25 de junho de 2024

As ‘meninas poderosas’ de Ibiraquera, em Imbituba, que foram destaques no CBSurf Grom Search em Pernambuco

0

Da praia do Rosa e da Ibiraquera, Alma Corgiolu e Luiza Rosa Teixeira levam o surf amador imbitubense e catarinense ao seu auge em 2022, durante a 2ª etapa do CBSurf Rip Curl Grom Search, na praia do Cupe, Porto de Galinhas, em Pernambuco. O Surfemais conversou com as duas atletas logo após as suas conquistas históricas

Alma Corgiolu e Luiza Teixeira se divertiram muito além de competir em Pernambuco. Foto: Arquivo pessoal/família Corgiolu

Ha quase duas décadas, a família Corgiolu se mudou para Imbituba, atraídos pela natureza e uma forma nova de vida. E todos os caminhos levavam sempre ao mar. Não por acaso, Alma, a filha mais velha, teve seu primeiro contato com o surf ainda nova, aos 6 anos de idade.

De lá pra cá, a evolução e os treinamentos se intensificaram, e nem a pandemia, nem o frio que faz aqui no sul durante o inverno, fez ela parar. Dos campeonatos locais em Imbituba, ao Título Catarinense Feminino Sub14 em 2021, o aprendizado e o crescimento em seu surf era visível.

Ja, Luiza Rosa Teixeira, vem na mesma toada, se habilitando a cada competição a dar passos mais largos. Em Imbituba ela já é unanimidade em 2021, assim como Alma, ela trouxe para a Zimba o Bi-campeonato na categoria Sub12 em 2021.

Luiza Rosa Teixeira faz história e se iguala e Leo Barcelos e Anderson Júnior do Grom Search

Agora, incorporadas a equipe da Federação Catarinense de Surf (Fecasurf), em 2022, estão disputando o circuito CBSurf Rip Curl Grom Search 2022, que além da busca pelo título, é deste circuito agora, que sairão os representantes brasileiros que irão defender o país no Mundial Júnior da International Surfing Association (ISA).

Em especial, a Luiza Rosa Teixeira agora se junta a outros dois imbitubenses que já venceram no Grom Search nacional, Leo Barcelos, Campeão Sub14 em 2015, e Sub16 em 2016, e Anderson Júnior, que levou a Open em 2015, quando veio a representar o Brasil no Grom Search Internacional, na praia de Ala Moana, no Hawaii.

Alma: “Não era o resultado que eu esperava, mas foi melhor que o último”

Alma sendo ovacionada ao sair de mais uma bateria. Imagens: Arquivo Pessoal/Família Corgiolu.

Vale ainda lembrar que as duas disputaram o Grom Search em Pernambuco, em categorias com idade acima das que elas já se sagraram campeãs em Santa Catarina. Alma disputou a Sub18, terminando na 8ª colocação, e a Sub16, onde finalizou em 5º. Segundo Alma, “Não era o resultado que eu esperava, mas foi muito muito melhor que o último resultado“.

To muito feliz pois consegui mostrar meu surf, consegui fazer pontos para nossa equipe de Santa Catarina, para ficarmos em terceiro, e o convívio de uma semana com todos os atletas foi irado!! Embora pra próxima agora, que vai ser no Rio Grande do Sul!!”, comenta Alma.

Luiza Rosa Teixeira: “To muito feliz por ter conseguido dar o meu melhor e sido a grande campeã”

Alma e Luiza em Pernambuco. Foto: arquivo pessoal/Família Corgiolu.

Luiza Teixeira não só venceu, mas assim como Alma, a simpatia se sobressai em ambas as atletas. Ao Surfemais, Luiza contou sobre a alegria de fazer parte da equipe catarinense. “Eu to muito feliz em ter participado deste campeonato que eu admirava muito, e disputei o evento com meninas de alto nível no surf, que eu também admirava, e eu não imaginava que iria chegar tão longe“.

Sobre o convite da Fecasurf e a vitória na Sub14, Luiza foi enfática, “A Federação Catarinense precisava de uma menina de até 14 anos para representar equipe na sub14, que é a minha categoria. É muito legal estar com a equipe catarinense, é uma energia muito boa, é uma satisfação muito grande, e a união dos atletas catarinenses“.

Eu to muito feliz de ter conseguido dar o meu melhor, soltado e meu surf e sido a grande campeã. Eu vou sentir muita falta de Porto de Galinhas, a praia é muito bonita, a premiação eu adorei e o próximo evento é em Atlântida, no Rio Grande do Sul. E eu pretendo ir alguns dias antes para treinar, porque eu sei que o mar lá é mais difícil“, finaliza Luiza.

A Associação de Surf Imbitubense (ASI), mesmo com a pandemia que se passou, continua revelando bons atletas. Pelo fato delas estarem disputando este evento em Pernambuco, no norte do país, elas não participaram da 1ª etapa do Imbituba Surf Tour 2022, que aconteceu na praia da Vila na mesma data. Mas, para a próxima etapa, se tudo der certo, elas prometem estar presente, contribuindo para a evolução do surf na cidade.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *