3 de março de 2024

Lucas Chianca, Pedro Scooby e Maya Gabeira vencem tudo no Tudor Nazaré Big Wave Challenge

0

Só deu Brasil no Mundial de Ondas Grandes em Nazaré, Lucas Chumbo coleciona mais dois títulos em .Portugal, Foi campeão individual e de duplas com Pedro Scooby e Maya Gabeira ganhou o título individual do feminino

Temporada 2024 da WSL começa com festa brasileira em Nazaré. Foto: @WSL Damien Poullenot

 Só deu Brasil no primeiro desafio de ondas gigantes da World Surf League em 2024. O melhor do mundo em condições extremas de surfe, Lucas “Chumbo” Chianca, colecionou mais dois troféus de campeão no TUDOR Nazaré Big Wave Challenge 2023/2024, o título individual com o maior somatório nas ondas épicas de 30-40 pés da segunda-feira na Praia do Norte e o de equipes na dupla brasileira formada com Pedro Scooby. E para completar a festa verde-amarela em Portugal, Maya Gabeira superou a também carioca Michelle des Bouillons, na disputa pelo título individual feminino.

“Isso é um sonho para mim. Nunca imaginei vencer tantas vezes aqui”, disse Lucas Chumbo Chianca“Este lugar é mágico, Nazaré me deu tudo na minha vida. Essa vitória provavelmente foi a mais especial para mim, porque era uma equipe 100% brasileira. Foi um prazer competir junto com o (Pedro) Scooby, um dos caras que me incentivou, me ajudou e me inspirou quando comecei a surfar ondas grandes. Estou muito feliz por poder retribuir um pouco, com o nosso desempenho hoje (segunda-feira) aqui”.

Lucas Chumbo reinando nas ondas gigantes da Praia do Norte em Nazaré. Foto: @WSL/Damien Poullenot.

Lucas Chumbo repetiu sua performance do ano passado, quando também foi campeão individual e por equipes, só que com Kai Lenny. O havaiano não pôde participar por estar contundido, então ele formou a dupla 100% brasileira com o carioca Pedro ScoobyChumbo agora aumentou para 5 o seu recorde de títulos conquistados nas ondas gigantes de Nazaré. A dupla funcionou superbem, com Scooby no comando do jet-ski colocando Chumbo nas ondas certas para ele conseguir as duas maiores notas do campeonato, 7,83 na sua primeira bateria e 7,67 na segunda.

No TUDOR Nazaré Big Wave Challenge, é utilizado o auxílio do jet-ski para o surfista entrar na onda. Cada integrante da dupla, tem que surfar e também pilotar o jet-ski, sendo computadas as duas maiores notas surfadas pelos dois, nas duas baterias disputadas. Além disso, a maior nota de cada um é multiplicada por 2, ou seja, um surfista poderia atingir um máximo de 30 pontos e a dupla até 60 pontos. Chumbo ganhou o título individual por 23,33 pontos e Scooby somou 17,83 para garantir o título de equipes por 41,16 pontos. Pedro Scooby estava doente e decidiu aceitar o convite do Lucas Chianca na última hora.

Pedro Scooby também completou ondas gigantes em Nazaré na segunda-feira. Foto: @WSL/Damien Poullenot.

“Dois dias atrás, eu estava de cama, doente, lá no Rio (de Janeiro), tinha até medo de pegar avião, então esse prêmio vai também pra minha mãe, porque ela falou: filho, vai lá, confio em você”, contou Pedro Scooby“E o Lucas confiou em mim também, mesmo doente. No finalzinho, ele me disse: Scooby, você só precisa de um 5,70, então vamo embora que a gente tem que vencer. Eu tinha acabado de tomar um caldo bizarro, mas o time acreditou, então tamo junto, uuhhuuu”, vibrou Scooby no pódio, junto com o grande público que compareceu para assistir o primeiro espetáculo de surfe da World Surf League em 2024.

Outra dupla 100% brasileira terminou em terceiro lugar no TUDOR Nazaré Big Wave Challenge 2023/2024, com Rodrigo Koxa e Vitor Faria totalizando 35,79 pontos, contra 37,81 do time vice-campeão, formado pelo português Nic Von Rupp e o francês Clement Roseyro. Ainda teve uma terceira equipe brasileira, do casal Michelle des Bouillons e Ian Cosenza e outra carioca, Maya Gabeira, competindo junto com o jovem português Antonio LaureanoMichelle Ian ficaram em sétimo lugar na classificação geral das equipes e Maya na nona posição. Ela sozinha totalizou 14,00 dos 17,27 pontos da dupla, superando os 9,83 da Michelle para festejar o título individual feminino.

Maya Gabeira retornando de contusão com uma vitória em Nazaré. Foto: @WSL/Damien Poullenot.

“Percebemos que os juízes estavam recompensando as manobras, então na nossa segunda sessão, procuramos as ondas que formavam as paredes mais lisas”, contou Maya Gabeira. Na primeira sessão, ou bateria, as duas brasileiras ficaram mais próximas. Então Ian Cosenza concentrou mais em melhorar a performance da Michelle na segunda sessão, porém ela não conseguiu aumentar os pontos das suas duas notas da primeira participação. A energia e as ondas se intensificaram na segunda sessão e o jovem Laureano conseguiu colocar Maya Gabeira na onda certa para ela confirmar o título de campeã individual do TUDOR Nazaré Big Wave Challenge.

“Fiquei lesionada tanto tempo que parecia uma eternidade, então foi muito bom competir novamente e foi ótimo conseguir retornar com uma vitória”, disse Maya Gabeira“A parceria com o Tony (Antonio Laureano) foi especial. Ele é o competidor mais jovem (21 anos) e mesmo depois de se machucar, continuou a me guiar e manteve o foco, me colocando nas ondas que eu precisava. Foi um dia muito difícil, tive que correr mais riscos do que deveria, mas foi muito gratificante no final”.

Maya Gabeira com o troféu de campeã do TUDOR Nazaré Big Wave 2024. Foto: @WSL/Damien Poullenot.

RESULTADO DO TUDOR NAZARÉ BIG WAVE CHALLENGE 2023/24:

COMPETIÇÃO POR EQUIPES – DUPLAS:
Campeã: 41,16 pontos – Lucas Chianca (BRA) e Pedro Scooby (BRA)
2.o lugar: 37,81 pontos – Clement Roseyro (FRA) e Nic Von Rupp (PRT)
3.o: 35,79 pontos – Rodrigo Koxa (BRA) e Vitor Faria (BRA)
4.o: 34,63 pontos – Rafael Tapia (CHL) e Pierre Rollet (FRA)
5.o: 33,81 pontos – Sebastian Steutner (ALE) e Eric Rebiere (FRA)
6.o: 27,22 pontos – Andrew Cotton (ING) e Will Skudin (EUA)
7.o: 20,36 pontos – Ian Cosenza (BRA) e Michelle des Bouillons (BRA)
8.o: 17,27 pontos – Maya Gabeira (BRA) e Antonio Laureano (PRT)
9.o: 15,60 pontos – Antonio Silva (PRT) e João de Macedo (PRT)

COMPETIÇÃO INDIVIDUAL MASCULINO:
Campeão: Lucas Chianca (BRA) por 23,33 pontos = (7,83×2) + 7,67
2.o lugar: Clement Roseyro (FRA) com 21,51 pontos = (7,67×2) + 6,17
3.o: Rodrigo Koxa (BRA) com 18,66 pontos = (6,83×2) + 5,00
4.o: Sebastian Steudtner (ALE) com 18,50 pontos = (6,50×2) + 5,50
5.o: Pedro Scooby (BRA) com 17,83 pontos = (6,33×2) + 5,17
6.o: Rafael Tapia (CHL) com 17,46 pontos = (5,83×2) + 5,80
7.o: Pierre Rollet (FRA) com 17,17 pontos = (6,00×2) + 5,17
8.o: Vitor Faria (BRA) com 17,13 pontos = (5,73×2) + 5,67
9.o: Nic Von Rupp (PRT) com 16,30 pontos = (5,60×2) + 5,10
10.o: Andrew Cotton (ING) com 16,26 pontos = (5,83×2) + 4,60
11.o: Eric Rebiere (FRA) com 15,31 pontos = (5,57×2) + 4,17
12.o: Will Skudin (EUA) com 10,96 pontos = (3,73×2) + 3,50
13.o: Ian Cosenza (BRA) com 10,53 pontos = (3,60×2) + 3,33
14.o: Antonio Silva (PRT) com 9,34 pontos = (3,17×2) + 3,00
15.o: João de Macedo (PRT) com 6,26 pontos = (3,13×2) + 0,00
16.o: Antonio Laureano (PRT) com 3,27 pontos = (1,17×2) + 0,93

COMPETIÇÃO INDIVIDUAL FEMININA:
Campeã: Maya Gabeira (BRA) por 14,00 pontos = (5,00×2) + 4,00
2.o lugar: Michelle des Bouillons (BRA) com 9,83 pontos = (3,50×2) + 2,83

Fonte: João Carvalho – WSL Latin America Media Manager

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *