22 de fevereiro de 2024

Brasil domina J-Bay e Medina comanda a festa

0

Carissa Moore (HAW) e Gabriel Medina (BRA), vencedores do 2019 Corona Open J-Bay. Foto: WSL / Sloane

Considerada uma das maiores performances em J-Bay, Brasil faz história mais uma vez. Carissa Moore vence e assume a liderança do ranking após vitória

Jeffreys Bay, África do Sul: Carissa Moore (HAW) e Gabriel Medina (BRA) venceram o Corona Open J-Bay, a sexta parada do Mundial de Surf 2019 da World Surf League, em ondas de quatro a seis pés (1,2 – 1,8 metro) em Jeffreys Bay, na África do Sul.

A vitória é a primeira na África do Sul para os Campeões Mundiais Moore e Medina, e também marca suas primeiras vitórias CT nesta temporada para fortalecer suas respectivas campanhas de títulos mundiais. O dia da final no Corona Open J-Bay não faltou drama, e com seis ‘9’ quase perfeitos aqueceu ainda mais a disputa na mítica onda de J-Bay.

Domínio Brasileiro e liderança norte americana em J-Bay

A partir da Semifinal do evento, o domínio brasileiro ficou ainda mais evidente. A segunda colocação de Ítalo Ferreira, após a grande final com Medina, e a 3ª posição de Filipe Toledo – vencedor da etapa em 2018 -, mostrou que a briga pelo título 2019 está só no começo e totalmente aberta.

A liderança do Mundial de Surf agora – com a desistência de John John Florense, por lesão -, caiu no colo do norte americano Kolohe Andino, após chegar a semifinal na África do Sul, e que vai ter muito trabalho, a partir de agora, pra segura-la.

Carissa Moore conquista a liderança do ranking

Carissa Moore, J-Bay. Foto: Sloane/WSL

A vencedora do evento feminino, a havaiana Carissa Moore, agora lidera a corrida pelo título mundial com Sally Fitzgibbons (AUS) em segundo, Stephanie Gilmore (AUS) em terceiro e os americanas Lakey Peterson e Caroline Marks não muito atrás em quarto e quinto, respectivamente.

A caminho de sua vitória hoje, três vezes campeão da WSL, Moore derrotou Peterson na final e Marks na semifinal. “Eu não estou na camisa amarela há alguns anos, então é muito especial“, disse Moore. “Eu sei que há muito trabalho a ser feito pelo resto do ano, mas estou tão empolgada! Conseguindo compartilhar essa vitória com meu grupo de apoio, meu marido, meu pai, Duncan (Scott) que tem me ajudado aqui na África do Sul, todos os meus patrocinadores, eu não poderia fazer isso sem eles. A África do Sul não decepcionou. Estou feliz por estar de volta à corrida do título com todos. Provavelmente vai descer para Maui. Estou muito feliz e não poderia ter pedido um final melhor para o dia.”

Final verde amarela: Gabriel Medina celebra uma das maiores vitórias em J-Bay e abre disputa pelo Tri

Medina, Jeffrey’s Bay. Foto: Pierre Tostee/WSL

A vitória de Gabriel Medina não só deu início à campanha do terceiro título mundial, mas significou a vitória de um goofy-footer em J-Bay desde Mark Occhilupo em 1984. Esta é a 13ª conquista CT da carreira de Medina e a primeira de 2019 para passar as quartas de final até agora nesta temporada.

O atleta de 25 anos derrubou outro brazuka, Italo Ferreira, na final, Kolohe Andino (EUA) nas semifinais e Owen Wright (AUS) nas quartas de final. “Isso foi tão bom!“, Disse Medina. “Este é um concurso difícil de vencer. Eu me diverti muito esta semana, foi incrível e eu não estava esperando por isso. Estou muito feliz agora. Algo clicou naquele calor que foi realmente especial. Eu sabia que poderia me igualar a Italo (Ferreira) ou Filipe (Toledo), ambos estavam se rasgando. Eu só quero agradecer a Deus por me dar as ondas e estou tão feliz que fiz o trabalho.

Italo Ferreira, J-Bay. Foto: Tostee/WSL

Embora Medina suba apenas uma posição no ranking, para o 7º lugar, ele está indo para os cinco eventos que ele já venceu e três dos quais ele é o vencedor do evento (Tahiti Pro Teahupo’o, Freshwater Pro e Billabong Pipe Masters). Medina é conhecido por conquistar resultados na segunda metade da temporada, e será uma ameaça em sua busca por um terceiro título mundial.

É tão bom conseguir uma sobre Italo (Ferreira)“, continuou Medina. “Ele surfa muito bem, mesmo quando estava na ‘kombi’ eu não estava confortável porque sei que ele pode fazer qualquer coisa. Estar na final com mais um goofy-foot foi incrível. Todos os brasileiros estão indo muito bem e dividindo uma final com Italo significa muito, foi realmente especial porque é difícil vencer aqui, estou de volta e me sinto incrível, só quero surfar e fazer o meu melhor O ano ainda é longo, então Estou feliz com uma vitória aqui.”

Corona Open J-Bay Women’s Resutlado Final:
1 – Carissa Moore (HAW) 15.47
2 – Lakey Peterson (USA) 14.60

Corona Open J-Bay Women’s Semifinais :
Heat 1: Carissa Moore (HAW) 14.33 DEF. Caroline Marks (USA) 12.67
Heat 2: Lakey Peterson (USA) 15.27 DEF. Malia Manuel (HAW) 11.00

Corona Open J-Bay Men’s Resultado final:
1 – Gabriel Medina (BRA) 19.50
2 – Italo Ferreira (BRA) 16.77

Corona Open J-Bay Men’s Semifinais:
SF 1: Gabriel Medina (BRA) 14.30 DEF. Kolohe Andino (USA) 14.00
SF 2: Italo Ferreira (BRA) 17.50 DEF. Filipe Toledo (BRA) 14.00

Ranking Feminino após o Corona Open J-Bay

1ª – Carissa Moore (HAW) 41,175 pts
2ª – Sally Fitzgibbons (AUS) 37,325 pts
3ª – Stephanie Gilmore (AUS) 35,065 pts
4ª – Lakey Peterson (USA) 33,850 pts
5ª – Caroline Marks (USA) 32,135 pts

Ranking Masculino após o Corona Open J-Bay

1º – Kolohe Andino (USA) 33,845 pts
2º – Filipe Toledo (BRA) 33,280 pts
3º – John John Florence (HAW) 32,425 pts
4º – Italo Ferreira (BRA) 29,950 pts
5º – Kanoa Igarashi (JPN) 29,450 pts

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *