14 de junho de 2024

Finais do Margaret River Pro ficam para a segunda-feira na Austrália, domingo no Brasil

0

Italo Ferreira faz duelo brasileiro com Filipe Toledo nas quartas de final, Tatiana Weston-Webb disputa vaga para a final com Bronte Macaulay e John John Florence sofre contusão no joelho e abandona o evento. Chamada da segunda-feira às 7h15, ou as 20h15 do domingo no Brasil

MARGARET RIVER, AUS - MAY 6: WSL Champion Italo Ferreira of Brazil surfing in Heat 7 of Round 4 of the Boost Mobile Margaret River Pro presented by Corona on May 6, 2021 in Margaret River, WA, Australia.(Photo by Cait Miers/World Surf League via Getty Images)

O swell chegou grande no sábado em Main Break e The Box, mas o mar ficou “stormy” com ventos desfavoráveis para a boa formação das ondas. As condições devem ficar assim também no domingo e a próxima chamada para as quartas de final do Boost Mobile Margaret River Pro apresentado pela Corona já foi marcada para as 7h15 da segunda-feira na Austrália, 20h15 do domingo no Brasil. Esta quarta etapa do World Surf League Championship Tour tem prazo até quarta-feira para ser encerrada em West Australia.

A seleção brasileira está na briga pelos dois títulos. O campeão mundial Italo Ferreira faz um duelo brasileiro com Filipe Toledo na última quarta de final e Tatiana Weston-Webb disputa a primeira vaga na grande final com a surfista local de Margaret River, Bronte Macaulay. A gaúcha já assumiu o segundo lugar no ranking com a classificação para as semifinais e foi vice-campeã na última etapa do CT nesta praia em 2019. Tatiana possui uma grande vantagem contra a australiana, ganhando 10 das 14 baterias que elas disputaram.

italo Ferreira. Foto: Dunbar/WSL

Já a disputa entre Italo Ferreira e Filipe Toledo, também em etapas do CT, é mais equilibrada. O placar está em 5 a 4 para o atual campeão mundial, que venceu as quatro últimas baterias que eles se enfrentaram. A última foi nas semifinais do evento que abriu a “perna australiana” do World Surf League Championship TourItalo passou por Filipe e depois ganhou o título do Rip Curl Newcastle Cup, na final igualmente brasileira contra Gabriel Medina.

LYCRA AMARELA – Essa decisão valia a liderança do ranking e Italo competiu com a lycra amarela em Sidney. Mas, parou nas oitavas de final e perdeu a primeira posição para Medina, que foi o campeão do Rip Curl Narrabeen Classic em sua quarta final seguida, igualando um recorde de Kelly Slater em 2010. Gabriel voltou a vestir a lycra amarela em Margaret River e também ficou nas oitavas de final. Com isso, Italo tem chance de recuperar a ponta do ranking, mas somente com a vitória no Boost Mobile Margaret River Pro. 

John John Florence. Foto: Matt Dunbar/WSL

O único surfista que ameaçava a hegemonia brasileira no topo do ranking era o havaiano John John Florence. No entanto, o bicampeão mundial e vencedor desta etapa de Margaret River em 2017 e 2019, contundiu o joelho na bateria contra o paranaense Peterson Crisanto pelas oitavas de final e vai abandonar a competição. Ele já anunciou que não enfrenta o norte-americano Griffin Colapinto e também está fora da etapa que fecha a “perna australiana”, o Rip Curl Rottnest Search apresentado pela Corona na ilha Rottnest.

“Infelizmente, machuquei o joelho esquerdo na seção final de uma onda durante minha bateria das oitavas de final dois dias atrás. Eu consegui surfar o restante da bateria, mas já sentindo que algo estava errado”, contou John John Florence“Não é o mesmo joelho que eu contundi no ano passado, então isso é bom. Com as Olimpíadas chegando, vou me concentrar para curar essa contusão e fortalecer o joelho. Obrigado a todos pelo apoio e à Austrália por nos receber tão bem. Nos divertimos muito e agradeço a todos vocês”.

Tatiana Weston-Webb. Foto: Cait Miers/WSL

RIP CURL WSL FINALS – O havaiano pode perder o terceiro lugar no ranking, mas não sai do grupo dos top-5 que vai disputar o título mundial nesta etapa. Três surfistas têm chances matemáticas de ultrapassa-lo, mas somente com a vitória no Boost Mobile Margaret River Pro, o sul-africano Jordy Smith em quarto lugar, ou Filipe Toledo e o adversário de John John nas quartas de final, Griffin Colapinto, que estão empatados na sexta posição. 

Como está automaticamente classificado para as semifinais, o norte-americano já tirou o japonês Kanoa Igarashi da lista provisória dos top-5 que vão participar da decisão do título mundial no Rip Curl WSL Finals, em setembro nas ondas de Trestles, na Califórnia, Estados Unidos. Filipe Toledo também consegue isso se passar por Italo Ferreira e ficará com a vaga quem conseguir o melhor resultado, entre ele e Griffin Colapinto

Na categoria feminina, a brasileira Tatiana Weston-Webb vai se firmando no grupo das top-5 para o Rip Curl WSL Finals. Com a passagem para as semifinais, pegou da californiana Caroline Marks, o segundo lugar no ranking liderado pela havaiana Carissa Moore. A única que pode lhe tirar a vice-liderança nesta etapa é Stephanie Gilmore, mas só se vencer o Boost Mobile Margaret River Pro. A heptacampeã mundial já tomou o quarto lugar da também australiana Tyler Wright e vai enfrentar a tetracampeã e defensora do título esse ano, Carissa Moore, nas semifinais.

Fonte: João Carvalho – WSL Latin America Media Manager

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *