22 de fevereiro de 2024

Mais uma unidade de ensino de Imbituba recebe o projeto Oficina de Mosaico na Escola

0

Mosaicista, Liz Panek, leva mais uma vez seu trabalho para escola em Imbituba com murais em mosaicos feito pelos próprios alunos, atraves do Programa de Incentivo a Cultura – Procult – da Prefeitura de Imbituba. Projeto já está em sua fase final e os alunos são os maiores beneficiados

Alunos do 8º ano da Escola Estadual Básica Engenheiro Álvaro Catão em frente a sua criação, 'Noite Estrelada' de Van Gogh, e juntos com a responsável do projeto Mosaico na Escola II, Liz Panek. Foto: Liz Panek.

Mais uma vez, Liz Panek, mosaicista, que há alguns anos faz um trabalho exemplar em Imbituba e região, de levar o mosaico a vários lugares e de várias maneiras, ainda que uma arte esquecida na cidade, desde os tempos da extinta Cerâmica de Imbituba, presenteia alunos de uma escola púbica, de todos dos períodos – matutino e vespertino -, da cidade com a arte e a capacidade de interagir com ela.

O Projeto, realizado com o apoio da Prefeitura de Imbituba, Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte, via Superintendência de Cultura, por meio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura – PROCULT nº 01/2022, traz a oficina de mosaico do projeto Mosaico na Escola II, sendo realizado na Escola Básica Estadual Engenheiro Álvaro Catão, no bairro Vila Nova Alvorada (Divinéia), fará com que a arte do mosaico seja novamente estimulada, fazendo parte do dia a dia dos educandos da referida escola.

Para eles a escola é mais do que um espaço para aprender a ler e escrever, representa também um espaço lúdico para interagir, socializar, fazer amigos e trocar experiências. Além disso, a oficina vai estabelecer uma ligação com o passado cultural e histórico da cidade de Imbituba” contempla Liz Panek.

Murais em mosaico feitos pelos alunos ficarão expostos interna e externamente na escola

Alunos do 7º ano expõem ‘O Grito’ de Edvard Munch. Foto: Liz Panek.

Os murais em mosaicos realizados pelos educandos da referida escola ficarão expostos em área externa e interna da instituição. Inclusive um dos murais ficará do lado externo da escola proporcionando aos passantes a produção artísticas destes educandos.

Para a mosaicista, “A arte na educação escolar desperta a capacidade de criação e ajuda a externar sentimentos, também permite compreender os planos da expressão e interagir de forma a trabalhar a inserção social de forma ampla, além de ter o poder transformador de desenvolver a criatividade e a capacidade intelectual, ensinar a solucionar problemas, desafiar limites e aumentar o repertório cultural”.

Recém formada em Licenciatura em artes visuais, ela ainda vai mais longe. “As artes e a educação são duas práticas que podem caminhar lado a lado, isso porque elas permitem ao professor trabalhar de modo lúdico com os alunos, além de inserir as crianças e os adolescentes em novos contextos, ampliando as perspectivas deles sobre o mundo”.

Liz Panek e sua vivência na arte do mosaico

Juntos com o Diretor Jean Carlos Nunes, a releitura da obra ‘Abaporu’ de Tarcíla do Amaral feita pelos alunos da 6ª série. Foto: Liz Panek

Liz Panek é natural de Curitiba/PR e no ano de 1999, em Florianópolis (SC), iniciou timidamente a arte do mosaico. Em 2000 voltou para Curitiba onde realizou cursos, começou a comercializar suas peças, participar de mostras e exposições. No ano de 2010 voltou para Florianópolis e desde o ano de 2014, mora em Imbituba.

Autodidata, Liz criou peças de motivos marinhos, esotéricos, fauna e flora, releituras de obras, paisagens e artistas. Na execução dos mosaicos usa diversos materiais: contas de acrílico, espelho, porcelana, pedras, conchas, azulejos, vidro e blindex, pastilhas de vidro e peças modeladas em cerâmica esmaltada. Seus mosaicos atendem áreas internas e externas.

Para Liz, mosaicista ha mais de 20 anos, “o mosaico é a história do mundo, é arte pura e permanente e na arte, a criatividade e a expressão artística não tem limites. O mosaico não é uma arte nova na cidade de Imbituba. É uma arte esquecida. Anos atrás, a extinta Icisa – Indústria Cerâmica Imbituba -, repassava à população todo material e técnica necessárias para a produção remunerada de telas encarteladas de mosaico para a produção de revestimento externo de residências, estabelecimentos comerciais e locais públicos”, conta Liz.

A arte é a manifestação de tudo que vemos e vivemos. Não podemos interagir no mundo sem conviver com algum tipo de representação artística ou cultural. A relação entre a arte e a cultura, forma um conceito de pensamento, de ideia e de objetividade. Portanto, sinteticamente, a cultura está ligada à arte, e arte à cultura”, finaliza Liz Panek.

9º ano da Escola Básica Estadual Engenheiro Álvaro Catão e sua ‘Mandala do Infinito’, o qual eles mesmos ajudaram a escolher. Foto: Liz Panek.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *