20 de abril de 2024

Señoritas Open Pro termina em festa peruana com três vitórias e uma do Brasil

0

Foram três decisões 100% peruanas e uma só de brasileiros, Daniella Rosas e Alonso Correa foram campeões do QS 1000 e Arena Rodrigues e Rodrigo Saldanha venceram o Pro Junior

Os campeões Aloonso Correa, Daniella Rosas, Arena Rodriguez e Rodrigo Saldanha. Foto: Lorenzo Bazo/RDV Surf.

O Billabong Señoritas Open Pro terminou com festa peruana nas esquerdas perfeitas da Playa Señoritas, em Punta Hermosa, Lima, no Peru. Foram três decisões 100% peruanas, com Daniella Rosas, 22 anos, e Alonso Correa, 26, ganhando os principais títulos da etapa do World Surf League (WSL) Qualifying Series (QS). As finais foram contra Sol Aguirre, 20 anos, e Cristobal de Col, 30. A outra decisão peruana foi a do Pro Junior feminino, com Arena Rodriguez Vargas, 18 anos, derrotando Kalea Gervasi, 19. O Brasil decidiu o título masculino desta categoria Sub-20, com Rodrigo Saldanha, 19, superando o mais jovem dos finalistas, Guilherme Ferreira, 16 anos. 

“Estou superfeliz de fazer essa final com a Sol (Aguirre) e ter uma final peruana em casa, é incrível”, disse Daniella Rosas, recordista com três títulos sul-americanos da World Surf League. “Começar o ano ganhando o primeiro campeonato, é o resultado de todo o trabalho que venho fazendo e por todo o apoio que tenho da minha família, meus patrocinadores e minha equipe. Não tive uma boa temporada passada, mas começar o ano assim, não tem preço. Foi um campeonato difícil, eu tive que lutar todas as baterias, porque as meninas estão surfando muito bem e fazer a final com a Sol foi incrível, porque uma puxa o nível da outra e seguimos evoluindo”.

A vitória no Billabong Señoritas Open Pro, foi a sexta da carreira da Daniella Rosas em etapas do WSL Qualifying Series e a primeira no Peru. Já Alonso Correa festejou seu primeiro título em casa, em um QS 1000 realizado em San Bartolo, em 2018. A sua outra única vitória foi conseguida no ano passado, na etapa das Ilhas Galápagos, no Equador. Ele vinha fazendo as melhores apresentações no sábado decisivo, ganhando as maiores notas do QS 1000, 8,00 nas quartas de final e 7,83 nas semifinais. Na grande final, Alonso Correa conseguiu um 7,50, que decidiu a vitória sobre Cristobal de Col.

Alonso Correa fez as melhores apresentações do sábado no QS 1000. Foto: Lorenzo Bazo/RDV Surf.

“Estou feliz, porque foi uma final complicada com o Cristobal (de Col), que vinha arrebentando durante todo o campeonato. Eu tentei escolher uma onda boa, para fazer uma boa pontuação e estou feliz por ter conseguido isso”, disse Alonso Correa“Estou feliz por ter surfado bem todo o campeonato, bem sólido. Passei várias baterias até chegar na final e ganhar foi muito bom. Ter o primeiro campeonato do ano no Peru, aqui em Señoritas, foi incrível. E ganhar o evento, certamente dá mais confiança para seguir treinando para os próximos campeonatos”.

 O Billabong Señoritas Open Pro estreou no calendário da World Surf League promovendo o primeiro campeonato do ano na América do Sul. A etapa do QS 1000 foi a penúltima da temporada 2023/2024 da WSL South America, que classifica 7 homens e 3 mulheres para o Challenger Series, circuito de acesso para a elite do World Surf League Championship Tour. A última é o LayBack Pro no Brasil, de 6 a 10 de março na Praia Mole de Florianópolis, em Santa Catarina. O resultado do QS 1000 no Peru, não mudou a lista dos que estão se classificando para o Challenger Series 2024.

Com os 1.000 pontos das vitórias em casa, Alonso Correa subiu da 17.a para a 12.a posição no ranking da WSL South America e Daniella Rosas saltou do 25.o para o 14.o lugar. Os vice-campeões marcaram 800 pontos, com Sol Aguirre indo da 26.a para a 19.a colocação, enquanto Cristobal de Col ganhou mais de 100 posições, saindo do 158.o para o 51.o lugar. A lista dos 7 homens e 3 mulheres continua só com surfistas do Brasil, mas Alonso Correa e Daniella Rosas, bem como Sol Aguirre, ganharam chances matemáticas de brigar por vagas no QS 3000 que vai fechar a temporada 2023/2024 na Ilha de Santa Catarina.

Daniella Rosas festejando a sua primeira vitória em etapas do QS em casa. Foto: Lorenzo Bazo/RDV Surf.

DECISÕES DO QS 1000 – A final do QS 1000 masculino foi a única entre dois goofy-footers, que surfam as esquerdas de Señoritas de frontside, ou seja, de frente para as ondas. Cristobal de Col pegou as duas primeiras ondas, mas Alonso Correa largou na frente com 4,50. Quando Cristobal conseguiu uma onda boa e passou a frente com 4,83, Alonso deu o troco pegando uma melhor, para somar 4,87. Cristobal arrisca um aéreo, não completa, enquanto Alonso ataca forte outra onda boa, com uma série de manobras abrindo grandes leques de água. Os juízes dão nota 7,50 para essa onda e ela acaba confirmando o último título do Billabong Señoritas Open Pro para Alonso Correa, por 12,37 a 7,33 pontos.  

A final feminina do QS 1000 com as duas melhores surfistas do Peru no momento, a atual tricampeã sul-americana da World Surf League, Daniella Rosas, e a também recordista da categoria Pro Junior com quatro títulos sul-americanos, Sol Aguirre, foi mais eletrizante. Daniella começa muito bem, atacando uma boa onda com pancadas verticais que valeram nota 8,50.

A primeira onda da Sol era menor, mas abriu a parede para fazer sete rasgadas e batidas, que arrancaram 8,33 dos juízes. Daniella pegou outra onda boa e arriscou tudo na primeira manobra, completou e foi variando os ataques na onda para ganhar 6,17. Ainda entra outra série de ondas há 2 minutos do fim e Sol Aguirre precisava de 6,35 para vencer, mas só consegue 4,47 e Daniella Rosas conquista o título do QS 1000 por 14,67 a 12,80 pontos.

Arena Rodriguez Vargas conquistou o primeiro título do sábado em casa. Foto: Lorenzo Bazo/RDV Surf.

PRIMEIRA FINAL PERUANA – Antes das vitórias de Daniella Rosas e Alonso Correa, que fecharam o sábado de praia cheia em Punta Hermosa, as decisões do Billabong Señoritas Open Pro já haviam começado com uma final peruana no Pro Junior. Assim como no QS, o Junior também só teve surfistas do Peru desde as semifinais. Destaque para a jovem Catalina Zariquiey, de apenas 14 anos, que ficou em terceiro lugar nas duas competições, da categoria Sub-20 e da profissional. No QS, ela perdeu para Daniella Rosas e na Junior para a vice-campeã sul-americana da WSL South America no ano passado, Kalea Gervasi.

Kalea abriu a primeira decisão de título no sábado com uma série de manobras de frontside que valeram 6,33. Arena Rodriguez Vargas surfava de backside as esquerdas de Señoritas e começou com nota 4,67. Quando restavam 10 minutos para o término, Arena repete o ataque e recebe 4,83 para passar à frente, mas Kalea precisava de pouco para vencer. Arena vem em outra onda e manda uma batida vertical. Kalea pega a de trás, que abre mais para fazer três rasgadas e uma batida na junção. Arena ganhou 5,50 e a da Kalea foi 3,57. Depois, não entraram mais ondas boas e Arena Rodriguez Vargas festeja o primeiro título no Billabong Señoritas Open Pro, por 10,33 a 9,90 pontos.

Os brasileiros Rodrigo Saldanha e Guilherme Ferreira finalistas do Pro Junior. Foto: Lorenzo Bazo/RDV Surf.

DECISÃO BRASILEIRA – Na sequência aconteceu a única decisão sem surfistas do Peru. Na categoria Pro Junior masculina, as quartas de final já tinham seis brasileiros, um peruano e um chileno, mas só deu Brasil nas semifinais. A disputa pela primeira liderança no ranking sul-americano Pro Junior de 2024, ficou entre Rodrigo Saldanha, de São Sebastião (SP), e Guilherme Ferreira, do Rio de Janeiro, em sua primeira final em etapas da WSL.

Rodrigo surfou a primeira onda boa, atacando forte de backside e já começou com uma nota 7,50. Guilherme tenta entrar no jogo, mas erra as manobras que poderiam aumentar as notas. Rodrigo Saldanha começa a arriscar os aéreos e acerta um, para somar 6,50 que praticamente confirma a sua primeira vitória na World Surf League, por 14,00 a 10,20 pontos. 

“Estou me sentindo na Lua. A sensação de ganhar é incrível. Foi o primeiro evento da WSL que eu ganhei e mostra que estou no caminho certo, então estou muito feliz”, disse Rodrigo Saldanha“Eu estava bem focado e instigado pra surfar. A bateria era de 25 minutos, eu sabia que só precisava pegar duas ondas boas e foi o que fiz. Acho que eu competi legal essa bateria e estou muito feliz de poder sair campeão. Señoritas virou um lugar especial pra mim, foi irado em poder competir em condições assim, com ondas perfeitas, que dificilmente a gente tem no Brasil e fico feliz também porque o backside funcionou bem aqui”.

Os finalistas das quatro competições encerradas no sábado em Punta Hermosa. Foto: Lorenzo Bazo/RDV Surf.

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO BILLABONG SEÑORITAS OPEN PRO:

DECISÃO DO TÍTULO DO QS 1000 MASCULINO:
Campeão: Alonso Correa (PER) por 12,37 pts (7,50+4,87) – 1.000 pontos no ranking
2.o lugar: Cristobal de Col (PER) com 7,33 pts (4,83+2,50) – 800 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 650 pontos:
1.a: Alonso Correa (PER) 14,16 x 10,16 Rickson Falcão (BRA)
2.a: Cristobal de Col (PER) 13,67 x 8,00 Leo Casal (BRA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 500 pontos:
1.a: Rickson Falcão (BRA) 9,73 x 9,40 Edgard Groggia (BRA)
2.a: Alonso Correa (PER) 12,10 x 10,16 Juan Diego Rios (PER)
3.a: Cristobal de Col (PER) 13,33 x 12,16 Ryan Kainalo (BRA)
4.a: Leo Casal (BRA) 10,96 x 10,27 Fabricio Rocha (BRA)

DECISÃO DO TÍTULO DO QS 1000 FEMININO:
Campeã: Daniella Rosas (PER) por 14,67 pts (8,50+6,17) – 1.000 pontos no ranking
2.o lugar: Sol Aguirre (PER) com 12,80 pts (8,33+4,47) – 800 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 650 pontos:
1.a: Sol Aguirre (PER) 12,83 x 11,14 Sophia Medina (BRA)
2.a: Daniella Rosas (PER) 16,17 x 6,30 Catalina Zariquiey (PER)

DECISÃO DO TÍTULO PRO JUNIOR MASCULINO:
Campeão: Rodrigo Saldanha (BRA) por 14,00 pts (7,50+6,50) – 1.000 pontos no ranking
2.o lugar: Guilherme Ferreira (BRA) com 10,20 pts (6,77+3,43) – 800 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 650 pontos:
1.a: Guilherme Ferreira (BRA) 12,70 x 12,60 Leo Casal (BRA)
2.a: Rodrigo Saldanha (BRA) 12,50 x 11,34 Fabricio Rocha (BRA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 500 pontos:
1.a: Guilherme Ferreira (BRA) 8,23 x 7,80 Gabriel Ljubicic (PER)
2.a: Leo Casal (BRA) 12,43 x 10,93 Samuel Joca (BRA)
3.a: Rodrigo Saldanha (BRA) 16,10 x 14,67 Ryan Kainalo (BRA)
4.a: Fabricio Rocha (BRA) 13,07 x 10,10 Kuhane Riva Riva Rapu (CHL)

DECISÃO DO TÍTULO PRO JUNIOR FEMININO:
Campeã: Arena Rodriguez Vargas (PER) por 10,33 pts (5,50+4,83) – 1.000 pontos
2.o lugar: Kalea Gervasi (PER) com 9,90 pts (6,33+3,57) – 800 pontos no ranking

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 650 pontos:
1.a: Arena Rodriguez Vargas (PER) 11,60 x 10,90 Sofia Artieda (PER)
2.a: Kalea Gervasi (PER) 12,67 x 6,37 Catalina Zariquiey (PER)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 500 pontos:
1.a: Sofia Artieda (PER) 9,90 x 9,33 Laura Raupp (BRA)
2.a: Arena Rodriguez Vargas (PER) 12,33 x 5,90 Sophia Medina (BRA)
3.a: Catalina Zariquiey (PER) 11,00 x 8,67 Laura Mandelli (BRA)
4.a: Kalea Gervasi (PER) 8,77 x 4,00 Rafaella Montesi (CHL)

Fonte: João Carvalho – WSL Latin America Media Manager

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *