3 de março de 2024

Mateus Herdy estreia batendo recordes em Saquarema 

0

Depois o australiano Joel Vaughan conseguiu uma nota 10 e Samuel Pupo entrou no G-10 e passa a defender vaga no CT. 10 brasileiros avançaram para a terceira fase no domingo e a bateria Legends e a Esquadrilha Céu fecharam o dia

Mateus Herdy fez o maior somatório do Corona Saquarema Pro no domingo. Foto: @WSL/Daniel Smorigo

Um domingo emocionante de boas ondas e praia lotada em Itaúna, marcou a estreia dos cabeças de chave do Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil. Os aéreos arrancaram as maiores notas no dia que terminou com o espetáculo da Esquadrilha Céu. Mateus Herdy estreou batendo os recordes da etapa brasileira do Challenger Series, mas depois o australiano Joel Vaughan conseguiu a primeira nota 10 também com um aéreo “alley-oop” incrível nas direitas da Praia de Itaúna. No fim do dia, Samuel Pupo passou sua primeira bateria e entrou na lista dos 10 que se classificam para o World Surf League (WSL) Championship Tour (CT), tirando a décima posição do recordista de pontos, Mateus Herdy.

“É um campeonato importante para mim e, quando a gente está nessa pressão, ou você consegue lidar bem com isso, ou acaba caindo né. É oito ou oitenta e estou feliz por começar o evento com o maior somatório, mas realmente não estava pensando nisso e só em surfar bem”, disse Mateus Herdy“Eu fiquei tentando entender o vento, porque tava meio terral e meio ladal ao mesmo tempo. Ele grudava a prancha no pé no início, mas no finalzinho tirava ela do pé. Então eu errei umas duas, três vezes. Mas, eu treino muito os aéreos, então na minha mentalidade é que se errei três, os próximos eu não ia errar. Foi isso, eu consegui acertar e vamo que vamo”.

Depois de não conseguir completar os primeiros aéreos que tentou no terceiro confronto do domingo, Mateus Herdy acertou dois full rotations incríveis numa mesma onda. Os juízes deram nota 8,93, a maior do Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil até ali. Ele somou o 8,93 com o 6,40 recebido na onda anterior, para totalizar 15,33 pontos e se tornar o recordista absoluto do campeonato. Nessa sua primeira bateria, Mateus eliminou um concorrente direto por vaga para o CT 2024, o californiano Nolan Rapoza.

Mateus Herdy saindo do mar depois de bater os recordes do campeonato. Foto: @WSL/Thiago Diz.

MUDANÇA NO G-10 – Mas, ele permaneceu em décimo no ranking, pois teria que passar mais uma bateria para trocar os 1.900 pontos do seu pior resultado, entre os quatro que são computados. O único que poderia lhe tirar do G-10 ainda no domingo, era o também brasileiro Samuel Pupo, que competiu no penúltimo confronto do dia. E o Samuca conseguiu avançar em segundo lugar na bateria vencida pelo australiano George Pittar. Como ele tinha apenas 700 pontos para trocar, já somou mais 1.000 com a classificação e subiu do 12.o para o décimo lugar no ranking, tirando Mateus Herdy do G-10.

“A bateria foi bem difícil, porque os outros surfistas tinham as melhores notas e eu tive que me virar ali pra me classificar”, disse Samuel Pupo“Acho que essas baterias difíceis são as mais importantes. Eu vim para esse campeonato pensando que eu não estou dentro do CT ainda. A décima colocação, ou a nona, sempre vai vir alguém de trás muito forte, então tem que seguir avançando para ficar na frente. O primeiro passo foi dado e foi importante, porque o mar estava difícil hoje, então vamos seguir buscando um bom resultado no evento ainda”

Para confirmar sua vaga no CT 2024 sem depender de outros resultados, Samuel Pupo precisa chegar nas semifinais do Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil. Agora, ele está numa disputa fase a fase por um lugar no G-10 do Challenger Series, com o próprio Mateus Herdy que caiu para o 11.o lugar e o australiano Jackson Baker, que desceu para 12.o. A diferença é que Samuca passa a defender vaga dentro do G-10, que no momento ainda é ameaçada por onze surfistas. Entre eles, quatro são do Brasil, Mateus HerdyMichael RodriguesJadson André e Alejo Muniz.

Samuel Pupo vai começar a defender vaga no G-10 em Saquarema. Foto: @WSL/Daniel Smorigo.

BATERIAS DECISIVAS – A próxima bateria do Mateus Herdy é quase uma final. É a segunda da terceira fase e tem o vice-líder do ranking já garantido no CT 2024, Jacob Willcox, o também australiano Jackson Baker que está logo abaixo do brasileiro na porta de entrada do G-10 e o norte-americano Jake Marshall, número 3 do ranking. A do Michael Rodrigues, que estreou com vitória, é 100% brasileira e apenas dois vão avançar para as oitavas de final. Nela está Miguel Pupo já garantido no CT, Michael Jadson André que estão disputando classificação e Cauã Costa, recordista do sábado na Praia de Itaúna.

“O mar mudou durante minha bateria, então tive que me adaptar e é bom começar um evento assim”, disse Michael Rodrigues“Geralmente, eu começo com uma bateria excelente. Dessa vez foi uma difícil e estou feliz por ter passado. Eu venho fazendo um trabalho muito legal aqui. Estou bem focado, com uma rotina muito boa e bem confiante. É o último evento do ano e quero aproveitar também, não ficar só na pressão. Estou aqui com minha mulher, meu técnico que a gente se classificou juntos em 2017, então ter ele ao meu lado de novo, está sendo muito especial para mim”.

DEZ BRASILEIROS – Entre os 32 surfistas que passaram suas baterias no domingo e vão disputar classificação para as oitavas de final do Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil, dez são brasileiros. Mateus Herdy está na segunda bateria da terceira fase e o argentino Nacho Gundesen entra na seguinte. Na quarta tem o número 4 do mundo, João Chianca. A quinta ficou 100% brasileira, com Miguel PupoMichael RodriguesJadson André e Cauã Costa. Na sexta estão Deivid Silva e Heitor Mueller. Na sétima tem Samuel Pupo e na oitava e última está Alejo Muniz.

Michael Rodrigues focado em conseguir um bom resultado em Saquarema. Foto: @WSL/Daniel Smorigo

Entre os brasileiros que estão tentando confirmar classificação para o CT 2024 no Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil, quem está na melhor situação é Deivid Silva. A vitória conquistada no Challenger Series de Portugal na semana passada, o levou para a quinta posição no ranking. Agora, para não depender de outros resultados, DVD confirma seu retorno a elite da World Surf League se chegar nas quartas de final na Praia de Itaúna. Ele estreou com vitória no domingo e Cauã Costa confirmou a segunda dobradinha brasileira do dia, eliminando dois franceses que ainda tinham chances de vaga no CT, Justin Becret e Maxime Huscenot.

“Estou muito amarradão por ter vencido em Portugal, porque foram pontos importantes pra chegar aqui com mais possibilidades de conseguir realizar o sonho, que é voltar pro CT”, destacou Deivid Silva“O mar está bem legal, bem divertido, tem altas ondas e estou feliz em estar em Saquarema novamente. Estou aqui pensando em me classificar por mim mesmo, sem depender dos outros. Estou me sentindo muito bem, a cabeça está bem boa, com pensamentos positivos, minha família toda está aqui comigo, minhas filhas, minha esposa, então isso me deixa mais tranquilo e vamos pras próximas”.

TOP-4 DO MUNDO – Além da batalha pelas últimas vagas para o CT 2024, com concorrentes diretos na maioria das baterias, a torcida que encheu a Praia de Itaúna no domingo, queria ver o confronto com os dois surfistas locais de Saquarema. Era a primeira apresentação do João Chianca em casa, depois que se tornou o quarto melhor surfista do mundo. E Chumbinho não decepcionou o público, vencendo com o segundo maior placar do campeonato, 15,26 pontos, que só ficou abaixo dos 15,33 do Mateus Herdy.

Deivid Silva só depende dele mesmo para confirmar seu retorno para o CT. Foto: @WSL/Daniel Smorigo.

“É bom estar em casa e ver a energia que o pessoal traz para esse campeonato”, destacou João Chumbinho“Como é um Challenger Series, o ambiente é um pouco diferente do CT, mas ver a dedicação de todos aqui, me faz querer trazer o meu melhor também. Eu acho que é isso que me torna um competidor de verdade e é muito bom estar me apresentando na frente de todo mundo em casa. Dessa vez, eu pude dar um carinho ali pra galera depois da bateria. Eu não tinha conseguido fazer isso no CT, mas é sempre bom retribuir um pouco todo o carinho dessa torcida”.

AÉREO NOTA 10 – Nessa mesma bateria que o outro surfista de Saquarema, Valentin Neves, terminou em último lugar, o australiano Joel Vaughan se classificou em segundo lugar com a primeira nota 10 da história do Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil. A maior do ano passado tinha sido 9,33 do campeão do evento, Gabriel MedinaJoel Vaughan pegou uma direita, saiu acelerando até achar a rampa para voar muito alto, fazer o giro completo no ar e aterrissar, para receber nota 10 unânime dos cinco juízes. Foi a segunda nota máxima do Challenger Series esse ano (Clique aqui para ver). A outra foi conseguida pelo também australiano Jacob Willcox, na etapa da África do Sul.  

“É muito bom fazer história. Estou superfeliz por tirar uma nota 10. Na África do Sul consegui um 9,83, então estou muito feliz por ganhar um 10 aqui”, disse Joel Vaughan“Eu estava em terceiro na bateria, sem conseguir notas boas. Então apenas relaxei, mas sabia que poderia tentar algo grande pra conseguir me classificar. Essa onda veio logo depois que me acalmei e até achei que decolei tarde demais, mas acabou me deixando um pouco mais na frente da onda e deu a conta certa. Com certeza, foi o melhor aéreo que já fiz num campeonato, então estou superfeliz”.

João Chianca dando o seu show para a torcida na Praia de Itaúna. Fotos: @WSL/Daniel Smorigo.

CHANCES DE G-10 – Joel Vaughan é um dos onze surfistas com chances matemáticas de entrar no G-10, mas são as mais remotas, pois já necessita da vitória do Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil, além de depender dos resultados de todos os outros concorrentes que estão a sua frente. Os mais próximos do G-10 são Mateus Herdy e o australiano Jackson Baker, que brigam fase a fase com Samuel Pupo e com o penúltimo da lista, o norte-americano Kade Matson.

Depois tem Michael Rodrigues, o norte-americano Jett Schilling e o francês Joan Duru, precisando chegar nas quartas de final para superar os 15.100 pontos atingidos por Samuel Pupo, com a sua classificação para a terceira fase no domingo. O potiguar Jadson André, os australianos George Pittar e Reef Heazlewood e o francês Marco Mignot, só conseguem isso nas semifinais. O catarinense Alejo Muniz já necessita chegar na grande final e para Joel Vaughan só interessa a vitória em Saquarema.

Jadson André é um dos brasileiros que disputam as últimas vagas para o CT. Foto: @WSL/Daniel Smorigo

Entre os oito que defendem vagas no G-10, cinco confirmam suas classificações nas quartas de final, sem depender de outros resultados, o português Frederico Morais que divide o terceiro lugar no ranking com Jake Marshall, o também norte-americano Crosby Colapinto, o brasileiro Deivid Silva e o havaiano Eli Hanneman. Outro havaiano, Imaikalani deVault, que ocupa a oitava posição, bem como o americano Kade Matson na nona e Samuel Pupo agora fechando o G-10, garantem seus nomes nas semifinais.

ATRAÇÕES EXTRAS – Depois das baterias emocionantes durante todo o dia, o grande público que lotou a Praia de Itaúna no domingo, foi presenteado com mais duas atrações extras programadas pela WSL Latin America, realizadora do Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil. A primeira foi a Bateria Legends com quatro brasileiros de gerações passadas, Rico de Souza e Otávio Pacheco pioneiros do Brasil no início do Circuito Mundial na década de 70 e Victor Ribas e Guilherme Herdy, que representaram o país na elite do CT nos anos 90 e 2000.

A prefeita Manoela Peres com Otávio Pacheco, Victor Ribas, Guilherme Herdy, Rico de Souza e Ivan Martinho, presidente da WSL Latin America. Foto: @WSL/Thiago Diz.

Rico de Souza e Otávio Pacheco foram uns dos primeiros a surfar em Saquarema nos anos 60 e já se enfrentaram em baterias nos antigos Festivais de Surfe de Saquarema e de Ubatuba na década de 70, que eram os campeonatos mais importantes do Brasil na época. Já Victor Ribas foi o terceiro melhor do mundo em 1999, feito só superado em 2014, quando Gabriel Medina conquistou o primeiro dos seus três títulos mundiais. E Guilherme Herdy foi o único brasileiro a ser campeão do Australian Grand Slam, série de etapas do CT e do QS disputadas na Austrália. 

E para fechar o domingo de praia lotada em Itaúna, teve a apresentação de acrobacias aéreas da Esquadrilha Céu. Foi um encerramento com chave de ouro em um dia que as manobras aéreas dos surfistas, arrancaram as maiores notas do Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil. Começou com Mateus Herdy ganhando 8,93 com seus dois voos na mesma onda. Depois teve a nota 10 do australiano Joel Vaughan na oitava bateria, a 8,50 do havaiano Eli Hanneman na 12.a bateria e a 8,17 do francês Marco Mignot na 14.a.

PRÓXIMAS BATERIAS DO CORONA SAQUAREMA PRO:

TERCEIRA FASE – 1.o e 2.o passam para as Oitavas de Final:
—–3.o=17.o lugar (US$ 2.100 e 1.900 pts) e 4.o=25.o lugar (US$ 2.000 e 1.700 pts)
1.a: Reef Heazlewood (AUS), Jordan Lawler (AUS), Shion Crawford (HAV), Mihimana Braye (TAH)
2.a: Jacob Willcox (AUS), Jake Marshall (EUA), Mateus Herdy (BRA), Jackson Baker (AUS)
3.a: Jett Schilling (EUA), Joel Vaughan (AUS), Luke Thompson (AFR), Nacho Gundesen (ARG)
4.a: João Chianca (BRA), Crosby Colapinto (EUA), Imaikalani deVault (HAV), Daniel Emslie (AFR)
5.a: Miguel Pupo (BRA), Michael Rodrigues (BRA), Jadson André (BRA), Cauã Costa (BRA)
6.a: Deivid Silva (BRA), Eli Hanneman (HAV), Joan Duru (FRA), Heitor Mueller (BRA)
7.a: Samuel Pupo (BRA), Cole Houshmand (EUA), Marco Mignot (FRA), Jarvis Earle (AUS)
8.a: Frederico Morais (POR), Kade Matson (EUA), George Pittar (AUS), Alejo Muniz (BRA)

SEGUNDA FASE – entrada das 16 cabeças de chave – 1.a e 2.a=Oitavas de Final:
—–3.a=17.o lugar (US$ 2.100 e 1.900 pts) e 4.a=25.o lugar (US$ 2.000 e 1.700 pts)
1.a: Sally Fitzgibbons (AUS) e Francisca Veselko (POR), Eweleiula Wong (HAV), Zoe Steyn (AFR)
2.a: Ellie Harrison (AUS) e Vahine Fierro (FRA), Kirra Pinkerton (AUS), Daniella Rosas (PER)
3.a: Isabella Nichols (AUS) e Bella Kenworthy (EUA), Silvana Lima (BRA), Leilani McGonagle (CRC)
4.a: Alyssa Spencer (EUA) e Sophie McCulloch (AUS), Carolina Mendes (POR), Zoe McDougall (HAV)
5.a: India Robinson (AUS) e Nadia Erostarbe (ESP), Laura Raupp (BRA), Camilla Kemp (ALE)
6.a: Bronte Macaulay (AUS) e Sarah Baum (AFR), Tessa Thyssen (FRA), Sophia Medina (BRA)
7.a: Luana Silva (BRA) e Teresa Bonvalot (POR), Amuro Tsuzuki (JPN), Tainá Hinckel (BRA)
8.a: Sawyer Lindblad (EUA) e Zahli Kelly (AUS), Erin Brooks (CAN), Arena Rodriguez Vargas (PER)

RESULTADOS DO DOMINGO NO CORONA SAQUAREMA PRO:

SEGUNDA FASE – entrada dos 48 cabeças de chave:
—–3.o=33.o lugar (US$ 1.500 e 700 pts) e 4.o=49.o lugar (US$ 1.250 e 600 pts)
1.a: 1-Shion Crawford (HAV), 2-Jacob Willcox (AUS), 3-Marc Lacomare (FRA), 4-Dylan Moffat (AUS)
2.a: 1-Reef Heazlewood (AUS), 2-Jackson Baker (AUS), 3-Vitor Ferreira (BRA), 4-Miguel Tudela (PER)
3.a: 1-Mateus Herdy (BRA), 2-Jordan Lawler (AUS), 3-Carlos Munoz (CRC), 4-Nolan Rapoza (EUA)
4.a: 1-Jake Marshall (EUA), 2-Mihimana Braye (TAH), 3-Ian Gouveia (BRA), 4-Kauli Vaast (FRA)
5.a: 1-Nacho Gundesen (ARG), 2-Crosby Colapinto (EUA), 3-Edgard Groggia (BRA), 4-Dimitri Poulos (EUA)
6.a: 1-Luke Thompson (AFR), 2-Imaikalani deVault (HAV), 3-Jackson Bunch (HAV), 4-Teva Bouchgua (MAR)
7.a: 1-Daniel Emslie (AFR), 2-Jett Schilling (EUA), 3-Morgan Cibilic (AUS), 4-Te Kehukehu Butler (NZO)
8.a: 1-João Chianca (BRA), 2-Joel Vaughan (AUS), 3-Adin Masencamp (AFR), 4-Valentin Neves (BRA)
9.a: 1-Miguel Pupo (BRA), 2-Heitor Mueller (BRA), 3-Jorgann Couzinet (FRA), 4-Timothe Bisso (FRA)
10: 1-Michael Rodrigues (BRA), 2-Joan Duru (FRA), 3-Gatien Delahaye (FRA), 4-Jabe Swierkocki (EUA)
11: 1-Deivid Silva (BRA), 2-Cauã Costa (BRA), 3-Justin Becret (FRA), 4-Maxime Huscenot (FRA)
12: 1-Eli Hanneman (HAV), 2-Jadson André (BRA)3-Ryan Kainalo (BRA), 4-Alister Reginato (AUS)
13: 1-Jarvis Earle (AUS), 2-Frederico Morais (POR), 3-Mikey McDonagh (AUS), 4-Leo Casal (BRA)
14: 1-Marco Mignot (FRA), 2-Kade Matson (EUA), 3-Lucas Silveira (BRA), 4-Gabriel Klaussner (BRA)
15: 1-George Pittar (AUS), 2-Samuel Pupo (BRA), 3-Rafael Teixeira (BRA), 4-Sheldon Simkus (AUS)
16: 1-Alejo Muniz (BRA), 2-Cole Houshmand (EUA), 3-Billy Stairmand (NZL), 4-Lucca Mesinas (PER)

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *