19 de maio de 2024

Tatiana Weston-Webb também está garantida na elite do CT 2024

0

Brasileira se garante mesmo perdendo na quinta-feira e Tyler Wright a derrotou e também continua na elite. Só as oitavas de final femininas já foram completadas e as oitavas masculinas ficaram para abrir o próximo dia

Tatiana Weston-Webb perdeu por pouco mas está garantida no CT 2024. Foto: @WSL/Aaron Hughes.

A brasileira Tatiana Weston-Webb perdeu nas oitavas de final do Western Australia Margaret River Pro, mas está garantida na elite que seguirá competindo no World Surf League (WSL) Championship Tour (CT) 2024. A bicampeã mundial Tyler Wright a derrotou e também confirmou sua permanência entre as top-10 do ranking. As oitavas de final femininas foram completadas na quinta-feira em Southside, praia vizinha a Main Break, palco principal desta quinta etapa da temporada 2024 na Austrália.

As oitavas de final masculinas ficaram para abrir o próximo dia. A primeira chamada foi marcada para as 6h45 da sexta-feira em Margaret River, 19h45 da quinta-feira no fuso horário de Brasília. As oitavas de final femininas foram realizadas em dois dias. Na quarta-feira aconteceram somente três baterias em Main Break e as outras cinco rolaram nas ondas de 3-4 pés da quinta-feira em Southside. Todos os duelos das quartas de final, terão uma australiana disputando classificação com uma surfista de outro país.

O primeiro será da India Robinson com a havaiana Gabriela Bryan. No segundo, Molly Picklum enfrenta a costa-ricense Brisa Hennessy. No terceiro está a bicampeã mundial Tyler Wright, com a líder no ranking do CT 2024, a norte-americana Caitlin Simmers. E a última vaga para a grande final do Western Australia Margaret River Pro, será disputada pela veterana Sally Fitzgibbons e outra norte-americana, Sawyer Lindblad. As duas ainda têm chances de entrar no grupo das top-10 que serão mantidas na elite, já com suas vagas garantidas no CT 2024.

Tyler Wright vibrando com a vitória conquistada nas últimas ondas. Foto: @WSL/Aaron Hughes.

A quinta-feira amanheceu na Austrália com a bicampeã mundial Tyler Wright fechando essa lista. Ela estava perdendo para a brasileira Tatiana Weston-Webb, que tinha começado bem a bateria com nota 6,50 e se manteve sempre a frente com o 6,17 da sua segunda onda, que depois trocou por 7,17. A australiana só tinha conseguido 3,73 e 4,83, mas virou o placar nas últimas ondas que surfou, somando 5,87 e 7,83 para vencer por uma pequena diferença de 13,70 a 13,67 pontos.

ÚLTIMA DAS TOP-10 – Com a passagem para as quartas de final, Tyler Wright saiu da rabeira das top-10 e foi para o oitavo lugar no ranking. A última da lista agora é a norte-americana Lakey Peterson, que perdeu o confronto que abriu a quinta-feira em Southside, para a costa-ricense Brisa Hennessy. Com essa derrota da LakeyTatiana Weston-Webb acabou tendo sua vaga na elite garantida e ainda permanece em sétimo no ranking.

Sally Fitzgibbons segue tentando garantir sua permanência no CT 2024. Foto: @WSL/Aaron Hughes.

Nas últimas baterias da quinta-feira, se classificaram duas surfistas que estão abaixo da linha do corte e seguem com chances de entrar nas top-10. A veterana Sally Fitzgibbons despachou a atual campeã mundial, Caroline Marks, mas precisa vencer o Western Australia Margaret River, para superar os 16.050 pontos da Lakey Peterson no ranking. A outra concorrente é a novata Sawyer Lindblad, que derrotou a havaiana Bettylou Sakura Johnson e entra nas top-10 se chegar na final em Margaret River.

Para as duas, tudo será decidido na próxima bateria, pois Sally Fitzgibbons e Sawyer Lindblad se enfrentarão no último duelo das quartas de final. A outra surfista com chance ainda de vaga na elite, é a australiana India Robinson. Assim como Sally Fitzgibbons, ela tem que vencer o campeonato para entrar nas top-10. India vai disputar a primeira vaga para as semifinais com Gabriela Bryan, que ainda está ameaçada na nona posição no ranking. A havaiana garante sua permanência se passar essa bateria.

Sawyer Lindblad terá um duelo decisivo na disputa por vaga nas top-10. Foto: @WSL/Beatriz Ryder.

SELEÇÃO BRASILEIRA – O Brasil saiu da briga pelo título feminino do Western Australia Margaret River Pro, mas tem cinco concorrentes nas oitavas de final masculinas. O defensor do título desta etapa, Gabriel Medina, faz um duelo de campeões mundiais com o havaiano John John Florence na primeira bateria. A segunda é entre os irmãos Miguel e Samuel Pupo e só um seguirá tentando se garantir no CT 2024. Quem perder, se despede da elite e terá que recuperar a vaga pelo Challenger Series.

Caio Ibelli é o outro surfista da seleção brasileira que ainda luta para entrar no grupo dos 22 primeiros do ranking, que serão mantidos no restante da temporada, já com vaga confirmada no CT 2025. Ele vai enfrentar o sul-africano Jordy Smith no sexto confronto das oitavas de final e precisa vencer para continuar com chances. Tanto Caio, como os irmãos Pupo, tiram o 22.o lugar no ranking do havaiano Seth Moniz, se passarem para as quartas de final, ou seja, ganhar sua próxima bateria.

Tyler Wright conseguiu a classificação nas últimas ondas que surfou. Foto: @WSL/Beatriz Ryder.

Isso se Seth Moniz perder para o australiano Ethan Ewing na quinta oitava de final. Se o havaiano vencer, aí quem fica ameaçado de sair da elite é outro brasileiro, Yago Dora, que no momento está em 21.o no ranking. Mas, ele só será ultrapassado se o Miguel Pupo ou o Samuel Pupo e o Caio Ibelli chegarem nas semifinais. Os três brasileiros são os únicos que ainda brigam por uma última vaga nos top-22. Depois, ainda tem o campeão mundial Italo Ferreira já garantido na elite, fechando as oitavas de final com o australiano Jack Robinson.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *