2 de março de 2024

Medina pode ser tricampeão mundial em Portugal

0

O MEO Rip Curl Pro Portugal começa nesta quarta-feira em Peniche e pode decidir os títulos mundiais de 2019, antes das etapas que irão fechar a temporada do World Surf League Championship Tour no Havaí.

Gabriel Medina em Supertubos em 2018 Foto: Laurent Masurel/WSL

Para Gabriel Medina, o tricampeonato antecipado só será possível de acontecer, se ele chegar na final em Supertubos, o que já conseguiu duas vezes em oito participações nesta etapa. Já a havaiana Carissa Moore tem chances de conseguir o tetracampeonato nas semifinais da estreia do CT feminino em Peniche.

Cenários para o Título de Gabriel Medina em Portugal

Italo Ferreira voando para a vitória em 2018 Foto: Damien Poullenot/WSL

São dois cenários que podem colocar Gabriel Medina em um seleto grupo de apenas cinco surfistas que conseguiram três títulos, desde o início do Circuito Mundial de Surfe Profissional em 1976. O primeiro foi o australiano Mark Richards, tetracampeão em 1979/80/81/82.

O segundo foi o californiano Tom Curren em 1985/86/90. Aí veio Kelly Slater repetindo o feito logo nos primeiros anos da divisão do circuito em Championship Tour e Qualifying Series, em 1992, 94 e 95, com 23 anos de idade somente. O maior fenômeno da história do esporte, ainda faturou outros oito títulos, sendo o único a emendar um pentacampeonato consecutivo em 1994/95/96/97/98, quando resolveu dar um tempo no Circuito Mundial.

O havaiano Andy Irons (in memoriam) foi o terceiro a igualar um tricampeonato seguido em 2002/03/04, como Mark Richards havia conseguido no início do Circuito Mundial. Já o último a entrar nesta lista foi o australiano Mick Fanning, campeão em 2007, 2009 e 2013. São duas possibilidades para Gabriel Medina entrar neste grupo já no MEO Rip Curl Pro Portugal, antes mesmo do Billabong Pipe Masters, que fecha a temporada 2019 em dezembro no Havaí.

Briga principal pelo título entre três brasileiros, sul africano e norte americano

Filipe Toledo no ano passado Foto: Damien Poullenot/WSL

Para isso, precisa chegar na final em Supertubos, o que já conseguiu duas vezes, ambas enfrentando Julian Wilson. O australiano o derrotou em 2012, mas Medina deu o troco em 2017 e no ano passado parou nas semifinais, sendo barrado pelo defensor do título, Italo Ferreira.

Uma segunda vitória em Portugal pode lhe garantir o tricampeonato mundial se o vice-líder, Filipe Toledo, não tiver chegado nas quartas de final e o número 4 do ranking, Italo Ferreira, não for o outro finalista igualmente pela terceira vez, pois foi campeão no ano passado e vice em 2015, na decisão brasileira com Filipe Toledo.

Os três principais concorrentes já têm vitórias em Portugal. O tricampeonato antecipado também pode acontecer com a simples passagem de Medina para a grande final, desde que Filipe tenha perdido até a terceira fase e não consiga um nono lugar nas oitavas de final, se Italo não tiver chegado nas quartas de final, senão poderá igualar seus 54.485 pontos com uma vitória no Havaí, forçando uma bateria extra para definir o campeão em Pipeline. Além disso, o sul-africano Jordy Smith e o californiano Kolohe Andino, não poderão ter passado para as semifinais, o que também levaria a decisão do título para o Billabong Pipe Masters.

8 surfistas na disputa: Vencer ou, defender a liderança em Portugal

Italo Ferreira campeão do MEO Rip Curl Pro Portugal 2018 Foto: Laurent Masurel/WSL

Apesar de oito surfistas terem chances matemáticas de ser campeão mundial de 2019, já com John John Florence fora da lista por estar contundido, apenas os top-5 do ranking vão brigar pela liderança do ranking nesta penúltima etapa da temporada. Para superar os atuais 48.015 pontos do Gabriel Medina, Filipe Toledo já precisa chegar nas quartas de final, Jordy Smith nas semifinais, Italo Ferreira na grande final e Kolohe Andino vencer o campeonato.

Se chegar nas oitavas de final, acaba com as chances do Kolohe e Filipe só conseguirá ultrapassar os 50.005 pontos que Medina passaria a somar nas semifinais, enquanto Jordy e Italo já necessitariam da vitória para isso. Caso avance para as quartas de final, totalizará 51.430 pontos e Italo sai da briga pela ponta em Portugal, Filipe terá que chegar na final e Jordy da vitória. Se passar para as semifinais, Jordy também sai da batalha pela lycra amarela do Jeep Leaderboard no MEO Rip Curl Pro e Filipe terá que vencer para superar os 52.770 pontos de Medina, que se garante na liderança se chegar na grande final.

Fonte: João Carvalho – WSL Latin America Media Manager

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *