20 de abril de 2024

4 mulheres se classificam para as Olimpíadas de Paris no 6º dia dos Jogos Mundiais de Surf da ISA de 2024

0

Nadia Erostarbe (ESP), Sol Aguirre (PER), Tainá Hinckel (BRA) e Yolanda Sequeira (POR) se classificam provisoriamente para os Jogos Olímpicos de Paris 2024 e Ethan Ewing (AUS), Gabriel Medina (BRA) e Johanne Defay (FRA) são os principais destaques da Rodada Principal do dia. Sky Brown (GBR), medalhista de bronze do skate olímpico, está mais perto da qualificação no surf.

Nadia Erostarbe (ESP) Foto: Jersson Barboza.

O sexto dia de competição nos ISA World Surfing Games (WSG) de 2024 viu um ligeiro aumento no swell e na intensidade, já que o destino da qualificação olímpica de muitos aspirantes estava em jogo. As ondas de dois a três pés afetadas pelo vento mais uma vez permitiram muitas performances nos picos gêmeos de El Pico e Rastrial.

Ao final do dia, quatro mulheres haviam se classificado para os Jogos Olímpicos de Paris 2024. A progressão para a Rodada Principal 5 foi suficiente para garantir que Nadia Erostarbe (ESP), Sol Aguirre (PER), Tainá Hinckel (BRA) e Yolanda Sequeira (POR) serão quatro das oito mulheres classificadas para Paris 2024 em Porto Rico. Erostarbe é a primeiro surfista espanhola a se classificar para os Jogos Olímpicos.

Kai Odriozola da Seleção Espanhola chega a 6ª bateria da Respescagem com muito surf. Foto: Jersson Barboza

Duas rodadas completas de repescagem foram concluídas hoje (29), junto com a Rodada Principal 4, restando apenas 24 mulheres e 30 homens na competição. Dentro desses números, 13 mulheres e 10 homens estão agora, provisoriamente, qualificados para os Jogos Olímpicos de Paris 2024, ou são de um país com dois surfistas do mesmo sexo já qualificados, deixando apenas 11 mulheres e 20 homens na disputa pelos 4 e 6 vagas disponíveis restantes para cada gênero, respectivamente.

A Espanha assumiu a liderança definitiva no campeonato por equipes à frente de Brasil, França, Peru e Austrália. Nas corridas individuais por equipes de gênero, França, Brasil e Espanha estão empatados em primeiro lugar entre os homens, embora a França tenha uma clara vantagem por ser o único país a ter os três surfistas ainda na Rodada Principal. No feminino, Espanha, Peru, Brasil e Austrália estão empatados na liderança.

Sol Aguirre e Tainá avançam no WSG 2024

Sol Aguirre (PER) conquistou uma importante vitória em sua bateria para avançar com Tainá Hinckel (BRA) à frente de Lucia Machado (ESP) e Brisa Hennessy (CRC), as duas sem saber que isso seria suficiente para garantir a classificação. Pelo segundo dia consecutivo, a peruana de 20 anos manteve o controle em condições complicadas, mantendo o equilíbrio quando mais importava.

Cada bateria piora, eu acho, a pressão continua diminuindo”, disse Aguirre. “Mas eu apenas procuro ouvir música e tento controlar o que posso controlar, e ser eu mesmo e não me comparar com nenhum concorrente, porque no final você só compete com o tempo e com as duas ondas, para melhorá-las. Muita pressão, mas só penso em seguir meus sonhos em vez de ter medo deles.

Yolanda Sequeira (POR) aproveitou a prioridade ao final de uma bateria importante para garantir o retorno aos Jogos Olímpicos impedindo que a atual número 1 do mundo da WSL, Molly Picklum (AUS), acessasse uma pontuação melhor, a atleta olímpica de Tóquio 2020 aumentou seu somatório total na bateria para obter essa grande vitória sobre a três vezes medalhista de ouro do WSG, Sally Fitzgibbons (AUS), e enviar Picklum para a repescagem, junto com Camilla Kemp (GER). 

Enquanto isso, Nadia Erostarbe (ESP) manteve-se firme sobre as atletas olímpicas de Tóquio 2020, Leilani McGonagle (CRC) e Teresa Bonvalot (POR), para garantir sua passagem para Paris 2024.

Dafay vence com a melhor pontuação na última bateria do dia

A última bateria do dia viu Johanne Defay (FRA) se destacar nas esquerdas de Rastrial para registrar a maior pontuação de uma bateria feminina no dia, 14,94 pontos. A batalha pelo segundo lugar foi muito mais acirrada, com Siqi Yang (CHN) registrando 6,77 pontos no início da bateria e mantendo a atual campeã da WSL Caroline Marks (EUA) sob controle. 

Nos minutos finais, Yang pegou uma boa onda que não conseguiu aproveitar, dando prioridade a Marks na sequencia. A americana não desperdiçou a oportunidade, levando uma nota 6,93 pontos e mandando a chinesa para a repescagem, junto com Maya Mateja (MEX). Embora Yang ainda tenha chance na repescagem, essa última decisão com a prioridade pode acabar custando-lhe uma vaga nas Olimpíadas.

O medalhista de prata do WSG de 2014, Anthony Fillingim (CRC), encontrou a vitória em uma bateria repleta de superioridade na rodada 4 da repescagem do WSG, incluindo o defensor da medalha de ouro do WSG Alan Cleland Jr (MEX), o duas vezes medalhista de ouro do WSG Leandro Usuna (ARG) e o três vezes medalhista Lucca Messinas ( PER), que avançou ao lado de Fillingim para a 5ª rodada da repescagem, eliminando Cleland Jr e Usuna. Infelizmente, porém, o costarriquenho perdeu para o campeão mundial sub-18 ISA Junior de 2015, Leonardo Fioravanti (ITA) e para o medalhista de cobre do WSG de 2022, Guilherme Fonseca (POR) em sua próxima bateria, enquanto Messinas continuou.

Muitos outros candidatos importantes ficaram fora do do evento no dia de hoje, incluindo os atletas olímpicos de Tóquio 2020 Miguel Tudela (PER), Mahina Maeda (JPN), Leon Glatzer (GER) e o suplente de Tóquio 2020 Carlos Muñoz (CRC). E foi um desgosto para Chelsea Tuach (BAR), Keoni Lasa (VEN), Tiara van der Huls (NED), Dwight Pastrana (PUR), Rachel Presti (GER) e Luana Silva (BRA) em suas campanhas individuais.

Enquanto isso, outros se destacam na qualificação olímpica

Alonso Correa, Seleção Peruana. Foto: Jersson Barboza

Alonso Correa (PER), Andy Criere (ESP), Kehu Butler (NZL), Cody Young (CAN), Joan Duru (FRA), Brian Toth (PUR), Marco Mignot (FRA) e Sebastian Williams (MEX) se agarram nas vagas olímpicas masculinas disponíveis. Como restam apenas oito surfistas elegíveis na Rodada Principal, será um caminho muito mais difícil para os 12 surfistas restantes na repescagem terem seus nomes de volta na disputa. Williams está curtindo sua posição atual depois de se juntar a Kauli Vaast (FRA) para enviar o atual número 2 do mundo da WSL, Jack Robinson (AUS), para a repescagem.

Adoro surfar contra os melhores”, disse Williams. “Isso me motiva a surfar o melhor que posso e me dá a oportunidade de mostrar meu talento. É muito emocionante (estar perto da qualificação olímpica). A poucos passos de distância, a uma ou duas baterias de distância. À medida que as eliminatórias avançam, fica mais estressante, mas acho que trabalho muito bem sob pressão, por isso estou muito animado. Não importa quem seja o adversário, sempre darei o meu melhor.

Sky Brown, medalhista de bronze no skate olímpico, está mais perto da qualificação no surf

Sky Brown, equipe da Grã-Bretanha. Foto: Sean Evans.

Sky Brown (GBR) precisou apenas de cinco minutos para avançar à frente de Janire Gonzalez-Extabarri (ESP) e eliminar a bicampeã mundial júnior do ISA e Olímpico em Tóquio 2020, Mahina Maeda (JPN), e a surfista qualificada para Paris 2024, Vahine Fierro (FRA), na Rodada de repescagem 4. Nos primeiros 15 minutos da bateria Brown não conseguiu uma boa onda digna de nota. Com pouco menos de cinco minutos no cronômetro, o medalhista olímpica de bronze no Skatepark fez um 7,17 pontos e, imediatamente reforçou sua contagem com um 3,17, saltando do quarto para o primeiro lugar na bateria. 

Foi a primeira vitória de Brown no evento, na medida em que ela ganha força em seu objetivo de se classificar para Paris 2024 tanto no surf quanto no skate. A progressão através de uma segunda bateria de repescagem hoje faz com que a jovem de 15 anos se aproxime da linha de qualificação.

Foi, definitivamente, uma bateria difícil”, disse Brown. “Todas as garotas estavam atacando lá. As ondas estavam muito difíceis, mas estou super feliz. Peguei as duas últimas ondas lá no final, mas sim, estou feliz por ter conseguido”.

Ethan Ewing e Gabriel Medina aumentam o nível das baterias

Ethan Ewing, Equipe Austrália. Foto: Jersson Barboza.

A técnica incomparável de Ethan Ewing (AUS) fez com que o vice-campeão mundial da WSL em 2023 conseguisse uma série de fortes reverses de backhand para ganhar a maior nota em uma única onda no evento, um 9,17 pontos. Uma queda no final foi provavelmente a única razão pela qual um 10 perfeito não foi concedido pelo incrível surf exibido.

Enquanto isso, o tricampeão da WSL e campeão mundial júnior do ISA Sub18 em 2010, Gabriel Medina (BRA), abriu a Rodada Principal 4 masculina realizando uma aula de aéreos. Um par de oitos rendeu a ele o maior somátorio do evento até agora para os homens, 16,94 pontos. Desde o primeiro dia, Medina foi claro sobre a sua motivação e manteve-se fiel ao seu plano.

Estou em uma missão”, disse Medina. “Eu só quero vencer este evento aconteça o que acontecer, esse é o meu foco.

Canal do Ícaro Cavalheiro transmite o ISA WSG 2024 – sem imagens – mas com os melhores comentários e informações

Para assistir ao ISA Surfing Games com as melhores informações e comentários – sem imagens – basta acessar o canal do Ícaro Cavalheiro, junto com Klaus Kaiser, André Gioranilli, Pedro Muller, Saulo Lyra e Eduardo Rosa, basta clicar aqui.

Não esqueça de se inscrever no canal e curtir a transmissão

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *