23 de fevereiro de 2024

Punta Lobos (CHI) sedia a 35ª etapa do QS Feminino

0

Chile volta a sediar o Maui and Sons Pichilemu Women´s Pro by Royal Guard

DCIM100MEDIADJI_0019.JPG

Já é quase uma tradição em Punta de Lobos, a realização do Maui and Sons Pichilemu Women´s Pro by Royal Guard na abertura da temporada de verão no sul do Chile. Pelo sexto ano consecutivo, o evento mais importante de surfe feminino do país, será disputado nos dias 31 de outubro a 2 de novembro em Pichilemu.

Válida como a 35.a etapa do WSL Qualifying Series, que neste ano já passou por quatorze países, o resultado no Chile vale pontos para o ranking mundial que classifica seis surfistas para a elite do World Surf League Championship Tour e, também vai decidir a campeã sul-americana de 2019 da WSL Latin America.

A menos de um mês do seu início, surfistas importantes já confirmaram suas participações no Maui and Sons Pichilemu Women´s Pro by Royal Guard, com destaque para algumas atletas locais de Pichilemu e da região de O´Higgins, como Lorena Fica, que está em segundo lugar no ranking da WSL Latin America e pode ser a primeira chilena da história a ser campeã sul-americana de surfe profissional.

Lorena Fica. Foto: Luis Barra/Maui and Sons

É comum, surfistas de várias partes do planeta participarem do evento todos os anos. Depois da etapa chilena, só haverá mais duas do WSL Qualifying Series na Austrália, para fechar a lista das seis classificadas para o CT 2020.

Nas ondas pesadas de Punta de Lobos, serão disputados importantes 1.500 pontos para o ranking mundial e uma premiação total de 10.000 dólares. Esta será a última etapa feminina organizada pela WSL Latin America esse ano e vai decidir o título sul-americano da temporada 2019, como vem acontecendo nas últimas temporadas.

O grande prêmio para a campeã, é a garantia de participação nas provas mais importantes do WSL Qualifying Series, com status QS 6000 e QS 10000, que praticamente definem a lista das seis indicadas para o CT.

“Nos últimos anos, tivemos uma excelente participação de atletas de alto nível, vindas de diferentes continentes do mundo”, destaca Tito Loyola, membro da equipe organizadora do Maui and Sons Pichilemu Women´s Pro“O surfe feminino vem ganhando mais adeptas a cada dia e pretendemos produzir um grande evento em 2019, cumprindo todos os padrões e exigências internacionais, para posicionar o Chile não apenas como um excelente destino turístico, mas com a geografia do oceano ideal para realizar este e outros eventos esportivos”.

Peruana Anali Gomez campeã em Pichilemu em 2018. Foto: Luis Barra/Maui and Sons

Na mesma linha de pensamento, Giancarlo Giglio, gerente de marketing da Maui and Sons no Chile, ressalta: “O Chile já é uma parada obrigatória para o Mundial de Surfe Feminino. É por isso que, todos os anos, procuramos surpreender agradavelmente a todas as atletas e turistas que visitam Pichilemu no fim de semana do evento, desde toda a produção da estrutura, até o cuidado das nossas praias”.

A surfista chilena, Trinidad Segura, também integra a equipe organizadora do evento e destaca a importância do apoio governamental: “Quero enfatizar que este será o primeiro ano que teremos a parceria do governo regional, com apoio total do seu prefeito, Juan Manuel Masferrer, CORES da região de O´Higgins e do Ministério do Esporte, por isso estamos muito felizes, porque sem esse suporte, nem conseguiríamos fazer o evento esse ano. E também agradecemos ao importante apoio concedido anualmente pelo município de Pichilemu”.

Preocupação ambiental: Evento neutro em carbono

Além da competição, o Maui and Sons Pichilemu Women´s Pro by Royal Guard terá toda a preocupação da preservação do meio ambiente, como nos anos anteriores. Novamente, teremos a particularidade de tentar realizar um evento neutro em carbono, ou seja, com ecoeficiência organizacional que busca reduzir as emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE) dos processos produtivos, a fim de diminuir ao máximo, as causas e efeitos das mudanças climáticas. Além disso, haverá pontos verdes durante todo o campeonato, para que os visitantes também possam desfrutar do evento, surfar e reciclar ao mesmo tempo.

Fonte: João Carvalho – WSL South America Media Manager

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *