12 de julho de 2024

Lucas Vicente é Campeão Mundial Pro Jr da WSL

0

Manesinho da praia da Joaquina, em Floripa, vira na última onda sobre o norte americano Kade Madson, faltando 2 minutos para acabar a bateria eletrizante, e Amuro Tsuzuki fez história com o primeiro título mundial do Japão

A grande decisão mundial Pro Jr. da World Surf League (WSL), o Taiwan Open of Surfing 2019, nas ondas de Jinzun Harbour, terminou na madrugada desta sexta feira (dia 29 no Brasil) e Lucas Vicente era a última esperança brasileira de título mundial na competição.

O norte americano saiu na frente e dominou boa parte da bateria, fez uma nota excelente (8,33), onde ele espancou uma esquerda, e aos 22 minutos para o final Kade Madson pegou outra esquerda, ainda melhor, que lhe rendeu outra nota excelente (9,07).

Virada de Lucas nos últimos minutos

A virada veio faltando 2 minutos para acabar a bateria final em Tawian. Foto: Tim Hain/WSL

O catarinense que tinha apenas um 6,33 pontos, logo reagiu com uma esquerda na metade da bateria final, onde ele saiu voando para direita e finalizou com uma bela pancada, o que lhe rendeu um 8,63 pontos, diminuindo a diferença para o norte americano, o que lhe proporcionou sair da combinação e passou a precisar de 8.78.

A 2 minutos para o fim da bateria, quando tudo parecia perdido, o catarinense pegou uma direita e mandou um aéreo gigantesco e rodando, finalizando com uma batida onde conseguiu um 8.93 pontos virando a bateria e conseguindo o Título Mundial Pro Jr. O catarinense aumentou para nove o recorde de vitórias brasileiras na categoria para surfistas com até 18 anos de idade.

“É um sonho que estou realizando, sabia o que precisava fazer e a onda veio no finalzinho, não desperdicei, fui para o aéreo e deu tudo certo, estou muito feliz”, disse Lucas após a grande final.

“Isso era um sonho meu e nem acredito que consegui realizar ainda”, disse Lucas Vicente. “Toda bateria foi uma batalha para mim, inclusive a final. Isso mostra que você não pode desistir nunca. Mesmo que precise de duas notas muito altas, tem que tentar até o fim. Estou muito feliz, porque é incrível conseguir o título mundial pro Brasil, no ano seguinte ao do Mateus (Herdy). Nós dois surfamos juntos desde que éramos crianças e vou poder brincar com ele, que agora eu sou o número 1. Estou muito orgulhoso pelo título e por ter conseguido isso em um lugar tão bonito. Taiwan é um paraíso e vai ficar marcado na minha vida”.

Veja como foi a vitória do catarinense direto da WSL: https://www.worldsurfleague.com/posts/435832/highlights-lucas-vicente-wins-at-jinzun

Título inédito para o Japão no Feminino

Amuro Tsuzuki. Foto: Dunbar/WSL

Na categoria feminina, a japonesa Amuro Tsuzuki fez história com a vitória no Taiwan Open of Surfing. Ela também derrotou uma surfista dos Estados Unidos na final, Alyssa Spencer, para conquistar o primeiro título mundial do Japão na história da World Surf League. Amuro surfou as melhores ondas que entraram no duelo decisivo e ganhou notas 6,00 e 7,00 em duas seguidas, para ser a campeã mundial de 2019 por 13,00 a 10,16 pontos.

“Estou muito feliz e nem consigo acreditar que venci, que sou campeã mundial”, disse Amuro Tsuzuki. “Foi um evento incrível, com condições de ondas diferentes a cada dia e eu realmente gosto muito de surfar aqui em Taiwan. Hoje (sexta-feira), as condições estavam muito desafiadoras, com grandes ondas e muita água se movendo por toda parte. Mas, eu estava muito focada em não desistir nunca e isso foi determinante para a vitória. Estou muito feliz”.

A japonesa fez ótimas apresentações durante todo o evento e o grande momento foi na semifinal. Foi uma bateria de poucas ondas e cada uma só conseguiu surfar as duas que são computadas no resultado. As da havaiana Gabriela Bryan valeram 7,00 e 6,70. Amuro Tsuzuki só tinha 5,33 na primeira e precisava de uma nota excelente, então destruiu sua segunda onda, manobrando forte até o fim para ganhar 9,27 e vencer por 14,60 a 13,70.

“Eu sabia que precisava jogar tudo nessa última onda, arriscar mais as manobras, então ganhar dessa maneira, me deu muita confiança para a final”, disse Amuro Tsuzuki. “É um título importante para o meu país, o primeiro título mundial do Japão e eu gostaria muito de poder disputar as Olimpíadas no ano que vem, só que não posso fazer nada em relação a minha vaga. Mas, independentemente do que aconteça em Maui (última etapa do CT), estou muito feliz pelas minhas conquistas este ano”.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *