19 de junho de 2024

Tatiana Weston-Webb perde com o primeiro tubo nota 10 do SHISEIDO Tahiti Pro

0

A campeã Vahine Fierro barrou a brasileira nas semifinais e três brasileiros disputam as oitavas de final em Teahupo´o. Yago Dora despachou o defensor do título, Jack Robinson, e a próxima chamada será as 7h00 da quinta-feira no Taiti, 14h00 no Brasil

Tatiana Weston-Webb no tubo que arrancou a primeira nota 10 em Teahupo´o. Foto: @WSL/Matt Dunbar.

A brasileira Tatiana Weston-Webb surfou um tubo espetacular nas semifinais em Teahupo´o, que valeu a primeira nota 10 do SHISEIDO Tahiti Pro apresentado por Outerknown esse ano. Mas, a taitiana Vahine Fierro ainda conseguiu pegar um também que ganhou 9,63, para passar para a final da sexta etapa do World Surf League (WSL) Championship Tour (CT). Vahine depois conquistou o título derrotando a costa-ricense Brisa Hennessy, que assumiu a liderança no ranking. A quarta-feira prosseguiu com a repescagem masculina e Yago Dora despachou o defensor do título no Taiti, o australiano Jack Robinson

O catarinense aproveitou a segunda chance de classificação para as oitavas de final e se juntou aos campeões mundiais Gabriel Medina e Italo Ferreira, que tinham passado direto por terem estreado com vitórias no sábado. Depois o mar baixou e a continuação do SHISEIDO Tahiti Pro foi adiada no domingo, na segunda-feira e na terça, retornando na quarta-feira com um swell épico de 8-12 pés, bombando altos tubos em Teahupo´o. A expectativa é de que o campeonato termine na quinta-feira, ao vivo pelo WorldSurfLeague.com. 

A primeira chamada para iniciar as oitavas de final será as 7h00 (14h00 no Brasil) no palco dos Jogos Olímpicos de Paris 2024. Tatiana Weston-Webb vai representar o Brasil mais uma vez, como na estreia do surfe valendo medalhas nos Jogos de Tóquio 2020, disputado em 2021 no Japão. Italo Ferreira foi o primeiro campeão olímpico da história, mas não se classificou para tentar o bicampeonato. Já Gabriel Medina competiu no Japão e terá uma segunda chance, sendo apontado como um dos favoritos ao título. Além do tricampeão mundial, também estarão disputando medalhas nos tubos de Teahupo´o, o bicampeão Filipe ToledoJoão ChiancaLuana Silva e Tainá Hinckel.

Tatiana Weston-Webb mostrando que vaii brigar por medalha nas Olimpíadas. Foto: @WSL/Ed Sloane.

Com o tubaço que surfou na quarta-feira, Tatiana Weston-Webb mostrou que vai brigar por medalha nos Jogos de Paris. A taitiana Vahine Fierro já havia se destacado como a surfista a ser batida na onda que conhece muito bem. Ela fez os recordes femininos na sua estreia no SHISEIDO Tahiti Pro no sábado, nota 9,33 e 16,13 pontos, contra a líder do ranking, Caitlin Simmers, e a bicampeã mundial Tyler Wright. Na quarta-feira, despachou a australiana Molly Picklum surfando quatro tubos que receberam notas 7,17, 7,23, 7,50 e 7,63. 

Tatiana Weston-Webb entrou no duelo seguinte com Tyler Wright. A brasileira já surfou o melhor tubo do dia nessa bateria e a nota 8,50 confirmou a vitória sobre a australiana, por uma pequena vantagem de 14,83 a 13,76 pontos. Nas semifinais, Vahine Fierro já começou surfando um tubaço nota 8,00 e logo pegou outro que valeu 8,07. Tatiana falhou nas primeiras ondas que surfou, mas entrou na briga com o 6,07 que conseguiu num tubo rápido. 

Para se classificar para a final, precisava da nota máxima e botou pra dentro de uma onda enorme, sumiu dentro do tubo, foi atravessando as placas que iam caindo a sua frente e saiu com os braços pra cima, vibrando com a onda espetacular que havia surfado. Os cinco juízes não tiveram dúvidas em dar nota 10 unânime. Foi a segunda nota 10 da carreira da Tatiana Weston-Webb no CT. A única tinha sido em 2015 em Hossegor, na França.

“Isso foi um presente de Deus. Foi realmente assustador, mas fiquei muito agradecida por ter a oportunidade de surfar um tubo desse assim”, disse Tatiana Weston-Webb“Quantas chances temos de competir nessas condições? Especialmente nós, mulheres? Eu sinto que o surfe feminino está evoluindo tanto e a WSL está nos proporcionando essa plataforma. Eu sou muito grata por isso, temos as Olimpiadas chegando e o grande objetivo é surfar muito bem nos Jogos. A Vahine (Fierro) é incrível aqui e ela me inspira bastante. Eu sabia que ela poderia conseguir um mínimo de 8 para me vencer, então eu precisava fazer algo incrível também e, sim, acho que fiz”.

A felicidade da Tatiana Weston-Webb só não foi mais completa, porque Vahine Fierro ainda surfou mais um tubaço e recebeu 9,63, para vencer com o maior somatório feminino do CT 2024, 17,70 a 16,07 pontos. A brasileira então repetiu o terceiro lugar no Taiti em 2022, quando também parou nas semifinais. Na outra chave, a costa-ricense Brisa Hennessy atropelou duas campeãs mundiais. A primeira foi a pentacampeã Carissa Moore, que vai tentar o bicampeonato olímpico nos Jogos de Paris. Brisa derrotou a havaiana por 12,66 e 9,44, depois despachou a atual campeã mundial e defensora do título nos tubos de Teahupo´o, Caroline Marks, por 13,57 a 3,67 pontos. 

Na decisão do SHISEIDO Tahiti Pro apresentado por Outerknown, as condições do mar ficaram mais difíceis e as duas finalistas só conseguiram pegar três ondas cada. As duas primeiras da Vahine Fierro valeram 6,67 e 8,50 e elas garantiram a vitória da francesa, que participou do campeonato como convidada. Brisa Hennessy só conseguiu notas 5,00 e 7,00 e perdeu por 15,17 a 12,00 pontos, mas assumiu a liderança no ranking da World Surf League, com o vice-campeonato no Taiti.

Vahine Fierro campeã nos tubos de Teahupo´o em casa no Taiti. Foto: @WSL / Ed Sloane.

“Eu sabia e acreditava que eu venceria este evento”, disse Vahine Fierro“Eu dei tudo de mim, meu corpo está todo dolorido, quebrei minha prancha, foi uma loucura, mas eu estava calma. Foi insano e só quero agradecer a todos, porque a energia deles é o que me motiva. Quero agradecer ao Jeremy Flores (ex-campeão em Teahupo´o e técnico da França nas Olimpíadas) por me orientar tão bem. A Jessi (Miley-Dyer) tomou uma decisão incrível em terminar nosso evento hoje, é disso que as mulheres precisam. Obrigado a Jessi por confiar em nós, porque éramos capazes de surfar nessas condições e obrigado Teahupo´o, por me enviar as melhores ondas da minha vida nas baterias”.

REPESCAGEM MASCULINA – Depois da decisão do título feminino, as oito baterias da repescagem masculina fecharam a quarta-feira de tubos espetaculares em Teahupo´o. Os campeões mundiais Italo Ferreira e Gabriel Medina tinham estreado com vitórias no sábado e passado direto para as oitavas de final. Só Yago Dora não ganhou a sua primeira bateria no SHISEIDO Tahiti Pro e teve que disputar a repescagem. Ele acabou escalado para encarar o australiano Jack Robinson, campeão nos tubos de Teahupo´o na final do ano passado com Gabriel Medina.

A repescagem começou com o convidado do Taiti, Mihimana Braye, despachando o líder do ranking, Griffin Colapinto. Na segunda bateria, o californiano Cole Houshmand surfou um tubaço que arrancou nota 9,57 e derrotou o italiano Leonardo Fioravanti por 17,24 pontos. A bateria do catarinense foi a terceira a entrar no mar e Jack Robinson largou na frente, com notas 6,00 e 6,57 nos seus primeiros tubos de backside. Yago Dora surfava as esquerdas de Teahupo´o de frontside e botou pra baixo na terceira onda que pegou, ela rodou um tubão e ele saiu no spray com nota 8,17.

Yago Dora ganhou de virada no final do defensor do título no Taiti, Jack Robinson. Foto: @WSL/Ed Sloane.

Aí começou uma batalha onda a onda entre os dois. Jack Robinson surfou um tubo que recebeu 7,17 para reassumir a ponta, mas Yago Dora deu o troco com 6,67. O australiano voltou a dianteira com 7,87 e o brasileiro recuperou com 7,53. O defensor do título ainda surfa outro belo tubo, esse mais profundo, para retomar o primeiro lugar com nota 8,03. Só que ainda deu tempo do Yago Dora dropar uma onda maior, que formou mais um tubão que valeu 8,40. Com essa nota, ganhou de virada do seu grande amigo, por 16,57 a 15,90 pontos. 

Outros tubaços foram surfados até o fim do dia épico em Teahupo´o. O marroquino Ramzi Boukhiam surfou um que valeu 9,13, para derrotar o australiano Liam O´Brien por uma pequena diferença de 16,86 a 16,74 pontos. Depois, o californiano Jake Marshall venceu com um tubão nota 9,40, o havaiano Barron Mamiya completou um que valeu 9,00 para ganhar sua bateria e o californiano Crosby Colapinto fechou a quarta-feira com o maior placar da repescagem do SHISEIDO Tahiti Pro, 17,43 pontos somando notas 9,43 e 8,00. A vitória sobre o havaiano Seth Moniz, valeu a última classificação para as oitavas de final.

Crosby Colapinto fechou a quarta-feira com o maior placar da repescagem. Foto: @WSL/Ed Sloane.

OITAVAS DE FINAL – Dos três brasileiros que seguem na disputa do título no Taiti, o primeiro a competir será Yago Dora. Ele vai disputar a terceira vaga para as quartas de final com o sul-africano Jordy Smith. O campeão olímpico Italo Ferreira, entra no duelo seguinte com o norte-americano Cole Houshmand. Já o tricampeão mundial Gabriel Medina, que já fez seis finais nos tubos de Teahupo´o e conquistou duas vitórias, em 2014 e 2018, está na sétima bateria das oitavas de final com outro californiano, Jake Marshall.

PRÓXIMAS BATERIAS DO SHISEIDO TAHITI PRO:

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com US$ 13.500 e 3.320 pontos:
1.a: Ethan Ewing (AUS) x Kelly Slater (EUA)
2.a: Kanoa Igarashi (JPN) x Ramzi Boukhiam (MAR)
3.a: Jordy Smith (AFR) x Yago Dora (BRA)
4.a: Cole Houshmand (EUA) x Italo Ferreira (BRA)
5.a: John John Florence (HAV) x Mihimana Braye (TAH)
6.a: Crosby Colapinto (EUA) x Rio Waida (IDN)
7.a: Jake Marshall (EUA) x Gabriel Medina (BRA)
8.a: Barron Mamiya (HAV) x Ryan Callinan (AUS)

RESULTADOS DA QUARTA-FEIRA NO SHISEIDO TAHITI PRO:

QUARTAS DE FINAL – 3.o lugar com US$ 40.000 e 6.085 pontos:
1.a: Brisa Hennessy (CRC) 12,66 x 9,44 Carissa Moore (HAV)
2.a: Caroline Marks (EUA) 8,16 x 2,73 Sawyer Lindblad (EUA)
3.a: Vahine Fierro (FRA) 15,13 x 3,17 Molly Picklum (AUS)
4.a: Tatiana Weston-Webb (BRA) 14,83 x 13,76 Tyler Wright (AUS)

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 40.000 e 6.085 pontos:
1.a: Brisa Hennessy (CRC) 13,57 x 3,67 Caroline Marks (EUA)
2.a: Vahine Fierro (FRA) 17,70 x 16,07 Tatiana Weston-Webb (BRA)

DECISÃO DO TÍTULO FEMININO:
Campeã: Vahine Fierro (TAH) por 15,17 pts (8,50+6,67) – US$ 100.000 e 10.000 pts
2.o lugar: Brisa Hennessy (CRC) com 12,00 pts (7,00+5,00) – US$ 63.000 e 7.800 pts

SEGUNDA FASE – 17.o lugar com US$ 12.000 e 1.330 pontos:
1.a: Mihimana Braye (TAH) 15,10 x 14,57 Griffin Colapinto (EUA)
2.a: Cole Houshmand (EUA) 17,24 x 13,50 Leonardo Fioravanti (ITA)
3.a: Yago Dora (BRA) 16,57 x 15,90 Jack Robinson (AUS)
4.a: Ramzi Boukhiam (MAR) 16,86 x 16,74 Liam O´Brien (AUS)
5.a: Jake Marshall (EUA) 13,57 x 13,50 Connor O´Leary (JPN)
6.a: Rio Waida (IDN) 14,04 x 3,33 Imaikalani deVault (HAV)
7.a: Barron Mamiya (HAV) 16,83 x 10,57 Matthew McGillivray (AFR)
8.a: Crosby Colapinto (EUA) 17,43 x 15,33 Seth Moniz (HAV)

Fonte: João Carvalho – WSL Latin America Media Manager

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *