19 de maio de 2024

Samuel vence o duelo decisivo dos irmãos Pupo no Margaret River Pro

0

Miguel Pupo acabou cortado da elite com a derrota e Gabriel Medina foi barrado por John John Florence. Apenas quatro baterias aconteceram na sexta-feira e mais dois brasileiros vão disputar as oitavas de final

Samuel Pupo conquistou a única vitória brasileira na sexta-feira. Foto: @WSL/Beatriz Ryder.

Western Australia Margaret River Pro iniciou as oitavas de final na sexta-feira, mas só rolaram quatro baterias e as outras quatro ficaram para abrir o próximo dia. As condições do mar estavam difíceis para competir, com poucas ondas entrando nas baterias. Gabriel Medina perdeu a primeira de virada, na última onda surfada por John John Florence. Na sequência, aconteceu o duelo decisivo dos irmãos Pupo e Samuel venceu, com Miguel sendo cortado da elite do World Surf League (WSL) Championship Tour (CT) com a derrota.

“Desculpa, não estou conseguindo falar direito. Sem ele (Miguel Pupo), eu não estaria nem perto de onde estou hoje, então pra mim, essa vitória foi longe de ser uma vitória”, disse Samuel Pupo, sem conseguir segurar o choro de emoção. “Tudo o que ele fez por mim a vida inteira, pra nossa família, pra todo mundo, não tem preço. Por isso que pra mim é tão difícil, porque sem ele talvez eu nem estaria aqui, então é difícil esse momento. Eu devo tudo a ele e acho que é isso”.

Samuca já saiu chorando do mar após a vitória mais sofrida da carreira. Foto: @WSL/Aaron Hughes.

Foi uma bateria bem fraca de ondas. Samuel pegou a primeira e recebeu nota 5,00, com Miguel vindo na de trás e começando na frente, com 5,50. Depois, Samuca só surfou mais uma, que abriu uma parede mais em pé para fazer mais manobras, que arrancaram nota 8,00 dos juízes. Miguel ainda tentou a vitória em mais duas ondas, porém só conseguiu notas 4,60 e 4,27, com Samuca vencendo por 13,00 a 10,10 pontos. Foi um momento emocionante e, ainda dentro d´água, ele chorou nos ombros do Miguel, que mais tarde se manifestou em sua mídia social.

“Sabíamos que seria um dia difícil para nossa família, mas a história ainda não acabou e esse foi só mais um capítulo”, escreveu Miguel Pupo, no seu Instagram @miguelpuposurf. “Deus me deu a missão de pegar o legado do meu pai (Wagner Pupo) e expandir os caminhos para nossa caçula (Samuel) chegar aonde chegou. Orgulho de você @samuel_pupo. Obrigado a todos pela torcida, mensagens e carinho. O ano está apenas começando e seguimos na luta”.

Miguel Pupo eliminado em uma bateria de poucas ondas em Main Break. Foto: @WSL/Beatriz Ryder.

Enquanto Miguel Pupo já se prepara para tentar recuperar a vaga na elite pelo Challenger Series, que começa com duas etapas seguidas na Austrália, Samuel Pupo foi dormir a sexta-feira em 22.o lugar no ranking. No desempate, ele supera Seth Moniz nesta última posição no grupo dos que serão mantidos na elite, já com vaga garantida no CT 2025. Mas, o havaiano ainda vai enfrentar o australiano Ethan Ewing, no duelo que ficou para abrir o próximo dia. 

Se vencer o vice-campeão mundial e vice-líder no ranking de 2024, Seth Moniz sobe para a 17.a posição, joga Samuel Pupo para o 23.o lugar e Yago Dora para 22.o, passando a ser o ameaçado de ser cortado da elite. Aí Samuca terá que passar para as semifinais para ultrapassá-lo, ou seja, derrotar John John Florence para confirmar sua permanência para o restante da temporada 2024 do CT. Se Seth Moniz perder, Samuca fica na 22.a colocação, porém ainda ameaçado por outro brasileiro.

Gabriel Medina foi o outro brasileiro que competiu na sexta-feira. Foto: @WSL/Beatriz Ryder.

Caio Ibelli já necessita chegar nas semifinais para entrar no grupo dos top-22, ultrapassando Yago Dora. Se conseguir passar pelo sul-africano Jordy Smith no sexto duelo das oitavas de final, Caio ainda terá que derrotar o vencedor do confronto entre Ethan Ewing e Seth Moniz. Depois, ainda tem o campeão mundial de 2019 e primeiro medalha de ouro da história do surfe nas Olimpíadas, Italo Ferreira, fechando as oitavas de final com o campeão do Margaret River Pro em 2022, Jack Robinson.

Italo já está garantido entre os top-22, assim como Gabriel Medina e Tatiana Weston-Webb. O tricampeão mundial competiu na primeira bateria da sexta-feira em Main Break. Foi um confronto de campeões mundiais com John John Florence e Medina começou forte, com seu ataque de backside ganhando notas 5,83 e 7,83 nas duas primeiras ondas que surfou. O havaiano conseguiu um 7,00 e precisava de 6,67 para vencer, quando pegou uma onda no minuto final da bateria. John John fez duas manobras e recebeu 6,90, virando o placar para 13,90 a 13,66 pontos do Gabriel Medina.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *