19 de junho de 2024

Corona Saquarema Pro define elite da WSL na Praia de Itaúna 

0

A etapa final do Challenger Series 2023 começa no sábado na Praia de Itaúna e será finalizada a lista dos tops do CT 24. Deivid Silva e Mateus Herdy defendem vagas nos top-10, enquanto Luana Silva está em 6º no ranking que classifica as top-5

O Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil vai definir os últimos nomes para a elite do World Surf League (WSL) Championship Tour (CT) na Praia de Itaúna. A janela para finalizar o Challenger Series 2023, começa neste sábado e vai até o dia 21 de outubro no Maracanã do Surf, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Os brasileiros que estão mais próximos da briga direta por vagas no CT 2024, Deivid SilvaMateus Herdy e Luana Silva, falaram sobre a chance de poder decidir a classificação em casa pela primeira vez, no Brasil, não mais no Havaí, como nos últimos anos.

Os três participaram da coletiva de imprensa virtual do Corona Saquarema apresentado por Banco do Brasil, realizada na tarde da terça-feira. Deivid SilvaMateus Herdy e Luana Silva, responderam perguntas sobre a temporada, a carreira e especialmente sobre o Challenger Series ser encerrado em Saquarema pela primeira vez. Além dos atletas, a prefeita Manoela Peres também fez parte da coletiva de imprensa, iniciada com apresentação de Ivan Martinho, presidente da World Surf League na América Latina.

“Muito feliz de estar aqui, a alguns dias de começar o momento pelo qual a gente se preparou o ano todo. Desde que terminou o Corona Saquarema Pro 2022, a gente vem pensando em como poderia fazer um evento em 2023 ainda mais especial. Feliz de estar aqui com esses craques, DVD, o Mateus, a Luana e os outros 125 atletas que vão compor o Corona Saquarema Pro, vão competir do dia 14 a 21 de outubro. A gente vai voltar pela terceira vez em 2023, para nossa querida cidade de Saquarema, para fazer a etapa final do Challenger Series. Tem muita coisa em jogo, a gente tá vindo de um evento em Portugal e quero parabenizar publicamente o DVD, o Mateus, a Luana, pelo resultado superimportante que fizeram e chegam aqui para fazer parte da lista tão concorrida do Championship Tour 2024. O time todo se preparou muito pra chegar até aqui, tem uma série de surpresas e feliz, para que a gente feche esse ano, não só a final do Challenger Series, mas também a terceira etapa da WSL esse ano na cidade de Saquarema, de uma forma muito especial”.

A Praia de Itaúna única no mundo a sediar etapas do CT, CS e QS 5000. Foto: @WSL/Damien Poullenot

A prefeita Manoela Peres falou sobre Saquarema ser a única cidade no mundo a ter etapas de todas as competições da World Surf League no mesmo ano, do CT com o Vivo Rio Pro apresentado por Corona, o QS 5000, Junior e Longboard no Saquarema Surf Festival, agora o Challenger Series Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil, também acontecendo no Maracanã do Surf, a Praia de Itaúna. A prefeita ainda falou sobre o grande envolvimento da cidade com os esportes e a importância de eventos como os da WSL.

“Saquarema é conhecida como Maracanã do Surf desde a década de 70, o nome de Saquarema é conhecido por causa do surfe, das ondas. Quanto retomamos o campeonato aqui para nossa cidade (em 2017), foi um marco muito importante e, a cada campeonato, a gente vê que tanto a WSL, como todos os patrocinadores, mas principalmente o público, é um momento de grande expectativa para todo mundo. Para nós, Governo, e falo como moradora de Saquarema, é muito importante deixar esse legado aqui na nossa cidade, com o CT de Surfe (Centro de Treinamento Léo Neves) que nós construímos, com vários atletas sendo lapidados e, quando vem esses grandes nomes do surfe para nossa cidade, para eles é mais um incentivo. Então, Saquarema e surfe tem tudo a ver e nossa principal meta é colocar realmente o nome de Saquarema no roteiro turístico esportivo internacional, não só do surfe, mas também de outros esportes”. 

Entre os brasileiros que vão competir no Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil, quem está mais perto de confirmar classificação para o CT 2024 é o Deivid SilvaDVD falou sobre a vitória espetacular em Portugal no domingo, que o levou para a quinta posição no ranking, que indica 10 surfistas para completar a elite dos top-34. Nas semifinais, ele fez o recorde de pontos do Challenger Series 2023, depois deu show também na decisão com o americano Jake Marshall, com seu backside matador nas direitas de Ribeira D´Ilhas.

Deivid Silva campeão do EDP Vissa Ericeira Pro 2023 em Portugal. Foto: @WSL/Laurent Masurel

“Eu tinha um sonho de vencer naquela onda. Já tinha bons resultados naquela praia, três nonos lugares, um quinto, um terceiro no Mundial Junior, mas nunca tinha feito uma final e vencido. É uma onda incrível que eu sempre sonhava vencer, uma direita muito perfeita pra surfar. Foi um evento que vai ficar na minha memória pra sempre, porque consegui boas notas em todas as minhas baterias. Em todas, consegui manter um ritmo muito bom, que é difícil conseguir isso num campeonato inteiro, com notas altas em quase todas as baterias”. 

NOVE VITÓRIAS – Em Ericeira, Deivid Silva fez um novo recorde de 19,03 pontos no Challenger Series 2023 e conseguiu sua nona vitória em eventos qualificatórios para a elite do CT. DVD já tinha oito títulos em etapas do Qualifying Series, agora ganhou a primeira do Challenger Series, igualando as nove vitórias do campeão mundial Adriano de Souza e do tricampeão brasileiro Peterson Rosa. Agora, só fica abaixo do recordista Neco Padaratz, que venceu 10 etapas e é o brasileiro com mais títulos no QS desde 1992.

“Estou feliz demais de ter alcançado o Adriano de Souza em vitórias no QS e pretendo vencer mais, para quem sabe, ficar junto com o Neco (Padaratz). Mas, tem que ir passo a passo e vamos pra Saquarema agora. Saquarema é um dos melhores lugares do mundo com certeza, com a torcida toda ali na praia, o astral é alucinante. É um lugar que respira realmente o surfe, é o Maracanã do Surf, então espero que a gente consiga nossa vaga (no CT) lá. O Mateus (Herdy) também, que é um cara que está numa evolução incrível, tá quebrando demais. E a Luana, espero que ela volte pro CT, porque surfa muito. Quero que outros brasileiros entrem também nos top-10, como o Samuel (Pupo), o Michael (Rodrigues), que estão ali bem próximos, então espero que tenham mais para completar o time”.

Deivid Silva competindo no Corona Saquarema Pro em 2022. Foto: @WSL/Daniel Smorigo

DVD E MATEUS – Deivid Silva relembrou a única final que fez em etapas do CT, no México em 2021, quando foi vice-campeão na final com o australiano Jack Robinson, também surfando de backside nas direitas de Barra de La Cruz, como as de Ribeira D´Ilhas, em Portugal. Nesta mesma etapa do CT no México, Mateus Herdy competiu como convidado e se destacou também, só parando nas semifinais. Agora em Portugal, DVD venceu e Mateus ficou nas semifinais de novo, seu melhor resultado em etapas do Challenger Series. 

“Eu comecei a competir no QS com 16, 17 anos, quando quase me classifiquei pela primeira vez. Por ter chegado bem perto, recebi alguns wildcards (convites) pro CT e já deu pra sentir um gostinho de como é estar lá. Eu competi aqui em Saquarema no CT também e foi muito bom ter aquela experiência de estar no meio da galera, aquela gritaria na praia, tipo a sensação de estar no Maracanã. Antes de ser Challenger, era QS Prime e eu fiz um segundo lugar em Haleiwa (Havaí), que coloco como o meu melhor resultado. Mas, quando mudou pro Challenger, o terceiro em Portugal foi o melhor. Eu até comentei lá que, toda vez que eu vou bem, o DVD vai bem também. Em Haleiwa, quando eu fui segundo, ele ficou em quarto na final. No México, ele fez o segundo e eu fui terceiro. Agora ele ganhou e eu fiquei em terceiro, então eu acabo torcendo sempre por ele, para eu ir bem também (risos)”.

Mateus Herdy foi campeão mundial Pro Junior da WSL em 2018, é apontado pela comunidade internacional do surfe, como um dos grandes talentos da nova geração. Chegou bem perto de se classificar para a elite em alguns anos e está na briga novamente. A diferença é que a final do Challenger Series 2023 vai ser em casa, no Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil na Praia de Itaúna, onde compete desde criança e conhece muito bem a onda.

Mateus Herdy entrou nos top-10 com o terceiro lugar em Portugal. Foto: @WSL/Damien Poullenot

FINAL EM SAQUAREMA – Perguntado se a mudança da final do Challenger Series, do Havaí para Saquarema, pode favorecer aos brasileiros, Mateus Herdy respondeu: “Espero que sim. Uma das coisas que a gente tinha no Havaí, que vai ter aqui também, é os atletas do CT competindo. Então, a gente chegava no Havaí precisando de resultado e na primeira bateria, no meu caso, peguei o John John (Florence), que tirou três nove na bateria. E tem os havaianos que surfam muito aquelas ondas, são muito bons lá. Agora, a gente tem a oportunidade de ser aqui em Saquarema, onde eu, o DVD também, vem competir desde pequeno. Além de estar com todo mundo torcendo pra gente, que não era o nosso caso no Havaí”.

Mateus Herdy também falou sobre os confrontos emocionantes com Michael Rodrigues nas oitavas de final do Challenger Series dos Estados Unidos e de Portugal, onde só conseguiu a vitória nos últimos segundos. Contou sobre as contusões sofridas no início da temporada e da disputa acirrada pelas últimas vagas para o CT 2024, que serão decididas no Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil. Ele é o décimo no ranking, está fechando a lista no momento e ameaçado por vários surfistas com pouca diferença de pontos.

“Por não ter nada garantido pra mim ainda, estou em décimo no ranking e tem o Samuel, o Michael e vários gringos muito bons atrás de mim, bem próximos nos pontos, eu tirei essa pressão de mim e vou focar no meu surfe. Para ser sincero, estou bem feliz em estar nessa posição. Eu comecei o ano com uma lesão no joelho, fiquei 3 meses parado, quando voltei a surfar, vim competir aqui em Saquarema, no QS regional (em abril) e machuquei de novo. Então fico feliz de estar nos top-10 agora e espero que de tudo certo em Saquarema, que mande ondas boas, todo mundo esteja gritando na praia e que seja um evento irado”.

Luana Silva no Corona Saquarema Pro do ano passado. Foto: @WSL/Thiago Diz

LUANA SILVA – Luana Silva também vive a expectativa de disputar classificação para o CT em Saquarema. Ela nasceu no Havaí, mora lá, mas é filha de pai e mãe brasileiros e decidiu defender o Brasil nas competições 2 anos atrás. Luana já fez parte do CT em 2022, mas saiu no corte do meio da temporada e é a única chance de classificação brasileira no Challenger Series. Luana foi vice-campeã em Portugal, está em sexto lugar no ranking que classifica cinco surfistas para o CT e vai disputar uma vaga com todo o apoio da torcida no Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil.

“Eu acho que Saquarema vai ser um ótimo lugar para fazer o último evento. Eu estou me sentindo muito bem e com muita confiança de que pode acontecer, porque estou vivendo meu melhor momento. O começo desse ano, comecei a trabalhar com o Leandro Dora, o Grillo (pai de Yago Dora), ele está me ajudando bastante, trabalhando mais a parte mental e técnica também. Estou muito grata por estar no time dele agora e em Portugal foi muito legal. Eu e o Mateus (Herdy, que também é treinado por Leandro Dora) estávamos buscando um resultado importante e a gente conseguiu. Saquarema é uma onda que tem muita força e sou do Havaí, então acho que vou me encaixar bem com essa onda. A torcida brasileira motiva bastante, tem muita energia boa, positiva e eu gosto disso”.

O presidente da World Surf League na América Latina, Ivan Martinho, destacou o trabalho de todo o time, para realizar mais um grande campeonato na Praia de Itaúna: “Essa é a primeira vez que estamos fazendo a final do Challenger Series no Brasil. É uma responsabilidade grande e temos aqui três competidores seríssimos pra conseguir essas vagas, a Luana Silva na sexta posição brigando pra ficar entre as 5, o DVD muito otimista vindo de uma conquista espetacular, cheio de energia pra fazer um trabalho tão bom quanto em Portugal e liquidar a fatura para voltar pro CT, e o Mateus também, que agora está recuperado de algumas contusões que acabaram atrapalhando um pouco o caminho dele, mas todo mundo viu nas últimas etapas, em que forma espetacular ele está e o que vai ser capaz de fazer em Saquarema, para também carimbar o passaporte dele para o CT”.

ENTRETENIMENTO PARA A TORCIDA – Ivan Martinho destacou a forte parceria com a Prefeitura Municipal de Saquarema, especialmente pela gestão da prefeita Manoela Peres na única cidade do mundo a sediar todas as competições da World Surf League no mesmo ano, com etapas do CT, CS, QS, Junior e Longboard. O presidente da WSL Latin America, realizadora do Corona Saquarema Pro apresentando por Banco do Brasil, adiantou as várias atrações especiais de entretenimento para o público, que sempre lota a Praia de Itaúna para assistir o show de surfe dentro d´água.

“Quando a gente tem uma geração tão espetacular e vencedora, como essa que desde 2014 vem dominando o mundo do surfe, foram 7 títulos em 9 edições, obviamente todo esse nível altíssimo dentro d´água, coloca pra nós que estamos fora da água, um desafio enorme de tentar se equilibrar, para fazer com que o Brasil também fosse referência fora da água. Foi aí que a gente construiu esse conceito, que mistura as belezas e a força do esporte, com entretenimento. O Vivo Rio Pro teve uma série de ações e para o Corona Saquarema Pro, a gente continua apostando no modelo de entretenimento, trazer de novo um show aéreo, dessa vez com a Esquadrilha Céu, um espetáculo de Jet Wave que acho que nunca teve na Praia de Itaúna, o Onda do Bem que a gente fez durante a pandemia, dessa vez numa edição do Outubro Rosa, com 10 surfistas participando dessa ação em prevenção ao câncer de mama, e uma série de outras ações e atividades de praia, a Vila dos Patrocinadores, shows todos os dias, que vão compor esse cenário da já espetacular competição que vai acontecer, da emoção dentro d´água, com que a gente possa ter praia lotada”.

O Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil é uma realização da WSL Latin America com patrocínios da Corona, Banco do Brasil, Prefeitura Municipal de Saquarema, Secretaria de Esporte e Lazer do Governo do Estado do Rio de Janeiro, Vivo, Natura Kaiak, Yeti e TikTok. A competição será transmitida ao vivo pelo WorldSurfLeague.com e Aplicativo e Canal da WSL no YouTube.

RANKINGS DO WSL CHALLENGER SERIES 2023:

TOP-10 DA CATEGORIA MASCULINA – 5 etapas: 
1.o- Cole Houshmand (EUA) – 28.065 pontos
2.o- Jacob Willcox (AUS) – 22.035
3.o- Jake Marshall (EUA) – 17.565
3.o- Frederico Morais (PRT) – 17.565
5.o- Deivid Silva (BRA) – 16.920
6.o- Crosby Colapinto (EUA) – 16.285
7.o- Imaikalani deVault (HAV) – 16.140
8.o- Eli Hanneman (HAV) – 15.620
9.o- Kade Matson (EUA) – 14.850
10.o- Mateus Herdy (BRA) – 14.630
——–outros sul-americanos no ranking:
12: Samuel Pupo (BRA) – 14.100 pontos
13: Michael Rodrigues (BRA) – 13.285
21: Jadson André (BRA) – 10.465
28: Alejo Muniz (BRA) – 8.045
33: Lucca Mesinas (PER) – 6.520
37: Ian Gouveia (BRA) – 6.200
39: Leo Casal (BRA) – 5.700
40: Edgard Groggia (BRA) – 5.420
46: Lucas Silveira (BRA) – 5.000
48: Miguel Tudela (PER) – 4.800
50: Rafael Teixeira (BRA) – 4.600
60: João Chianca (BRA) – 3.320
66: Ryan Kainalo (BRA) – 2.850
80: Guillermo Satt (CHL) – 1.500
89: Krystian Kymerson (BRA) – 700
94: Miguel Pupo (BRA) – 600
94: Caio Ibelli (BRA) – 600

TOP-5 DA CATEGORIA FEMININA – 5 etapas:
1.a- Sally Fitzgibbons (AUS) – 26.430 pontos
2.a- India Robinson (AUS) – 25.490
3.a- Sawyer Lindblad (EUA) – 23.020
4.a- Alyssa Spencer (EUA) – 22.810
5.a- Isabella Nichols (AUS) – 22.725
——–outras sul-americanas no ranking:
6.a- Luana Silva (BRA) – 20.610 pontos
20: Daniella Rosas (PER) – 10.415
25: Sol Aguirre (PER) – 8.820
36: Sophia Medina (BRA) – 6.000
39: Laura Raupp (BRA) – 5.220
42: Silvana Lima (BRA) – 4.100
52: Dominic Barona (EQU) – 1.950
58: Arena Rodriguez Vargas (PER) – 650

Fonte: João Carvalho – WSL Latin America Media Manager

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *