3 de março de 2024

Leo Casal e Sol Aguirre chegam as semifinais do Mundial Junior da WSL na Califórnia  

0

O catarinense vai enfrentar o havaiano Jackson Bunch, a adversária da peruana será a americana Zoe Benedetto, três surfistas do Brasil perderam nas quartas de final e as semifinais acontecem às 7h15 deste sábado nos EUA, 12h15 no Brasil

Leo Casal pode aumentar para 10 o recorde de títulos do Brasil no Mundial Junior (Crédito da Foto: @WSL / Kenny Morris)

O brasileiro Leo Casal e a peruana Sol Aguirre seguem na disputa dos principais títulos das categorias de base no mundo. Na sexta-feira de boas ondas em Oceanside Pier, eles chegaram nas semifinais do SAMBAZON World Junior Championships organizado por Best Western na Califórnia, Estados Unidos. Leo vai tentar aumentar para 10 o recorde de títulos do Brasil no Mundial Junior da World Surf League e Sol pode ser a primeira campeã da América do Sul nesta categoria Sub-20. Os últimos títulos mundiais de 2023 da WSL serão decididos neste sábado, ao vivo de Oceanside pelo WorldSurfLeague.com.

A primeira chamada para as semifinais será as 7h15 na Califórnia, 12h15 no fuso horário de Brasília. A peruana Sol Aguirre vai enfrentar a norte-americana Zoe Benedetto na disputa pela primeira vaga na grande final do SAMBAZON World Junior Championships. Já o catarinense Leo Casal está na segunda semifinal com o havaiano Jackson Bunch. O brasileiro barrou o campeão mundial Junior do ano passado, Jarvis Earle, da Austrália. Depois, Sol derrotou a canadense Erin Brooks, campeã do Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil, que fechou o Challenger Series 2023 na Praia de Itaúna.

Erin Brooks era uma forte concorrente ao título e foi barrada por Sol Aguirre (Crédito da Foto: @WSL / Kenny Morris)

Os semifinalistas da categoria masculina foram os primeiros a ser definidos. O Brasil perdeu os dois confrontos diretos com os Estados Unidos que abriram as quartas de final, com Ryan Kainalo e Heitor Mueller terminando em quinto lugar no SAMBAZON World Junior Championships 2023. Leo Casal entrou na terceira bateria, numa hora que o mar estava em transformação, sem tantas ondas boas. Mas, o catarinense começou melhor numa direita, que rendeu duas manobras e uma nota 5,67. 

O campeão mundial Jarvis Earle falhou nas suas primeiras ondas, mas acertou um aéreo reverse numa esquerda, que valeu 4,23. Leo Casal também pega uma esquerda para fazer batidas, rasgadas e até um aéreo de frontside. O brasileiro recebe nota 6,43 e abre 7,87 pontos de vantagem sobre o australiano. Ele passou a marcá-lo de perto e o máximo que Jarvis Earle conseguiu foi 5,57, com Leo Casal confirmando o Brasil nas semifinais por uma tranquila diferença de 12,10 a 9,84 pontos.

Leo Casal conquistando a única vitória brasileira nas quartas de final. Foto: @WSL / Kenny Morris)

“As ondas já não estavam tão boas. Ontem (quinta-feira) estavam bem maiores, mas hoje ficou parecido com o Brasil, onde surfamos muitos beach breaks (fundos de areia) com ondas até menores do que essas”, destacou Leo Casal“Já sou acostumado a surfar ondas assim, então estou muito feliz de ter avançado para as semifinais. Não foi fácil chegar até aqui, eu tenho batalhado muito nas baterias, mas confio no meu surfe e vamos pra cima, porque amanhã é Finals Day (dia das finais)”
 
PERU NAS SEMIFINAIS – Duas baterias depois da única vitória brasileira nas quartas de final masculinas, Sol Aguirre confirmou o Peru nas semifinais derrubando uma das favoritas ao título do SAMBAZON World Junior Championships. A peruana começou bem numa direita, que formou a parede para mandar dois snaps abrindo grandes leques de água, um roundhouse e uma batida na junção. Ela largou na frente com nota 7,00 e liderou toda a bateria. A canadense Erin Brooks deu trabalho e reagiu nos minutos finais, com notas 6,00 e 5,10, mas Sol Aguirre somou um 4,27 que garantiu a vitória por 11,27 a 11,10 pontos.

Sol Aguirre mostrando a verticalidade do seu backside nas esquerdas de Oceanside. Foto: @WSL/Kenny Morris)

“Foi uma bateria incrível e estou exausta. A Erin (Brooks) não parava de remar e eu queria que terminasse logo (risos). Eu queria romper essa barreira das quartas de final que fiquei nos últimos anos, então estou muito feliz por ter conseguido e quero ir mais longe ainda”, prometeu Sol Aguirre, que tem um recorde de incríveis quatro títulos sul-americanos da categoria Pro Junior Sub-20 da WSL South America. “Eu acho que a nota 7 no início da bateria me deu uma grande vantagem. Tive muita sorte porque o mar ficou flat (sem ondas) por um tempo, então deu tudo certo para mim hoje e espero que continue assim”.
  
DERROTAS BRASILEIRAS – Sol Aguirre já havia surfado muito bem nas oitavas de final, que abriram a sexta-feira de boas ondas de 3-4 pés em Oceanside Pier. Ela competiu na segunda bateria do dia e derrotou a havaiana Eweleiula Wong por 13,23 a 11,33 pontos, também somando uma nota 7,0 da sua melhor onda. A brasileira Laura Raupp, que na quarta-feira conseguiu a maior nota da categoria feminina – 9,0 – no SAMBAZON World Junior Championships 2023, repetiu o bom desempenho nas direitas de Oceanside. Ela somou notas 7,33 e 7,27 na vitória sobre a japonesa Nanaho Tsuzuki.

Laura Raupp perdeu um duelo de recordistas com a australiana Sierra Kerr. Foto: @WSL / Kenny Morris)

Nas quartas de final, Laura Raupp começou bem com suas manobras de frontside nas direitas também, fazendo grandes arcos para largar na frente com nota 7,0. Ela enfrentava a cabeça de chave número 1 do campeonato e Sierra Kerr demorou para surfar. A australiana só pegou sua primeira onda aos 12 minutos e detonou uma direita com três batidas e rasgadas executadas com pressão e velocidade, que arrancaram nota 8,67 dos juízes. Laura Raupp seguia na frente, até Sierra Kerr surfar sua segunda onda, outra direita boa destruída por uma série de quatro manobras potentes de frontside. Ela ganhou 8,87 nessa onda, registrando um novo recorde feminino de 17,54 pontos, contra 12,50 da brasileira.

EUA 2 X 0 BRASIL – Com a derrota, Laura Raupp repetiu o quinto lugar no SAMBAZON World Junior Championships do ano passado em San Diego, também na Califórnia. Na mesma posição, ficaram o campeão e vice-campeão sul-americano Pro Junior Sub-20 da WSL South America em 2023, Ryan Kainalo e Heitor Mueller, respectivamente. Eles acabaram perdendo para os dois únicos norte-americanos que se classificaram para as quartas de final na quinta-feira. Enquanto o Brasil é recordista com 9 títulos nas 22 edições do Mundial Junior da WSL, os Estados Unidos ainda não têm nenhum campeão na lista da categoria masculina.

Heitor Mueller ficou em quinto lugar em sua estreia no Mundial Junior da WSL. Foto: @WSL/Kenny Morris)

Heitor Mueller enfrentou o vice-campeão mundial do ano passado, Levi Slawson, que usou os aéreos de frontside nas direitas para liquidar o catarinense. O norte-americano começou com nota 7,83, ganhou 8,83 na segunda e só surfou mais uma, mostrando a potência do seu backside numa esquerda para somar 8,53 no maior placar das quartas de final masculinas, 17,36 a 12,34 pontos. Ryan Kainalo entrou na bateria seguinte com Jett Schilling. A disputa foi equilibrada, quase onda a onda, com o paulista de Ubatuba começando nas direitas e o californiano nas esquerdas. O primeiro terço dos 30 minutos da bateria mostrou isso, com Jett Schilling na frente por 12,93 a 12,27 pontos apenas.

O campeão sul-americano então pegou a sua primeira esquerda e mandou três ataques explosivos de backside, com batidas verticais de cabeça pra baixo. Os juízes deram nota 8,17 e Ryan Kainalo abria assim, uma boa vantagem de 7,12 sobre o norte-americano. Mas, 3 minutos depois, Jett Schilling também acha uma esquerda para fazer quatro manobras e receber 7,50. O ubatubense fica precisando de 6,66 para vencer e nos últimos segundos pega uma direita, inicia com uma rasgada jogando água pra cima, faz mais um slash e finaliza com uma batida forte na junção. A nota demora um pouco a ser divulgada, mas sai 6,03 e Jett Schilling se classifica por 14,83 a 14,44 pontos do Ryan Kainalo.

Ryan Kainalo tirou a maior nota da bateria e perdeu por décimos de diferença. Foto: @WSL/Kenny Morris)

O SAMBAZON World Junior Championships organizado por Best Western decide os últimos títulos mundiais de 2023 da World Surf League, com patrocínio da SAMBAZON, Best Western, Cup Noodles, Visit Oceanside, Original Sprout, Sun Diego, Boxed Water, Board na Brew e Tractor Beverage.

A competição está sendo transmitida ao vivo dos Estados Unidos pelo WorldSurfLeague.com e pelo Aplicativo e Canal da WSL no YouTube. O fuso horário da Califórnia é de 5 horas a menos do de Brasília, então a primeira chamada do sábado marcada às 7h15 em Oceanside, serão 12h15 no Brasil.

SEMIFINAIS DO SAMBAZON WORLD JUNIOR 2023:

CATEGORIA MASCULINA – Derrota=3.o lugar com US$ 2.500:
1.a: Levi Slawson (EUA) x Jett Schilling (EUA)
2.a: Leo Casal (BRA) x Jackson Bunch (HAV)

CATEGORIA FEMININA – Derrota=3.o lugar com US$ 2.500:
1.a: Sol Aguirre (PER) x Zoe Benedetto (EUA)
2.a: Sierra Kerr (AUS) x Talia Swindal (EUA)

RESULTADOS DA SEXTA-FEIRA EM OCEANSIDE PIER:

QUARTAS DE FINAL – Derrota=5.o lugar com US$ 2.000:
1.a: Levi Slawson (EUA) 17,36 x 12,34 Heitor Mueller (BRA)
2.a: Jett Schilling (EUA) 14,83 x 14,44 Ryan Kainalo (BRA)
3.a: Leo Casal (BRA) 12,10 x 9,84 Jarvis Earle (AUS)
4.a: Jackson Bunch (HAV) 15,43 x 13,20 Joel Vaughan (AUS)

QUARTAS DE FINAL – Derrota=5.o lugar com US$ 2.000:
1.a: Sol Aguirre (PER) 11,27 x 11,10 Erin Brooks (CAN)
2.a: Zoe Benedetto (EUA) 10,67 x 9,86 Annette Gonzalez Etxabarri (ESP)
3.a: Sierra Kerr (AUS) 17,54 x 12,50 Laura Raupp (BRA)
4.a: Talia Swindal (EUA) 15,50 x 7,57 Bella Kenworthy (EUA)

OITAVAS DE FINAL – Derrota=9.o lugar com US$ 1.500:
1.a: Erin Brooks (CAN) 13,83 x 5,63 Noah Klapp (ALE)
2.a: Sol Aguirre (PER) 13,23 x 11,33 Eweleiula Wong (HAV)
3.a: Annette Gonzalez Etxabarri (ESP) 15,67 x 14,13 Ellie Harrison (AUS)
4.a: Zoe Benedetto (EUA) 11,84 x 10,87 Nora Liotta (HAV)
5.a: Sierra Kerr (AUS) 15,17 x 10,17 Keira Buckpitt (AUS)
6.a: Laura Raupp (BRA) 14,60 x 10,33 Nanaho Tsuzuki (JPN)
7.a: Bella Kenworthy (EUA) 12,83 x 9,77 Louise Lepront (AFR)
8.a: Talia Swindal (EUA) 14,50 x 12,76 Zahli Kelly (AUS)

Fonte: João Carvalho – WSL Latin America Media Manager

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *