28 de fevereiro de 2024

Quiksilver Pro France estreia nesta madrugada desta quarta para quinta

0

Com a liderança do brasileiro Gabriel Medina, o Tour Mundial chega a França, onde sempre rolam boas ondas e grandes confrontos no beach break de Hossegor . Alguns dos tubos mais pesados podem ser esperados, e esta é uma das etapas mais alegres e competitivas do Mundial de Surf da WSL. Chamada por volta da 04 horas da madruga desta quinta feira (03)

Alguma perfeição francesa em Hossegor. WSL/Damiel Poullenot.

Com o Quiksilver e o Roxy Pro France chegando em Hossegor de 3 a 13 de outubro, Julian Wilson e Courtney Conlogue tentarão defender suas vitórias no evento no ano passado. No entanto, Gabriel Medina e Carissa Moore estão entrando no evento usando a lycra amarela e, com várias vitórias na França, são ameaças que Wilson e Conlogue precisarão superar.

E depois, claro, há Kelly Slater . Embora Kelly não ganhe o evento desde 2012, e atualmente ocupe o 10º lugar no ranking da WSL, ele tem um forte histórico em Hossegor. Se os tubos forem profundos e ocos, o tantas vezes Campeão pode ser perigoso na França. A cidade de Hossegor fica no sudoeste da França, na costa atlântica, e é conhecida por seus cafés, praças arejadas à beira-mar e tubos ocos e quebradores. La Graviere, o local do evento principal, é considerado um dos pontos mais importantes da Europa.

Embora a França seja conhecida por tubos pesados, Julian Wilson ainda encontra tempo para voar. Foto: Laurent Masurel/WSL

Este trecho de 225 km de praia de areia dourada se estende da foz do Gironde, no norte, até Anglet, no sul. Embora o verão produza ondas mais gentis e acessíveis para qualquer um desfrutar, o outono é quando os barrels são mais frequentes. Quando as fortes ondas Westerly avançam em direção a Hossegor, La Graviere produz tubos secos, pesados ​​e ocos de até 9 metros que podem acabar até os caçadores de tubos mais experientes.

As fortes ondas que atingem a costa de Hossegor devem-se, em parte, a um profundo cânion subaquático que afunila para a costa – semelhante a locais como Nazaré e Puerto Escondido. Os homens competem no Pro France desde 1987 e as mulheres desde 1992. Os australianos dominaram as competições com 13 vitórias acumulativas para os homens e 17 para as mulheres.

Para assistir ao vivo acesse aqui

Baterias do Quiksilver Pro France 2019 em Hossegor

Primeira fase masculina
1 Kanoa Igarashi (JPO), Grin Colapinto (EUA), Soli Bailey (AUS)
2 Italo Ferreira (BRA), Caio Ibelli (BRA), Frederico Morais (POR)
3 Kolohe Andino (EUA), Yago Dora (BRA), Leonardo Fioravanti (ITA)
4 Jordy Smith (AFR), Sebastian Zietz (HAV), Jorgann Couzinet (FRA)
Filipe Toledo (BRA), Joan Duru (FRA), Marc Lacomare (FRA)
Gabriel Medina (BRA), Michael Rodrigues (BRA), Marco Mignot (FRA)
7 Owen Wright (AUS), Willian Cardoso (BRA), Ricardo Christie (NZL)
8 Julian Wilson (AUS), Adrian Buchan (AUS), Jadson André (BRA)
9 Kelly Slater (EUA), Conner Con (EUA), Jessé Mendes (BRA)
10 Seth Moniz (HAV), Wade Carmichael (AUS), Ezekiel Lau (HAV)
11 Ryan Callinan (AUS), Deivid Silva (BRA), Peterson Crisanto (BRA)
12 Michel Bourez (FRA), Jeremy Flores (FRA), Jack Freestone (AUS)

Primeira fase feminina
1 Sally Fitzgibbons (AUS), Brisa Hennessy (COS), Paige Hareb (NZL)
2 Lakey Peterson (EUA), Bronte Macaulay (AUS), Macy Callaghan (AUS)
3 Carissa Moore (HAV), Nikki Van Dijk (AUS), Vahine Fierro (FRA)
4 Stephanie Gilmore (AUS), Johanne Defay (FRA), Keely Andrew (AUS)
5 Caroline Marks (EUA), Tatiana Weston-Webb (BRA), Coco Ho (HAV)
6 Courtney Conlogue (USA), Malia Manuel (HAV), Silvana Lima (BRA)

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *