21 de fevereiro de 2024

Samuel Pupo e Erin Brooks vencem o Corona Saquarema Pro 

0

Samuca derrotou o taitiano Mihimana Braye na decisão, antes, já tinha confirmado a vaga de Deivid Silva no CT e O Brasil é maioria com nove surfistas na elite masculina. A canadense superou Sophie McCulloch na outra final

Erin Brooks e Samuel Pupo com os troféus das vitórias no Corona Saquarema Pro. Foto: @WSL/Samuel Pupo.

O brasileiro Samuel Pupo e a canadense de apenas 16 anos, Erin Brooks, conquistaram os desejados troféus das vitórias no Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil. Samuca derrotou o taitiano Mihimana Braye e fechou a temporada na vice-liderança do ranking do Challenger Series 2023. Antes, ele já havia confirmado a vaga de Deivid Silva no World Surf League (WSL) Championship Tour (CT), com o Brasil passando a ter maioria com nove surfistas na elite masculina de 2024. Já o primeiro título na primeira final de Erin Brooks, foi conquistado sobre a australiana Sophie McCulloch.
 
“É uma emoção gigante. O campeonato foi muito longo, consegui fazer ótimas baterias e mais uma boa na final, então estou muito feliz pela vitória”, disse Samuel Pupo“Eu achei uma direita que estava difícil de entrar hoje, mas senti que estava bem conectado e foi onde tirei minha maior nota. O mar ficou bem difícil e esse lugar é muito especial para mim. Eu fiz uma final no ano passado aqui, com o Filipe (Toledo) no CT e fiquei em segundo, então agora ganhar esse campeonato foi demais”.

Samuel Pupo na onda da vitória no Corona Saquarema Pro 2023. Foto: @WSL/Daniel Smorigo.

No ano passado, Samuel Pupo decidiu o título da etapa brasileira do CT em Saquarema, nas mesmas ondas da Praia de Itaúna. Mas, enfrentou um invicto Filipe Toledo e o bicampeão mundial conquistou sua terceira vitória seguida no Maracanã do Surf da Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Na final do Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil, Samuca achou uma rara direita no sábado, que abriu bem a parede na bancada, para fazer uma série de batidas e rasgadas de frontside, que valeram nota 8,00. Ela acabou selando a vitória por 14,17 a 10,93 pontos. Tanto Samuel Pupo, como Erin Brooks, receberam o mesmo prêmio de 20.000 dólares pelos títulos. 

A WSL Latin America inovou mais uma vez, oferecendo troféus especiais para os finalistas do Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil. Inspirados em Toy Art, eles foram produzidos pela PB Arts, com as peças esculpidas em resina oca em uma base de madeira. Os troféus chegaram na Praia de Itaúna carregados por um paraquedista e entregues para a prefeita de Saquarema, Manoela Peres. Foi mais uma novidade da etapa brasileira do Challenger Series, que também teve apresentação especial dos finalistas na passarela da arena do evento, antes de entrarem nas decisões dos títulos.

Sophie McCulloch, Erin Brooks, Mihimana Braye e Samuel Pupo. Foto: @WSL/Thiago Diz.

“Eu estava brincando com a minha mãe (Jeane Pupo), que eu tinha visto a mesma arte no Instagram da PB Arts. Eu até queria comprar e na hora que vi que era esse troféu, eu falei pra mim mesmo que teria que ganhar ele aqui (risos)”, contou Samuel Pupo, que falou sobre fechar a temporada com vitória. “Vir aqui e conseguir a vaga pro CT, já era uma missão muito difícil. Não dava nem pra acreditar e sair daqui vitorioso, só mostra quão grande Deus é e tudo que Ele faz na minha vida. Toda honra e toda glória ao Senhor, por essa vitória incrível”.

ÚLTIMA VAGA NO CT 2024 – O caminho do título no sábado, começou com Samuel Pupo garantindo a última vaga para o CT 2024 para seu grande amigo, Deivid Silva. Ela foi confirmada quando Samuca derrotou o francês Marco Mignot no último duelo das quartas de final. Na bateria anterior, o cearense Michael Rodrigues também poderia tirar o DVD do G-10, se passasse para as semifinais. Mas, Michael perdeu para Eli Hanneman e terminou em 11.o lugar no ranking final do Challenger Series 2023, logo à frente de outro brasileiro, Mateus Herdy.

“Estou muito feliz. Eu sabia quanto essa bateria com o francês (Marco Mignot) era importante para mim e para o Deivid (Silva) também”, destacou Samuel Pupo“Ele sempre viaja comigo e com meu irmão (Miguel Pupo) para os campeonatos há muito tempo e merecia muito se classificar. A gente se conhece desde criança, sei o quanto ele batalhou por isso e agora estamos nós dois de volta para o CT”.

Samuel Pupo com Deivid Silva emocionado pela classificação para o CT 2024. Foto: @WSL/Thiago Diz.

Deivid Silva não estava na praia na hora da bateria, mas chegou depois e foi bastante festejado pelos brasileiros na arena do evento: “Eu nem consegui dormir essas últimas noites e fiquei até doente, por conta da pressão desses resultados. Eu fiquei em casa mais tranquilo, porque é difícil torcer contra, então deixei tudo nas mãos de Deus. Acho que era pra ser desse jeito, então estou muito amarradão por estar de volta ao CT. Vai ser um ano incrível, quero mostrar mais do que posso fazer e estou feliz também pelo Samuel (Pupo) ter conseguido a classificação. Na verdade, muito obrigado ao Samuel pela vaga e vamos com tudo, seguir treinando forte que no começo do ano tem mais”.

Apesar de não ter conseguido a vaga para o CT 2024, Michael Rodrigues não se abateu: “Pois é, acabou o ano pra mim, mas estou amarradão, porque me superei esse ano em todos os aspectos. Eu dei meu máximo e estou muito orgulhoso de mim. Nem sabia que podia lidar com tanta pressão e me sinto pronto para os próximos desafios. Vou ter muito tempo para me preparar agora e espero voltar como uma máquina, para me classificar no próximo ano. Estou feliz, orgulhoso de mim e da minha equipe toda. A gente fez um trabalho excelente e às vezes não dá mesmo, mas estou feliz pra caramba”.

Michael Rodrigues não conseguiu passar por Eli Hanneman e ficou fora do CT. Foto: @WSL/Daniel Smorigo.

MAIORIA BRASILEIRA – Apesar de Michael Rodrigues ficar de fora, Samuel Pupo confirmou a vaga de Deivid Silva e garantiu a maioria brasileira com nove surfistas na elite masculina do CT em 2024. Além de Samuca e DVD classificados pelo Challenger Series, a seleção brasileira terá os campeões mundiais Filipe Toledo, Gabriel Medina e Italo Ferreira, João Chianca, Yago Dora, Caio Ibelli e Miguel Pupo, com Tatiana Weston-Webb sendo a única na elite feminina.

Já somando a quantidade total de surfistas nas categorias masculina e feminina, a Austrália tem o maior pelotão com 13 atletas, contra 11 dos Estados Unidos, 10 do Brasil e 9 do Havaí. Mais sete países serão representados na disputa pelos títulos mundiais no World Surf League Championship Tour 2024, a África do Sul com dois competidores, Itália com um, Japão com um também, assim como a Indonésia, França, Costa Rica e Portugal, que volta ao grupo dos melhores do mundo com Frederico Morais.

Samuel Pupo carregado pelo irmão Miguel e por Mateus Herdy. Fotos: @WSL/Thiago Diz.

PRIMEIRA VITÓRIA – Na categoria feminina, a grande surpresa foi Erin Brooks. A canadense tem apenas 16 anos e participou do Challenger Series pela primeira vez. Nas semifinais, ela derrotou Nadia Erostarbe, do País Basco, com este resultado confirmando a última vaga no CT 2024 para a australiana Isabella Nichols. Na decisão do título, a pequenina Erin Brooks destruiu uma onda com uma série de manobras executadas com pressão e velocidade, que valeram nota 8,67. Com ela, fechou a sua primeira vitória importante da carreira, por 13,67 a 7,50 pontos da australiana Sophie McCulloch.

Com o título, Erin Brooks subiu da 21.a para a nona posição no ranking, entrando no grupo da sexta a décima colocadas, que garante participação no Challenger Series do ano que vem. A canadense acabou tirando a própria Sophie McCulloch dessa lista, que terminou em 11.o lugar no ranking final de 2023. Curiosamente, nesse mesmo ano, a jovem norte-americana de apenas 17 anos, festejou sua primeira vitória em etapas do CT, Caitlin Simmers, campeã do Vivo Rio Pro apresentado por Corona. Agora, foi Erin Brooks quem fez história, como a mais jovem vencedora da etapa brasileira do Challenger Series.

Erin Brooks jogando água pra cima com suas manobras na Praia de Itaúina. Fotos: @WSL/Daniel Smorigo.

“Estou muito feliz por ter me qualificado pro Challenger do próximo ano. Isso vai me dar mais tempo para trabalhar meu surfe e espero fazer alguns aéreos nas baterias do ano que vem”, disse Erin Brooks, que tem as manobras aéreas como arma. “A bateria não começou muito bem para mim, mas Deus me mandou ondas incríveis para eu vencer. A Sophie (McCulloch) é uma grande competidora e eu adorei Saquarema. Amei o lugar, as pessoas, a comida e as ondas aqui são muito divertidas”.

LISTA DO CHALLENGER SERIES – O encerramento do Challenger Series pela primeira vez no Brasil e não no Havaí, fechou a lista dos 10 homens e 5 mulheres classificados para o CT 2024. Desse total, 12 vagas foram confirmadas nesta semana em Saquarema. O ranking feminino terminou com India Robinson (AUS) em primeiro lugar, seguida por Sally Fitzgibbons (AUS), Sawyer Lindblad (EUA), Alyssa Spencer (EUA) e Isabella Nichols (AUS). No masculino, em primeiro lugar ficou Cole Houshmand (EUA), com Samuel Pupo (BRA) em segundo, depois Jacob Willcox (AUS), Crosby Colapinto (EUA), Eli Hanneman (HAV), Imaikalani deVault (HAV), Frederico Morais (PRT), Jake Marshall (EUA), Kade Matson (AUS) e Deivid Silva (BRA).

Cerimônia de premiação no pódio do Corona Saquarema Pro 2023. Fotos: @WSL/Daniel Smorigo.

O Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil foi mais um evento realizado pela WSL Latin America com grande sucesso na Praia de Itaúna, contando com os patrocínios da Corona, Banco do Brasil, Prefeitura Municipal de Saquarema, Secretaria de Esporte e Lazer do Governo do Estado do Rio de Janeiro, Vivo, Natura Kaiak, Yeti e TikTok. A etapa final do Challenger Series foi transmitida ao vivo de Saquarema pelo Sportv e pelo WorldSurfLeague.com e Aplicativo e Canal da WSL no YouTube.

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO CORONA SAQUAREMA PRO:
Campeão: Samuel Pupo (BRA) por 14,17 pts (8,00+6,17) – US$ 20.000 e 10.000 pts
2.o lugar: Mihimana Braye (TAH) com 10,93 pts (5,93+5,00) – US$ 10.000 e 7.800 pts

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 5.000 e 6.085 pontos:
1.a: Mihimana Braye (TAH) 11,50 x 7,14 Crosby Colapinto (EUA)
2.a: Samuel Pupo (BRA) 13,50 x 12,00 Eli Hanneman (HAV)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 3.500 e 4.745 pontos:
1.a: Mihimana Braye (TAH) 14,83 x 12,27 Shion Crawford (HAV)
2.a: Crosby Colapinto (EUA) 14,57 x 12,30 Imaikalani deVault (HAV)
3.a: Eli Hanneman (HAV) 16,83 x 13,60 Michael Rodrigues (BRA)
4.a: Samuel Pupo (BRA) 14,00 x 13,50 Marco Mignot (FRA)

DECISÃO DO TÍTULO FEMININO:
Campeã: Erin Brooks (CAN) por 13,67 pts (8,67+5,00) – US$ 20.000 e 10.000 pts
2.o lugar: Sophie McCulloch (AUS) com 7,50 pts (4,00+3,50) – US$ 10.000 e 7.800 pts

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 5.000 e 6.085 pontos:
1.a: Sophie McCulloch (AUS) 10,50 x 6,77 Francisca Veselko (POR)
2.a: Erin Brooks (CAN) 12,83 x 8,94 Nadia Erostarbe (BAS)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 3.500 e 4.745 pontos:
1.a: Francisca Veselko (POR) 5,60 x 4,60 Kirra Pinkerton (EUA)
2.a: Sophie McCulloch (AUS) 15,17 x 8,84 Alyssa Spencer (EUA)
3.a: Nadia Erostarbe (BAS) 13,16 x 5,70 India Robinson (AUS)
4.a: Erin Brooks (CAN) 13,16 x 4,50 Sawyer Lindblad (EUA)

LISTA DA ELITE DO WSL CHAMPIONSHIP TOUR 2024:

BRASIL: 10 surfistas=9 homens e 1 mulher – Filipe Toledo (1.o no CT 23), João Chianca (4.o), Gabriel Medina (6.o), Yago Dora (7.o), Italo Ferreira (13.o), Caio Ibelli (18.o), Miguel Pupo (wildcard), Samuel Pupo (2.o no CS 23), Deivid Silva (10.o) e Tatiana Weston-Webb (8.a no CT)

AUSTRÁLIA: 13 surfistas=7 homens+6 mulheres – Ethan Ewing (2.o no CT), Jack Robinson (5.o), Ryan Callinan (10.o), Connor O´Leary (11.o), Liam O´Brien (17.o), Callum Robson (20.o), Jacob Willcox (3.o no CS), Tyler Wright (3.a no CT), Molly Picklum (5.a), Stephanie Gilmore (6.a), India Robinson (1.a no CS), Sally Fitzgibbons (2.a) e Isabella Nichols (5.a)

ESTADOS UNIDOS: 11 surfistas=6 homens+5 mulheres – Griffin Colapinto (3.o no CT), Kelly Slater (wildcard), Cole Houshmand (1.o no CS), Crosby Colapinto (4.o), Jake Marshall (8.o), Kade Matson (9.o), Caroline Marks (1.a no CT), Caitlin Simmers (4.a), Lakey Peterson (7.a), Sawyer Lindblad (3.a no CS) e Alyssa Spencer (4.a)

HAVAÍ: 9 surfistas=6 homens e 3 mulheres – John John Florence (8.o no CT), Barron Mamiya (12.o), Ian Gentil (14.o), Seth Moniz (22.o), Eli Hanneman (5.o no CS), Imaikalani deVault (6.o), Carissa Moore (2.a no CT), Gabriela Bryan (9.a) e Bettylou Sakura Johnson (10.a)

ITÁLIA: 1 surfista – Leonardo Fioravanti (9.o no CT)
JAPÃO: 1 surfista – Kanoa Igarashi (14.o no CT)
ÁFRICA DO SUL: 2 surfistas – Jordy Smith (16.o no CT) e Matthew McGillivray (19.o)
INDONÉSIA: 1 surfista – Rio Waida (21.o no CT)
FRANÇA: 1 surfista – Johanne Defay (wildcard)
COSTA RICA: 1 surfista – Brisa Hennessy (wildcard)
PORTUGAL: 1 surfista – Frederico Morais (6.o no CS)

RANKINGS DO WSL CHALLENGER SERIES 2023:

TOP-10 DA CATEGORIA MASCULINA – 6 etapas: 
1.o- Cole Houshmand (EUA) – 28.065 pontos
2.o- Samuel Pupo (BRA) – 23.400
3.o- Jacob Willcox (AUS) – 22.035
4.o- Crosby Colapinto (EUA) – 21.670
5.o- Eli Hanneman (HAV) – 21.105
6.o- Imaikalani deVault (HAV) – 19.185
6.o- Frederico Morais (PRT) – 19.185
8.o- Jake Marshall (EUA) – 17.565
9.o- Kade Matson (EUA) – 17.470
10.o- Deivid Silva (BRA) – 17.120
——–outros sul-americanos no ranking:
11: Michael Rodrigues (BRA) – 16.130 pontos
12: Mateus Herdy (BRA) – 16.050
21: Jadson André (BRA) – 11.465
26: Alejo Muniz (BRA) – 9.245
37: Lucca Mesinas (PER) – 6.520
40: Ian Gouveia (BRA) – 6.200
42: Leo Casal (BRA) – 5.700
44: Edgard Groggia (BRA) – 5.420
47: João Chianca (BRA) – 5.220
48: Lucas Silveira (BRA) – 5.100
51: Rafael Teixeira (BRA) – 5.000
54: Miguel Tudela (PER) – 4.800
58: Miguel Pupo (BRA) – 3.920
65: Nacho Gundesen (ARG) – 3.320
65: Heitor Mueller (BRA) – 3.320
68: Ryan Kainalo (BRA) – 3.300
77: Cauã Costa (BRA) – 1.900
85: Guillermo Satt (CHL) – 1.500
92: Krystian Kymerson (BRA) – 950
96: Vitor Ferreira (BRA) – 700
101: Caio Ibelli (BRA) – 600
101: Gabriel Klaussner (BRA) – 600
101: Valentin Neves (BRA) – 600
108: Matheus Navarro (BRA) – 300
108: Marco Giorgi (URU) – 300
113: Gabriel André (BRA) – 250
113: Marcos Correa (BRA) – 250

TOP-5 DA CATEGORIA FEMININA – 6 etapas:
1.a- India Robinson (AUS) – 26.915 pontos
2.a- Sally Fitzgibbons (AUS) – 26.430
3.a- Sawyer Lindblad (EUA) – 25.865
4.a- Alyssa Spencer (EUA) – 24.235
5.a- Isabella Nichols (AUS) – 22.725
——–sul-americanas no ranking:
6.a- Luana Silva (BRA) – 20.610 pontos
19: Daniella Rosas (PER) – 11.665
27: Sol Aguirre (PER) – 8.820
33: Sophia Medina (BRA) – 7.000
34: Laura Raupp (BRA) – 6.920
39: Silvana Lima (BRA) – 5.800
47: Tainá Hiinckel (BRA) – 3.320
52: Arena Rodriguez Vargas (PER) – 2.550
55: Dominic Barona (EQU) – 1.950
61: Catalina Zariquiey (PER) – 700
62: Karol Ribeiro (BRA) – 650
62: Bruna Carderelli (BRA) – 650
62: Taís Almeida (BRA) – 650

Fonte: João Carvalho – WSL Latin America Media Manager

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *