituba, acreditaram que a cidade poderia ser realmente protegida, e hoje nos sentimos felizes em ver que Capital Nacional da Baleia Franca não está do jeito que gostaríamos ainda, mas muita coisa de ruim deixou de acontecer“.

Presença do quadro Proteste Já do Programa CQC em Imbituba.

Ao longo de todo o processo de extração de areia que durou décadas, sendo amplificada nos anos 2000 quando a empresa que operava carregava em torno de 80 caminhões de areia por dia, em média, segundo o Ministério Público, ‘sem o devido tratamento para ser usada na construção civil’, teve seus trabalhos cessada pelo Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) e pela Prefeitura de Imbituba por diversas irregularidades, além da falta estudos adequados para extração, como EIA Rima e de Impacto de Vizinhança, entre várias outras irreguralidades.

Após 12 longos embargos de alguns órgãos públicos em décadas, em que por curtos períodos a empresa que extraia areia ficava sem trabalhar, a destruição só não acabou com um dos maiores parques de dunas de Santa Catarina e do sul do Brasil, além de um imenso patrimônio cultural, ambiental, turístico, paisagístico e histórico, porque alguns cidadãos imbitubenses se levantaram contra esse, considerado por muitos, um crime.

O SOS Dunas da Ribanceira enfatiza a importância deste ano histórico – 2024 – em que se completa 10 anos de preservação das Dunas da Ribanceira: “Gostaríamos de agradecer a todos que acreditaram e se esforçaram pelo fim deste crime ambiental e segue nas redes sociais um breve histórico das realizações do SOS Dunas da Ribanceira, um dos maiores movimentos de preservação que o Sul do Brasil já teve, ao som da banda imbitubense Fishmen“.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *