11 de julho de 2024

Italo Ferreira é o novo campeão do Rio Pro na final com Yago Dora em Saquarema

0

O campeão olímpico subiu para quarto no ranking, Yago Dora agora está na porta de entrada do top-5, Caitlin Simmers é bicampeã em decisão americana e a vitória garantiu sua vaga para o WSL Finals

Italo Ferreira e Yago Dora fizeram a segunda final brasileira em Saquarema. Foto: @WSL/Thiago Diz.

O campeão mundial e olímpico, Italo Ferreira, realizou seu grande sonho de vencer a etapa brasileira do World Surf League (WSL) Championship Tour (CT). O “Brabo” é o novo campeão do Vivo Rio Pro apresentado por Corona em Saquarema, impedindo o bicampeonato de Yago Dora na segunda decisão 100% verde-amarela na Praia de Itaúna. Já Caitlin Simmers repetiu a vitória do ano passado, na final norte-americana com Sawyer Lindblad, que barrou a brasileira Tatiana Weston-Webb nas semifinais. Caitlin garantiu sua vaga para a disputa do título mundial de 2024 no Lexus WSL Finals e o havaiano John John Florence confirmou a primeira posição no ranking da temporada, que será encerrada em agosto nas Ilhas Fiji. 

“Estou muito feliz, porque eu queria muito vencer esse campeonato, eu treinei muito e graças a Deus consegui realizar o meu sonho. A gente orou muito esses dias na minha casa, a minha mãe (chorando de emoção), então foi Deus, não tem o que explicar”, foram as primeiras palavras do Italo Ferreira, em português na entrevista da transmissão ao vivo do Rio Pro. “Na minha vida inteira, todas as vitórias, tudo o que eu conquistei até hoje, foi com a honra e glória do Senhor. Não adianta você ter talento, força no braço, que não vai acontecer, então entreguei nas mãos de Deus e eu só fiz a parte mais fácil”.

Não foi tão fácil assim, porque Italo Ferreira teve que derrotar três grandes adversários para conquistar a sua primeira vitória no Brasil e o título no Vivo Rio Pro. A torcida mais uma vez superlotou a Praia de Itaúna, como vem sendo comum desde que a etapa brasileira do CT retornou para a Capital Nacional do Surf em 2017. O público vibrou intensamente com os aéreos do “Brabo”, que começou a sexta-feira despachando o japonês Connor O´Leary nas quartas de final. Depois, deu um show contra o californiano Griffin Colapinto, se classificando para a sua primeira final no Brasil com o maior placar da sexta-feira na Praia de Itaúna até ali, 16,60 pontos com notas 9,00 e 7,60.

Italo Ferreira fez grandes apresentações para a torcida na Praia de Itaúna. Foto: @WSL/Daniel Smorigo.

Esses recordes do último dia foram batidos no duelo seguinte, pelo defensor do título do Rio Pro. Yago Dora também deu seu show para a torcida, já mandando um aéreo na primeira onda surfada contra Jordy Smith. O sul-africano estava fechando o grupo dos top-5 que disputarão o título mundial de 2024 no Lexus WSL Finals, em setembro na Califórnia. Yago já tinha passado pelo bicampeão mundial John John Florence, vingando a derrota na final da etapa de El Salvador semanas atrás. Mas, o havaiano garantiu a primeira posição no ranking na sexta-feira.

Na semifinal, Yago Dora começou com nota 7,83, mas Jordy Smith respondeu com 8,40 do seu ataque de backside numa esquerda, que abriu uma longa parede para fazer várias manobras. O catarinense se manteve na frente com o 5,67 da sua segunda onda, que depois trocou por 7,97 com mais um aéreo de frontside em outra esquerda. Mas, Yago Dora também mostrou ser muito bom em manobras de borda e conseguiu a maior nota do Vivo Rio Pro esse ano, para delírio da torcida. Os juízes deram 9,33 pelos dois ataques muito fortes numa esquerda, finalizada com um layback incrível numa junção cavernosa.

Praia de Itaúna superlotado em clima de Maracanã na sexta-feira em Saquarema Foto: @WSL/Thiago Diz.

FINAL BRASILEIRA – A decisão do título começou as 14h50, com a Praia de Itaúna superlotada vibrando intensamente na segunda final brasileira em Saquarema. A primeira foi em 2022, quando Filipe Toledo festejou o tricampeonato consecutivo derrotando Samuel Pupo com um aéreo nota 10. Desde as semifinais, as baterias tinham 35 minutos de duração e Italo Ferreira logo pegou a primeira onda, arriscou o aéreo, mas não completou. Não demora e o Brabo pega outra esquerda, dessa vez acerta o aéreo reverse, faz outro mais baixo e ganha nota 7, para largar na frente em sua primeira final no Brasil.

Yago Dora tentava repetir o bicampeonato que a Caitlin Simmers tinha acabado de conseguir e também dá o seu show pra torcida, voando muito alto na primeira onda, porém sem conseguir aterrissar. Quando faltavam 15 minutos para o término, Italo vem acelerando em outra onda, até achar a rampa pra voar alto, mas também não completa. Yago pega a onda de trás, faz uma rasgada e finaliza o seu primeiro aéreo, para entrar no jogo com 5,67. Ele logo faz outro aéreo rodando de frontside e passa a frente com nota 4,93 há 10 minutos do fim. Mas, Italo só precisava de 3,60 para retomar a liderança.

Italo Ferreira festejando sua primeira vitória em etapas do CT no Brasil. Foto: @WSL/Thiago Diz.

O potiguar então pega uma direita em direção ao canal, que arma a parede para mandar um batidão vertical de backside e fazer mais dois ataques agressivos. Ele só errou a finalização na junção, mas ganhou 6,67 e abriu 8,00 pontos de vantagem sobre o Yago nos 5 minutos finais. No ano passado, o catarinense também estava nas cordas, mas acertou um aéreo que valeu a primeira vitória da carreira em etapas do CT. Faltando 2 minutos, Yago pega uma onda, voa alto e quase consegue aterrissar, mas caiu. Depois não entrou mais ondas boas e Italo Ferreira festejou a vitória por 13,67 a 10,10 pontos.

“Realmente foi um longo dia, começou muito cedo hoje, mas foi cumprido o objetivo de vencer o campeonato”, disse Italo Ferreira, mais calmo depois de passar a adrenalina da vitória. “Eu me dediquei bastante nos últimos dias, com uma energia muito boa com meus amigos, meu pai, isso fez com que eu ganhasse muita confiança para performar de verdade. Estou muito feliz com tudo que aconteceu, só na final que não consegui fazer grandes notas, mas fiz o suficiente pra vencer. Foi a primeira vitória aqui e completei meu ckeck-list do mundo, porque faltava o Brasil”.

Italo Ferreira, Caitlin Simmers, Sawyer Lindblad e Yago Dora no pódio do Vivo Rio Pro. Foto: @WSL/Thiago Diz.

Esta foi a nona etapa do CT que Italo Ferreira venceu em 13 finais disputadas. Em 2018, conseguiu as três primeiras, em Bells Beach, na Austrália, na Indonésia e em Portugal. Em 2019, disputou cinco finais e ganhou três, na Gold Coast, Austrália, depois foi bicampeão em Portugal e ganhou a decisão do título mundial contra Gabriel Medina na final do Pipe Masters no Havaí. Em 2021, foi campeão olímpico na estreia do surfe valendo medalhas no Japão e venceu outra etapa na Austrália, em Newcastle. As outras duas vitórias foram agora em 2024, nos tubos de Teahupo´o no Taiti e no Vivo Rio Pro em Saquarema.

No pódio, Italo Ferreira agradeceu a WSL e todos os patrocinadores, por mais um grande campeonato com casa cheia todos os dias na Praia de Itaúna: “Isso transforma nossas vidas, nos impulsiona e hoje, graças a Deus, eu consegui a vitória. Era um dos lugares do mundo que eu não tinha vencido ainda e eu coloquei isso na cabeça. Orei muito por essa vitória, junto com minha família, meus amigos, e Deus realizou esse sonho. Eu quero dedicar esse troféu de primeiro lugar ao meu pai (Luis Ferreira), que é uma inspiração pra mim”.

O pai do Italo, Luisinho Ferreira, recebendo o troféu do filho no pódio. Foto: @WSL/Thiago Diz.

A vitória no Rio Pro, valia uma vaga nos top-5 tirando a quarta posição do australiano Ethan Ewing, que foi vice-campeão na final com Yago Dora na etapa brasileira no ano passado e parou nas quartas de final na sexta-feira. O catarinense conseguiu ultrapassar o sul-africano Jordy Smith, que chegou no Brasil defendendo o quinto lugar. Agora, é Yago Dora quem está batendo na porta de entrada dos top-5. Ele assumiu a sexta colocação que era do Gabriel Medina, que perdeu para o Griffin Colapinto nas quartas de final e caiu para a oitava posição.

“Estou feliz com meu surfe nesse evento, só um pouco chateado que não consegui achar as ondas boas na final”, lamentou Yago Dora“Talvez, na minha última onda teria virado (o resultado) se completasse o aéreo, mas acabei caindo e é assim, era o dia do Italo. Ele tava inspirado e parabéns pra ele, que merece muito e estou feliz por estar fazendo mais uma final. São duas consecutivas e estou indo embalado pra Fiji. Estou doido pra chegar lá e pegar altas ondas”.

Yago Dora deu um show também para a torcida na sexta-feira em Saquarema. Foto: @WSL/Daniel Smorigo.

WSL FINALS – O Corona Fiji Pro será realizado depois dos Jogos Olímpicos de Paris, entre os dias 20 e 29 de agosto nos tubos de Cloudbreak, na Ilha de Tavarua. Esta nona etapa do World Surf League Championship Tour, vai definir os 5 homens e as 5 mulheres que irão disputar os títulos mundiais de 2024 no WSL Finals, no melhor dia de ondas em Trestles no período de 6 a 14 de setembro na Califórnia. No momento, apenas dois surfistas já se garantiram no grupo dos top-5, John John Florence que já não perde mais a primeira posição e Caitlin Simmers, com o bicampeonato no Rio Pro.

No ranking masculino, Griffin Colapinto recuperou a segunda posição e Jack Robinson está em terceiro no desempate contra Italo Ferreira, que igualou os 34.045 pontos do australiano. Com o vice-campeonato na sexta-feira, Yago Dora encostou nos top-5 com 31.635 pontos, contra 31.995 do Ethan Ewing, que passou a fechar os top-5. A disputa entre os dois e o sul-africano Jordy Smith, será fase a fase em Fiji, enquanto Gabriel Medina já precisa chegar nas quartas de final para ultrapassar a pontuação atual do Ethan Ewing.

Gabriel Medina parou nas quartas de final e caiu para o oitavo lugar no ranking. Foto: @WSL/Daniel Smorigo.

AS TOP-5 – No ranking feminino, também só aconteceu uma mudança no grupo das top-5, com a havaiana Gabriela Bryan tirando a quinta posição da francesa Johanne Defay. A bicampeã do Vivo Rio Pro, Caitlin Simmers, se manteve na primeira posição e já garantida no WSL Finals. A atual campeã mundial, Caroline Marks, permaneceu em segundo lugar, com a costa-ricense Brisa Hennessy em terceiro e a australiana Molly Picklum em quarto. 

A gaúcha Tatiana Weston-Webb começou bem a sexta-feira, fazendo os recordes femininos da sexta edição consecutiva da etapa brasileira do CT em Saquarema. Na segunda quarta de final, derrotou Brisa Hennessy por 15,77 pontos, somando notas 8,17 e 7,60. No duelo seguinte, a outra brasileira, Luana Silva, só surfou uma onda na sua bateria contra Caitlin Simmers e foi eliminada em quinto lugar. Já a Tatiana também não achou boas ondas na semifinal e perdeu para a jovem californiana Sawyer Lindblad.

Tatiana Weston-Webb fez os recordes femininos antes de perder na semifinal. Foto: @WSL/Daniel Smorigo.

A brasileira agora vai ter que chegar na final do Fiji Pro, para ultrapassar a pontuação da nova quinta colocada, Gabriela BryanTatiana já conseguiu isso na última etapa do CT que teve em Fiji em 2017, quando foi vice-campeã na decisão contra a norte-americana Courtney Conlogue. Pela terceira vez, Tatiana Weston-Webb parou nas semifinais em Saquarema, como em 2018 e em 2022. Já Sawyer Lindblad chegou em sua segunda final esse ano e novamente ficou em segundo lugar, com Caitlin Simmers confirmando o bicampeonato logo nas duas primeiras ondas que surfou na bateria.

“Estou me sentindo muito bem agora, acabei de surfar com uma amigona minha que conheço desde minha infância, ela (Sawyer Lindblad) mora 20 minutos da minha casa e isso é muito surreal para nós”, disse Caitlin Simmers“Minha família inteira está aqui e tenho adorado cada momento, muitas coisas boas aconteceram essa semana e isso me ajudou. Adoro surfar, peguei altas ondas e deu tudo certo pra mim na final. Parabéns para a Sawyer, ela é muito talentosa e ganhou de mim no Taiti, então foi bom ganhar essa dela. Mas sei que mais tarde vamos ter uma batalha de dança, então veremos quem vai ganhar (risos)”.

A bicampeã Caitlin Simmers com a amiga Sawyer Lindblad no pódio. Foto: @WSL/Thiago Diz.

GALERIA DE CAMPEÕES DO WSL CHAMPIONSHIP TOUR EM SAQUAREMA:
2024 – Italo Ferreira (BRA) e Caitlin Simmers (EUA) bicampeã
2023 – Yago Dora (BRA) e Caitlin Simmers (EUA) 
2022 – Filipe Toledo (BRA) tricampeão e Carissa Moore (HAV)
2019 – Filipe Toledo (BRA) bicampeão e Sally Fitzgibbons (AUS)
2018 – Filipe Toledo (BRA) e Stephanie Gilmore (AUS)
2017 – Adriano de Souza (BRA) e Tyler Wright (AUS)
2002 – Taj Burrow (AUS)

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO VIVO RIO PRO EM SAQUAREMA:
Campeão: Italo Ferreira por 13,67 pts (7,00+6,67) – US$ 100.000 e 10.000 pts
2.o lugar: Yago Dora com 10,60 pts (5,67+4,93) – US$ 63.000 e 7.800 pts

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 40.000 e 6.085 pontos:
1.a: Italo Ferreira (BRA) 16,60 x 14,27 Griffin Colapinto (EUA)
2.a: Yago Dora (BRA) 17,30 x 14,23 Jordy Smith (AFR)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 20.000 e 4.745 pontos:
1.a: Italo Ferreira (BRA) 10,03 x 5,90 Connor O´Leary (JPN)
2.a: Griffin Colapinto (EUA) 10,07 x 9,44 Gabriel Medina (BRA)
3.a: Yago Dora (BRA) 16,00 x 11,27 John John Florence (HAV)
4.a: Jordy Smith (AFR) 10,00 x 9,73 Ethan Ewing (AUS)

DECISÃO DO TÍTULO FEMININO DO VIVO RIO PRO: 
Bicampeã: Caitlin Simmers por 15,50 pts (7,83+7,67) – US$ 100.000 e 10.000 pts
2.o lugar: Sawyer Lindblad com 3,26 pts (2,83+0,43) – US$ 63.000 e 7.800 pts

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 40.000 e 6.085 pontos:
1.a: Sawyer Lindblad (EUA) 8,94 x 4,16 Tatiana Weston-Webb (BRA)
2.a: Caitlin Simmers (EUA) 12,74 x 12,40 Gabriela Bryan (HAV)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 20.000 e 4.745 pontos:
1.a: Sawyer Lindblad (EUA) 11,06 x 5,60 Caroline Marks (EUA)
2.a: Tatiana Weston-Webb (BRA) 15,77 x 6,43 Brisa Hennessy (CRC)
3.a: Caitlin Simmers (EUA) 11,67 x 5,67 Luana Silva (BRA)
4.a: Gabriela Bryan (HAV) 10,57 x 8,93 Molly Picklum (AUS)

RANKING DA WORLD SURF LEAGUE – 8 etapas:

TOP-20 DA CATEGORIA MASCULINA:
1.o- John John Florence (HAV) – 46.210 pontos
2.o- Griffin Colapinto (EUA) – 36.600
3.o- Jack Robinson (AUS) – 34.045
4.o- Italo Ferreira (BRA) – 34.045
5.o- Ethan Ewing (AUS) – 31.995
6.o- Yago Dora (BRA) – 31.635
7.o- Jordy Smith (AFR) – 31.055
8.o- Gabriel Medina (BRA) – 28.980
9.o- Crosby Colapinto (EUA) – 25.440
10.o- Rio Waida (IDN) – 24.375
11.o- Jake Marshall (EUA) – 24.100
12.o- Cole Houshmand (EUA) – 23.950
13.o- Ramzi Boukhiam (MAR) – 23.450
14.o- Ryan Callinan (AUS) – 23.450
15.o- Barron Mamiya (HAV) – 21.960
16.o- Kanoa Igarashi (JPN) – 21.750
17.o- Connor O´Leary (JPN) – 21.460
18.o- Matthew McGillivray (AFR) – 20.810
19.o- Liam O´Brien (AUS) – 20.685
20.o- Seth Moniz (HAV) – 19.470

TOP-10 DA CATEGORIA FEMININA:
1.a- Caitlin Simmers (EUA) – 48.185 pontos
2.a- Caroline Marks (EUA) – 42.490
3.a- Brisa Hennessy (CRC) – 41.630
4.a- Molly Picklum (AUS) – 39.390
5.a- Gabriela Bryan (HAV) – 38.595
6.a- Johanne Defay (FRA) – 37.255
7.a- Tatiana Weston-Webb (BRA) – 35.100
8.a- Sawyer Lindblad (EUA) – 32.920
9.a- Bettylou Sakura Johnson (HAV) – 32.545
10.a- Tyler Wright (AUS) – 27.505

Fonte: João Carvalho – WSL Latin America Media Manager

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *