19 de junho de 2024

Melhores do mundo vão desafiar os tubos de Teahupo´o no palco das Olimpíadas

0

A etapa do Taiti será a primeira do CT após o corte da elite, Medina, Italo, Yago e Tatiana são os brasileiros que ficaram, SHISEIDO Tahiti Pro serve de preparação para as Olimpíadas e o prazo começa na quarta-feira e vai até o dia 31 de maio

A bancada de Teahupo´o forma um dos tubos mais desafiadores do mundo. Foto: @WSL/Damien Poullenot.

 O SHISEIDO Tahiti Pro apresentado por Outerknown vai promover a primeira etapa após o corte da elite no meio da temporada 2024 do World Surf League (WSL) Championship Tour (CT). Será a última chance para a torcida ver os melhores surfistas do mundo desafiando os tubos de Teahupo´o, antes da disputa por medalhas nos Jogos Olímpicos de Paris. A competição do surfe será realizada nesta mesma perigosa bancada de corais, que não permite erros. Quatro surfistas vão representar a seleção brasileira da WSL a partir desta sexta etapa do CT 2024, os campeões mundiais Gabriel Medina e Italo FerreiraYago Dora e Tatiana Weston-Webb.

O prazo do SHISEIDO Tahiti Pro começa na próxima quarta-feira e vai até o dia 31 de maio na Polinésia Francesa. Se o evento for iniciado pela categoria feminina, o Brasil estreará na primeira bateria, com Tatiana Weston-Webb enfrentando a costa-ricense Brisa Hennessy e a havaiana Gabriela Bryan. Com a redução do número de participantes de 18 para 12 surfistas, a vitória nas baterias da primeira fase já vale passagem direta para as quartas de final. Quem ficar na segunda e terceira posições, têm uma segunda chance de classificação na repescagem.

Na competição masculina, a quantidade de surfistas caiu de 36 para 24 e quem estrear com vitória, avança para as oitavas de final, com os dois derrotados indo para a repescagem, quando as baterias passam a ser no sistema homem a homem. Yago Dora será o primeiro brasileiro a desafiar os tubos de Teahupo´o. Ele foi escalado na segunda bateria, com o havaiano John John Florence e o indonésio Rio Waida. Italo Ferreira entra na quarta com o californiano e líder do ranking, Griffin Colapinto, e o vencedor da triagem entre surfistas locais, que ainda será disputada.

Gabriel Medina é um dos melhores do mundo nos tubos de Teahupo´o. Foto: @WSL/Beatriz Ryder.

O tricampeão mundial Gabriel Medina estreia na sexta das oito baterias da primeira fase, com o californiano Jake Marshall e o havaiano Imaikalani deVault. Medina é um dos favoritos ao título do SHISEIDO Tahiti Pro e pela medalha de ouro nas Olímpiadas também. Ele será um dos representantes do Brasil nos Jogos de Paris, junto com Filipe ToledoJoão ChiancaTatiana Weston-WebbLuana Silva e Tainá Hinckel. O Brasil é o único país que terá seis surfistas disputando medalhas nas Olimpíadas da França. O Gabriel, a Tainá e a Luana, se classificaram no último ISA Surfing Games em Porto Rico esse ano, enquanto FilipeJoão Tatiana, confirmaram seus nomes pelo ranking da WSL de 2023.

Gabriel Medina já surfou quatro tubos perfeitos em Teahupo´o, que receberam nota 10 dos juízes e decidiu o título da etapa taitiana seis vezes. Ele só não supera o GOAT, Kelly Slater, que chegou em sete finais e venceu cinco títulos. O brasileiro ganhou a sua primeira decisão em 2014 e venceu também em 2018, nos dois anos que conquistou os seus primeiros títulos mundiais. Os vice-campeonatos foram em 2015, 2017, 2019 e no ano passado, quando perdeu para o australiano Jack Robinson. Já Slater, que é um dos convidados do SHISEIDO Tahiti Pro, foi campeão em 2000, 2003, 2005, 2011 e 2016. Só não ganhou em 2013 e em 2014, quando foi derrotado por Gabriel Medina.

Kelly Slater é o recordista com 5 vitórias na etapa do Taiti em Teahupo´o. Foto: @WSL/Beatriz Ryder.

LEXUS WSL FINALS – Depois do corte na elite na Austrália, os 22 homens e as 10 mulheres que permaneceram, já com suas vagas garantidas na elite do ano que vem, vão brigar agora para terminar entre os top-5 e as top-5 dos rankings. Os brasileiros terão que buscar uma recuperação para chegar neste grupo, que vai disputar os títulos mundiais de 2024 no Lexus WSL Finals, em setembro nas ondas de Trestles, na Califórnia. No momento, Italo Ferreira ocupa o 16.o lugar no ranking, com Gabriel Medina em 19.o e Yago Dora em 22.o. Já Tatiana Weston-Webb ficou em nono, entre as 10 que escaparam do corte. 

Desde que a World Surf League mudou o formato para definir os campeões mundiais, em um sistema mata-mata entre os 5 melhores da temporada e em um único de competição, só deu brasileiro sendo campeão. As três primeiras edições aconteceram nas ondas de alta performance de Trestles, em San Clemente, na Califórnia, mesmo palco do Lexus WSL Finals este ano também. Gabriel Medina conquistou o tricampeonato mundial em 2021, numa final brasileira com Filipe Toledo, que foi bicampeão em 2022 e 2023.

O desafio nos tubos de Teahupo´o será transmitido ao vivo pelos canais da WSL. Foto: @WSL/Matt Dunbar.

TRANSMISSÃO AO VIVO – As etapas do World Surf League Championship Tour 2024 podem ser assistidas ao vivo pelo Sportv e Globoplay, parceiros de mídia da WSL no Brasil. Neste ano, a transmissão em português pelos canais da World Surf League, pela primeira vez está sendo produzida no Brasil e também pelo WorldSurfLeague.com e pelo Aplicativo e Canal da WSL no YouTube, pode ser acessada a transmissão em espanhol e em inglês.

BATERIAS DA PRIMEIRA FASE DO SHISEIDO TAHITI PRO:

CATEGORIA MASCULINA – 1.o=Oitavas de Final / 2.o e 3.o=Repescagem:
1.a- Ethan Ewing (AUS), Seth Moniz (HAV), Connor O´Leary (JPN)
2.a- John John Florence (HAV), Rio Waida (IDN), Yago Dora (BRA)
3.a- Jack Robinson (AUS), Ramzi Boukhiam (MAR), Kelly Slater (EUA)
4.a- Griffin Colapinto (EUA), Italo Ferreira (BRA), vencedor da triagem
5.a- Jordy Smith (AFR), Crosby Colapinto (EUA), Matthew McGillivray (AFR)
6.a- Jake Marshall (EUA), Imaikalani deVault (HAV), Gabriel Medina (BRA)
7.a- Barron Mamiya (HAV), Liam O´Brien (AUS), Ryan Callinan (AUS)
8.a- Cole Houshmand (EUA), Kanoa Igarashi (JPN), Leonardo Fioravanti (ITA)

CATEGORIA FEMININA – 1.a=Quartas de Final / 2.a e 3.a=Repescagem:
1.a- Brisa Hennessy (CRC), Gabriela Bryan (HAV), Tatiana Weston-Webb (BRA)
2.a- Caitlin Simmers (EUA), Tyler Wright (AUS), Vahine Fierro (FRA)
3.a- Johanne Defay (FRA), Bettylou Sakura Johnson (HAV), Carissa Moore (HAV)
4.a- Molly Picklum (AUS), Caroline Marks (EUA), Sawyer Lindblad (EUA)

SURFISTAS QUE SEGUEM DISPUTANDO O CT 2025:

TOP-22 DO RANKING MASCULINO:
1.o- Griffin Colapinto (EUA) – 25.865 pontos
2.o- Jack Robinson (AUS) – 24.650
3.o- John John Florence (HAV) – 23.665
4.o- Ethan Ewing (AUS) – 20.610
5.o- Jordy Smith (AFR) – 16.905
6.o- Jake Marshall (EUA) – 16.130
7.o- Barron Mamiya (HAV) – 15.980
8.o- Cole Houshmand (EUA) – 15.980
9.o- Kanoa Igarashi (JPN) – 15.770
10.o- Liam O´Brien (AUS) – 14.705
11.o- Imaikalani deVault (HAV) – 14.140
12.o- Crosby Colapinto (EUA) – 14.055
13.o- Seth Moniz (HAV) – 13.490
14.o- Rio Waida (IDN) – 12.990
15.o- Ramzi Boukhiam (MAR) – 12.715
16.o- Italo Ferreira (BRA) – 12.715
17.o- Leonardo Fioravanti (ITA) – 12.150
18.o- Ryan Callinan (AUS) – 12.065
19.o- Gabriel Medina (BRA) – 12.065
20.o- Matthew McGillivray (AFR) – 12.065
21.o- Connor O´Leary (JPN) – 12.065
22.o- Yago Dora (BRA) – 11.290

TOP-10 DO RANKING FEMININO:
1.a- Caitlin Simmers (EUA) – 29.490 pontos
2.a- Johanne Defay (FRA) – 27.290
3.a- Molly Picklum (AUS) – 25.155
4.a- Brisa Hennessy (CRC) – 24.340
5.a- Gabriela Bryan (HAV) – 22.100
6.a- Caroline Marks (EUA) – 21.660
7.a- Bettylou Sakura Johnson (HAV) – 21.240
8.a- Tyler Wright (AUS) – 19.105
9.a- Tatiana Weston-Webb (BRA) – 18.185
10.a- Sawyer Lindblad (EUA) – 17.765

CORTADOS DO CT 2024 NA METADE DA TEMPORADA:

FORA DOS TOP-22 DO RANKING MASCULINO:
23.o- Samuel Pupo (BRA) – 10.725 pontos
24.o- Ian Gentil (HAV) – 10.075
25.o- Caio Ibelli (BRA) – 9.300
26.o- Miguel Pupo (BRA) – 9.300
27.o- Kade Matson (EUA) – 8.735
28.o- Jacob Willcox (AUS) – 7.310
29.o- Frederico Morais (POR) – 7.310
30.o- Callum Robson (AUS) – 6.245
31.o- Eli Hannemann (HAV) – 5.320
32.o- Kelly Slater (EUA) – 5.320
33.o- Deivid Silva (BRA) – 5.320
34.o- João Chianca (BRA) – 1.060
35.o- Filipe Toledo (BRA) – 265

FORA DAS TOP-10 DO RANKING FEMININO:
11.a- Lakey Peterson (EUA) – 16.050 pontos
12.a- Luana Silva (BRA) – 14.710
13.a- Sally Fitzgibbons (AUS) – 12.575
14.a- Isabella Nichols (AUS) – 12.575
15.a- India Robinson (AUS) – 12.575
16.a- Alyssa Spencer (EUA) – 10.440
17.a- Sophie McCulloch (AUS) – 8.875
18.a- Carissa Moore (HAV) – 1.045

Fonte: João Carvalho – WSL Latin America Media Manager

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *