20 de abril de 2024

ISA Games 2024 de Surfe: programação e onde assistir

0

Surfistas de todo o mundo irão competir na última oportunidade de assegurar um lugar nos próximos Jogos. Estarão em disputa vagas individuais e para o Comitê Olímpico Nacional com a melhor equipe na classificação geral em cada gênero. Conheça os atletas brasileiros no torneio. Acompanhe as ações ao vivo, desde Porto Rico, através do Olympic Channel

Surfistas de todo o mundo irão competir na última oportunidade de assegurar um lugar nos próximos Jogos. Estarão em disputa vagas individuais e para o Comitê Olímpico Nacional com a melhor equipe na classificação geral em cada gênero. Conheça os atletas brasileiros e portugueses no torneio. Acompanhe as ações ao vivo, desde Porto Rico, através do Olympic Channel

Resta ao último evento do sistema de classificação do surfe, os Jogos Mundiais de Surfe ISA 2024 (sigla em inglês para Associação Internacional de Surfe – International Surfing Association), determinar os atletas da modalidade que vão disputar os Jogos Olímpicos Paris 2024.

Os melhores do mundo, incluindo aqueles que já obtiveram cotas provisórias, estão a caminho de Porto Rico, não só a fim de conquistar o título mundial, como também assegurar as vagas restantes e ajudar seus companheiros para fazerem parte da delegação de cada país nos Jogos.

Mais de 50 países são esperados em Porto Rico, com as Ilhas Virgens Britânicas fazendo sua estreia internacional no surfe.

Os Jogos Mundiais de Surfe ISA 2024 acontecem no recife de Margara (Porto Rico), de 23 de fevereiro a 3 de março, com os destinos Olímpicos de grandes estrelas do surfe, incluindo o brasileiro Gabriel Medina, a australiana Sally Fitzgibbons e Rio Waida, da Indonésia, sendo decididos nas ondas.

Você poderá acompanhar todas as ações ao vivo no Olympic Channel via Olympics.com, e também no aplicativo oficial das Olimpíadas.

Catorze vagas individuais (oito no feminino e seis no masculino), mais duas (uma em cada gênero) para o Comitê Olímpico Nacional melhor classificado – no somatório dos resultados de toda a equipe –  estarão em jogo em Porto Rico.

Um Comitê Olímpico Nacional (CON) poderá ter, como máximo, quatro representantes nos próximos Jogos Olímpicos, dois em cada gênero. Este número poderá ser de três (por gênero), com a vaga sendo direcionada ao Comitê Olímpico Nacional (CON) com a melhor equipe colocada nos Jogos Mundiais de Surfe ISA 2024.

Ou seja, para os atletas que já asseguraram provisoriamente as vagas, as apostas ainda serão altas, pois tentarão conseguir uma vaga extra para seus companheiros.

Continue a leitura para descobrir o que é preciso saber sobre os Jogos Mundiais de Surfe ISA 2024, incluindo programação, formato, principais estrelas e como assistir à competição ao vivo.

Jogos Mundiais de Surfe ISA 2024: o anfitrião Porto Rico e o recife de Margara

As ações dos Jogos Mundiais de Surfe ISA 2024 acontecerão na costa norte de Porto Rico, em Arecibo.

O país já sediou vários eventos da Associação Internacional de Surfe (sigla ISA em inglês) no passado, incluindo os Campeonatos Mundiais de 1966 e 1988 e, mais recentemente, o Campeonato Mundial de SUP (Stand Up Paddle) e Paddleboard em 2022.

O recife local é uma das ondas mais poderosas da ilha. Apelidado de “Pipeline Porto-riquenha”, Margara é uma das barreiras mais pesadas do Oceano Atlântico. Seus recifes gêmeos, El Pico e Rastrial, dividem-se à direita e à esquerda, mas tendem a favorecer para a esquerda.

Esta escolha pela onda é um ponto de partida das quebras mais seguras onde os Jogos Mundiais da ISA foram realizados nos últimos anos. Em homenagem à próxima competição Olímpica para a qual os surfistas estão tentando obter uma, Margara é um dos locais mais desafiadores e promete dar aos vencedores uma amostra do desafio que terão pela frente em Paris 2024, no Taiti.

De Porto Rico a Paris 2024

Catorze cotas individuais para Paris 2024 estão em jogo na competição – seis para os homens e oito para as mulheres.

As outras vagas individuais foram alocadas anteriormente por meio dos Jogos Mundiais de Surfe ISA 2023, do Championship Tour da Liga Mundial de Surfe (WSL) de 2023 e dos Jogos Pan-Americanos Santiago 2023.

Os surfistas que não receberam cotas provisórias no ano passado ganharão cotas para seus respectivos CONs em Porto Rico. Além das vagas individuais, serão disponibilizadas em Porto Rico duas cotas por equipes, uma para homens e outra para mulheres.

Um Comitê Olímpico Nacional (CON) poderá ter, como máximo, quatro representantes nos próximos Jogos Olímpicos, dois em cada gênero. Este número poderá ser de três (por gênero), com a vaga sendo direcionada à equipe do CON melhor colocada nos Jogos Mundiais de Surfe ISA 2024.

Os pontos dos diferentes membros da equipe serão combinados para determinar as equipes masculina e feminina vencedoras, que poderão então levar um terceiro surfista extra para Paris 2024.

Os homens japoneses e as mulheres dos Estados Unidos conquistaram esta vaga adicional para suas equipes nos Jogos Mundiais de Surfe ISA 2022. Se essas equipes voltarem a vencer novamente, aquelas com a segunda melhor classificação receberão as vagas extras.

Duas vagas pelo princípio da universalidade, escolhidos pela Comissão Tripartite dos Jogos Olímpicos, completarão a lista de 24 surfistas homens e 24 mulheres que irão competir em Paris 2024.

Os Comitês Olímpicos Nacionais (CONs) têm autoridade exclusiva sobre a representação de seus respectivos países nos Jogos Olímpicos, por isso a participação dos atletas em Paris 2024 depende, portanto, de seus CONs selecioná-los para fazerem parte da delegação para os Jogos.

Clique aqui para ver o sistema oficial de qualificação de cada esporte.

Atletas para ficar de olho

Todos, exceto um dos surfistas que receberam vagas provisórias em 2023, disputarão os Jogos Mundiais de Surfe ISA 2024, destacando o alto nível da competição.

O brasileiro João Chianca, o “Chumbinho”, obteve a vaga através da temporada 2023 do CT, mas sofreu um grave acidente em dezembro e não vai competir em Porto Rico por motivos médicos.

Apesar de sua ausência, os brasileiros continuam sendo fortes na disputa por equipes, com o tricampeão mundial Gabriel Medina, o talentoso Yago Dora, além do atual bicampeão do CT, Filipe Toledo, que anunciou recentemente o seu afastamento da temporada 2024 da WSL para se concentrar em Paris 2024.

As apostas são altas para Medina e Dora, cujas chances de irem a Paris 2024 podem ser altas caso o Brasil consiga obter uma vaga extra na competição masculina por equipes.

O principal adversário do Brasil nessa vaga por equipes entre os homens são os Estados Unidos. A estrela da temporada passada do surfe internacional, Griffin Colapinto, e o bicampeão da WSL, John John Florence, já têm cotas provisórias e tentarão ajudar Barron Mamiya a se juntar a eles na delegação em Teahupo’o.

Mamiya por si só é uma verdadeira força, a caminho de Porto Rico após sua vitória na etapa de abertura do CT da WSL 2024 em Pipeline, no Havaí. A também norte-americana Caitlin Simmers venceu o evento feminino na abertura da temporada 2024 do CT da WSL em Pipeline, depois da quarta colocação geral em 2023.

Graças às mulheres dos Estados Unidos, que conquistaram a terceira vaga em Paris 2024 através dos Jogos Mundiais de Surfe ISA 2022, Simmers parece uma provável candidata para se juntar à campeã Olímpica Carissa Moore e à campeã do CT de 2023, Caroline Marks, em Teahupo’o nos próximos Jogos Olímpicos. No entanto, primeiro ela precisa provar seu valor em Porto Rico.

Como os EUA já têm a terceira vaga entre as mulheres, a pressão será em cima dos outros times para poderem contar com uma surfista extra em Paris 2024. Austrália e Japão são fortes candidatos.

Duas mulheres australianas já estão na lista provisória para Paris 2024. Tyler Wright, cujo irmão mais velho, Owen, conquistou o bronze no torneio masculino do surfe em Tóquio 2020, e a estrela em ascensão Molly Picklum, que recentemente se tornou a primeira mulher a marcar um 10 perfeito em Pipeline.

No momento, a tricampeã dos Jogos Mundiais de Surfe ISA, Sally Fitzgibbons, ainda não obteve a vaga Olímpica, mas isso pode mudar com a ajuda de suas companheiras de time em Porto Rico. O Japão também é uma equipe sólida em todos os aspectos, com Maeda Mahina e a medalhista Olímpica de bronze Tsuzuki Amuro esperando se juntar à Matsuda Shino, que obteve a vaga provisória no Taiti através do classificatório asiático.

Sky Brown (GBR) é outro grande nome para ficar de olho. A medalhista Olímpica do skate tentará se tornar a primeira atleta a obter uma vaga em Paris 2024 tanto no surfe quanto no skate, naquela que será sua primeira participação em Jogos Mundiais de Surf da ISA.

Juntamente com Brown, de 15 anos, a geração mais jovem de surfistas terá uma uma grande representação em Porto Rico, através da sensação canadense da internet, Erin Brooks, de 16 anos; e de Tiara van der Huls, dos Países Baixos, de 17 anos, revelação nos Jogos Mundiais de Surfe ISA 2023.

Espere também uma forte exibição dos surfistas sul-americanos em Porto Rico. Miguel Tudela (PER) pretende dar continuidade à forte representação do seu país no surfe em Jogos Olímpicos, ao lado do bicampeão dos Jogos Pan-Americanos, seu compatriota Lucca Messinas.

Do lado feminino, Luana Silva é a jovem estrela brasileira, seguindo os passos da campeã dos Jogos Mundiais de Surfe de 2023, Tatiana Weston-Webb, enquanto Leilani McGonagle (CRC) tem grandes esperanças de sua segunda participação Olímpica depois de aprimorar suas habilidades durante intenso treinamento realizado no Taiti em julho de 2023.

Rio Waida, da Indonésia, e Ramzi Boukhiam, do Marrocos, ficaram em 2023 por muito pouco de obterem suas vagas para Paris 2023. Por conta disso, chegam na reta decisiva de classificação para os Jogos Olímpicos como grandes favoritos.

Seleção Brasileira

O Brasil contará com seis atletas em Porto Rico. O time feminino será composto por:

  • Tatiana Weston-Webb
  • Luana Silva
  • Tainá Hinckel

O Brasil já assegurou uma vaga em Paris 2024 no feminino, com Tatiana Weston-Webb, através da temporada 2023 do CT da WSL. Há a possibilidade de obter mais vagas pela competição individual (8 atletas) e pela disputa por equipes.

Entre os homens, o time brasileiro contará com:

  • Gabriel Medina
  • Filipe Toledo
  • Yago Dora

O surfe brasileiro já obteve duas vagas em Paris 2024 no masculino com Filipe Toledo e João Chianca, o “Chumbinho”, através da temporada 2023 do CT da WSL. Uma terceira vaga em Paris 2024 no masculino poderá ser obtida, dependendo do desempenho da equipe brasileira em Porto Rico.

Chianca, afastado de competir em Porto Rico por ordem médica após acidente em dezembro, será substituído por Yago Dora.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *