20 de abril de 2024

Gabriel Medina brilha e Brasil têm três surfistas nas quartas de final do CT de Portugal

0

Brasileiros fizeram os recordes na volta à Supertubos e Gabriel Medina ganhou a maior nota com um aéreo. Ele, Tatiana e Luana seguem na disputa pelos títulos e a etapa portuguesa do CT pode acabar na terça-feira

Gabriel Medina usou os aéreos para vencer as duas baterias na segunda-feira. Foto: @WSL/Damien Poullenot.

Três surfistas da seleção brasileira estão nas quartas de final da etapa portuguesa do World Surf League (WSL) Championship Tour (CT) 2024. Tatiana Weston-Webb e Luana Silva se classificaram no domingo na praia Molhe Leste. Na segunda-feira, o MEO Rip Curl Pro Portugal retornou ao seu palco principal e os brasileiros brilharam, fazendo os recordes do dia de tubos e aéreos em Supertubos. Gabriel Medina completou um aéreo muito alto para ganhar a maior nota do campeonato, 9,33, enquanto Italo Ferreira fez o maior somatório, 17,17 pontos. Mas, o tricampeão mundial é o único que segue na disputa do título em Portugal.

A expectativa é de que o MEO Rip Curl Pro Portugal possa até ser encerrado nessa terça-feira em Peniche. A primeira chamada para iniciar as quartas de final, foi marcada para as 7h00 em Supertubos, 4h00 da madrugada no Brasil, com transmissão ao vivo pelo Sportv e WorldSurfLeague.com. Gabriel Medina também competiu em Molhe Leste no domingo, vencendo a bateria da repescagem com Deivid Silva completando uma dobradinha brasileira sobre o australiano Ryan Callinan. 

Na segunda-feira em Supertubos, o tricampeão mundial deu um show nas duas baterias que disputou. As condições do mar estavam excelentes, com direitas e esquerdas de 4-6 pés formando tubos, paredes lisas para manobras de borda e rampas para os aéreos. Gabriel Medina surfou tubos e usou seus voos espetaculares também. Na terceira fase, derrotou o amigo Miguel Pupo por 16,60 pontos e atingiu 17,16 contra o australiano Jack Robinson nas oitavas de final, voando muito alto numa esquerda, fazendo o giro completo no ar e aterrissando com perfeição. A nota 9,33 recebida foi a maior do MEO Rip Curl Pro Portugal esse ano, batendo o 9,00 que Yago Dora tinha recebido também em um aéreo.

Gabriel Medina deu show completo com tubos e aéreos em Supertubos. Foto: @WSL/Damien Poullenot.

“É muito bom ter o meu técnico (Andy King) aqui comigo, porque ele tem me ajudado bastante em tudo”, destacou Gabriel Medina“Mas a real mesmo é que é sempre muito bom poder surfar ondas boas e acertar as manobras. É uma sensação incrível sentir tudo fluindo naturalmente e fazia tempo que eu não conseguia notas altas assim. Mas, sério, precisamos ter mais esquerdas no circuito (risos), vai ficar bem mais divertido (risos). Aqui é uma onda onde você pode mostrar todo o seu surfe, com rasgadas, batidas, tubos e aéreos. Foi muito bom hoje e estou bem ansioso para as finais amanhã”.

Depois de vingar a derrota sofrida para o australiano Jack Robinson na decisão da etapa do Taiti nos tubos de Teahupo´o no ano passado, que valia última vaga para disputar o título mundial no Rip Curl WSL Finals, Gabriel Medina agora vai enfrentar o italiano Leonardo Fioravanti nas quartas de final. Ele já saltou da 26.a para a 19.a posição no ranking e pode até entrar no grupo dos top-5, se repetir a vitória conquistada em Supertubos em 2017. Os dois estrearam juntos esse ano em Portugal na quarta-feira e o italiano mandou Medina para a repescagem, no confronto vencido por Samuel Pupo.

Italo Ferreira fez o maior somatório do campeonato na segunda-feira. Foto: @WSL/Damien Poullenot.

RECORDES BRASILEIROS – Os 17,16 pontos que o tricampeão mundial atingiu contra Jack Robinson nas oitavas de final, só ficaram abaixo dos 17,17 que o também campeão mundial Italo Ferreira tinha conseguido contra o sul-africano Matthew McGillivray. Foi na segunda participação do Brasil na segunda-feira de altas ondas em Supertubos. Deivid Silva tinha acabado de perder para o australiano Ethan Ewing, que depois barrou o campeão olímpico nas oitavas de final, por uma pequena diferença de 14,34 a 13,40 pontos. 

Italo é o único bicampeão consecutivo da história desta etapa em Supertubos, ganhando os títulos de 2018 e 2019, ano que conquistou o título mundial. O MEO Rip Curl Pro Portugal é o evento do CT 2024 que tem mais vitórias do Brasil, 6 contra 4 da Austrália, 2 dos Estados Unidos e 1 do Havaí. Italo Ferreira terminou em nono lugar dessa vez, mas sai do campeonato com o recorde de 17,17 pontos. Quem também brilhou na segunda-feira foi Yago Dora, que derrotou o português Frederico Morais com um aéreo incrível, muito alto, que recebeu a maior nota do evento até ali, 9,00.

Yago Dora foi o primeiro a conseguir uma nota excelente na casa dos 9 pontos. Foto: @WSL/Damien Poullenot.

ELIMINAÇÕES DO BRASIL – Nas oitavas de final, Yago Dora seguiu apostando nas esquerdas, como Italo Ferreira contra o australiano Ethan Ewing no duelo anterior. Na segunda-feira, foi utilizado o sistema “overlapping heats”, com duas baterias rolando simultaneamente. Quando a do Italo acabou, começou a do Yago. Nesta hora, as condições do mar haviam mudado e as direitas estavam melhores. Foi nelas que Ethan Ewing derrotou o Italo e o marroquino Ramzi Boukhiam eliminou YagoItalo Yago ficaram em nono lugar e Gabriel Medina era o outro único brasileiro que tinha passado pela terceira fase.

Depois do Yago derrotar o português Frederico Morais, Medina ganhou o duelo verde-amarelo com Miguel PupoCaio Ibelli perdeu para o italiano Leonardo Fioravanti e Samuel Pupo foi barrado pelo japonês Kanoa Igarashi. MiguelCaioSamuca e o Deivid Silva, primeiro a cair na terceira fase, ficaram empatados em 17.o lugar no MEO Rip Curl Pro Portugal, marcando apenas 1.330 pontos no ranking. Todos os quatro agora estão ameaçados de serem cortados da elite no meio da temporada, quando só permanecerão os que ficarem entre os 22 primeiros colocados na classificação das 5 etapas.

Luana Silva surpreendeu ao barrar a campeã de Pipeline, Caitllin Simmers. Foto: @WSL/Damien Poullenot.

BRASILEIRAS NA BRIGA – Já o time feminino do Brasil está mais consistente, com Tatiana Weston-Webb e Luana Silva chegando nas quartas de final pela segunda vez nas 3 etapas, que estão sendo completadas agora em Portugal. No momento, elas estão empatadas em sétimo lugar no ranking que vai manter as 10 primeiras colocadas. A estreante na seleção brasileira este ano, Luana Silva, foi uma das surpresas nas ondas de 3-5 pés do domingo na praia Molhe Leste.

Luana derrotou a norte-americana Caitlin Simmers, campeã da primeira etapa do CT 2024 em Pipeline, no Havaí.  Antes, tinha estreado na bateria da líder, a australiana Molly Picklum, que também perdeu nas oitavas de final, para a havaiana Gabriela Bryan. Tatiana Weston-Webb igualmente começou ficando em último lugar no confronto vencido pela francesa Johanne Defay. Depois, voltou a bater a australiana Sally Fitzgibbons nas oitavas de final, como no Lexus Pipe Pro no Havaí.

Tatiana Weston-Webb passou para as quartas de final na praia Molhe Leste. Foto: @WSL/Damien Poullenot.

Tatiana Luana vão representar o Brasil nos Jogos de Olímpicos de Paris nos tubos de Teahupo´o, junto com a nova campeã sul-americana da WSL, Tainá Hinckel, os campeões mundiais Filipe Toledo e Gabriel Medina e João Chianca, que ainda se recupera do acidente sofrido em Pipeline e não foi defender o título do MEO Rip Curl Pro Portugal, conquistado no ano passado. Tatiana também tem vitória em Supertubos em 2022 e vai enfrentar a havaiana Bettylou Sakura Johnson nas quartas de final. Já a Luana Silva, disputará a última vaga para as semifinais com a francesa Johanne Defay.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *