19 de junho de 2024

Imbituba assina Ordem de Serviço para início da construção do Skate Park

0

Na tarde desta última sexta-feira (17) foi assinada a Ordem de Serviço para o início da construção do Skate Park no Centro de Imbituba. A empresa contratada foi a SEMEAI Skateparks Ltda no valor de R$ 798.000,00 (setecentos e noventa e oito mil reais), conforme o processo licitatório nº. 01/2024. Teko Picaski conversou com o Surfemais sobre esta conquista

Representantes do skate imbitubense se reuniram na prefeitura neste dia histórico para o skate em Imbituba. Foto: Prefeitura Imbituba.

O novo Skate Park de Imbituba é dividido em duas áreas que contemplam as modalidades olímpicas: Street e Park. “Com esta pista esperamos colocar Imbituba no roteiro para competições nacionais e internacionais de skate, além de fomentar a prática do esporte entre os nossos jovens”, ressaltou o Prefeito Rosenvaldo da Silva Júnior.

Com alturas entre 1,60m e 2,40m, o espaço destinado ao Park possui diferentes acabamentos de borda como tubos metálicos e bordas pré-moldadas denominadas coping blocks. Já a área de Street possui obstáculos e rampas que simulam a prática do skate na rua, como bancos, hidrante, meio-fio, bueiros e mesa de pic-nic. O fluxo dos praticantes gira em torno de canteiro central arborizado, dando aspecto de praça.

O Skate Park atenderá todos os níveis de skate, desde o iniciante até o atleta profissional. Sabemos que o esporte transforma talentos e profissionais e principalmente ajuda e salva muitos jovens”, destacou a Diretora de Esportes Michela Freitas.

O projeto da nova pista de skate de Imbituba, que agora vai sair do papel.

A assinatura da ordem de serviço contou com a presença de autoridades municipais, vereadores e representantes da comunidade do skate como o skatista profissional Gustavo Picaski. Joel Teko Picaski, presidente da Associação Imbitubense de Skate, diz que “a entidade já vem trabalhando para a reconstrução da pista desde 2017“.

Segundo o responsável pela empresa contratada, Rodrigo Saito, “Acima de tudo temos um compromisso muito grande com os skatistas. Se pecar com eles a gente deixa de ser qualificado. Por isso todo os detalhes do nosso trabalho importam e com certeza entregaremos um Skate Park à altura para que Imbituba esteja muito bem representada”, destacou.

O Skate Park será construído no local da atual pista localizada na Praça Henrique Lage. A Secretaria de Infraestrutura – SEINFRA junto aos responsáveis pela obra iniciarão a demolição da pista atual nos próximos dias para que a obra seja iniciada, com previsão de conclusão em seis meses.

Os recursos são provenientes de emenda do Deputado Federal Daniel Freitas e o Skate Park será construído no local da atual pista localizada na Praça Henrique Lage. A Secretaria de Infraestrutura – SEINFRA junto aos responsáveis pela obra iniciarão a demolição da pista atual nos próximos dias para que a obra seja iniciada, com previsão de conclusão em seis meses.

Teko Picaski, um dos maiores envolvidos na concretização da nova pista de skate em Imbituba

Ao centro, Joel e Gustavo Picaski. Foto: Arquivo Pessoal.

O imbitubense, Joel ‘Teko’ Picaski, nasceu em Imbituba (SC), foi criado na famosa Rua de Baixo e tem uma história antiga com a cidade. Com 10 anos de idade sua família se mudou para Curitiba, mas a vontade mesmo era estar sempre na Zimba. E era o que ele fazia nos verões seguintes, ainda nos anos 70.

Foram décadas junto com uma das lendas do surf imbitubense, seu irmão Renato Picaski. Seu pai Joel, era radiotelegrafista do Porto de Imbituba até os anos 70, e seu irmão teve fábrica de consertos e produção de pranchas, além de ter sido juíz do lendário campeonato de surf em 1975, no canto da praia da Vila.

Ao Surfemais, Teko contou`um pouco da sua saga para a concretização deste sonho da nova pista de skate, “Junto com meu amigo João Paulo ‘Pardal’, fotografo e videomaker que leva o skate de Imbituba para o Brasil e fora dele, tivemos a ideia“, conta Teko. E tudo isso junto com a dedicação que teve com seu filho, Gustavo Picaski, para torna-lo Tri-Campeão Brasileiro de Skate, além dele fazer parte do STU, uma das maiores competições de skate da América Latina, levando o nome de Imbituba ao cenário nacional do Skate, na categoria ‘Park’.

Então, ele sabia que Imbituba precisava de mais evolução no esporte, “Imbituba merecia uma pista de alta performance a nível nacional e internacional, e conhecendo as pessoas certas no meio, vivendo isso no dia a dia, ajudando em outros grandes projetos de outras pistas que foram construídas pelo sul do Brasil, hoje temos alguns dos melhores skatistas do país“, conta Teko.

Gustavo Picaski duranto STU, em Criciuma (SC)> Foto: Arquivo Pessoal.

A pista que haviam feito antes, deve ter sido um projeto que pegaram na internet, foi uma obra mal executada, dinheiro e energia gasto, poderiam ter feito uma pista boa e não fizeram. Não devem ter consultado nem conversado com nenhum skatista“, lamenta Teko com a primeira pista feita na cidade. Após 7 anos, a ladainha contada por Teko foi uma saga para chegar até a assinatura e a concretização do projeto.

Quando verificaram o valor que a prefeitura disponibilizava para o projeto, era um valor muito baixo, isso lá em 2017, foi então que começou a ‘empreitada’. “Eram apenas em torno de R$ 80 mil reais, que vimos que não dava pra fazer uma pista como deveria. O Norton (Evald – diretor de Esportes de Imbituba) foi uma chave muito importante que abriu algumas portas na prefeitura e em seus órgãos“, conta Teko.

Foi então, que surgiu a possibilidade de buscar verbas federais para o esporte. “A prefeitura então, comprou o projeto e fomos conversar com o assessor do Deputado Federal Daniel Freitas, e precisavamos de um vereador também, e era ano de eleição. Antes da eleição do vereador Michel Nunes, o Peninha, conseguimos os apoio dele. Após a eleição, conseguimos através deles R$ 800 mil reais e a prefeitura deu a contra-partida“, conta Picaski.

Houve muita história neste tempo todo. Ouvimos até piadinha que não conseguiriamos trazer a verba. Foram muitas reuniões, muito desgaste, conversa, convence, mas, recebemos muito apoio, de pessoas e empresas, como o Leo, da Eduardo Skate e Surf Shop, que foi imprescindível. Quem trabalhou de verdade, sabemos que partipou, e quem não participou de tudo isso!!“, desabafa Teko Picaski.

Tivemos que conversar com meio mundo pra fazer esta pista, e quando apresentamos a verba tudo mudou. A Caixa Economica atrasou muito também, mas eu sou do esporte, sou pai de skatista, já andei de skate também, surfista, e pra nós é uma conquista muito forte. E hoje eu corro atrás pela galera, todo mundo merece ter uma pista dessa na cidade. Ter que levar meu filho, duas, três vezes à Floripa, pra treinar, é custoso, sem contar as viagens para campeonatos pelo Brasil. Os skatistas de Imbituba mereciam isso“, conta Teko.

Sobre críticas que o projeto da nova pista recebeu, Teko foi entático, “O dinheiro dessas verbas tem que ser gastas com o esporte, não são destinadas pra fazer ruas etc. Ouvimos muitas críticas sobre isso, mas tem que ser gasto com o esporte!! Se não vai ficar lá parada. Era, inclusive, um valor para outra cidade, mas, o deputado conveceu para que viesse pra Imbituba“, finaliza Teko.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *